Estudante autista de Vitória (ES) é ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática

0

O estudante capixaba Gabriel Barroca, 13 anos, foi o único aluno de Vitória (ES) a ganhar uma medalha de ouro na edição de 2018 da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP).

Aluno da Escola Municipal Experimental de Vitória, que fica dentro da Ufes (Universidade Federal do Espírito Santo), Gabriel é um dos 24 alunos do estado a conquistarem medalha de ouro em 14 anos de olimpíada.

O feito do rapaz por si só já é notável e significativo, mas ganha ares ainda mais especiais porque ele é autista.

[Aos 23 anos, o Julio, que tem autismo severo, precisa ser amarrado em momentos de crise. Também por falta de tratamento ele parou de falar há muitos anos e precisa de um acompanhamento em clínicas e psicoterapeutas. Queremos custear um tratamento pra ele e comprar moveis para a família em Fortaleza (CE) viver um pouco melhor. Contribua aqui.]

Estudante autista de Vitória (ES) é ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática

Segundo seus professores, a capacidade de raciocínio de Gabriel se destaca na sala de aula. O desafio do adolescente era conseguir colocar no papel tudo o que se passa em sua mente.

Ao final, ele conseguiu. Na última segunda-feira (8), o estudante foi até Salvador (BA) receber seu prêmio.

Orgulhosa e radiante diante do resultado do filho, peça fundamental para seu sucesso, a servidora pública Andreza Barroca, 47 anos, comentou que Gabriel fez a prova quando estava no sétimo ano do ensino fundamental e lhe surpreendeu com o resultado, uma vez que ele “não gosta muito de escrever”.

Leia também:

“Ele fez a primeira etapa objetiva e depois a segunda discursiva. Dia 07 foi o embarque e dia 08 recebemos a premiação”, comemorou a mãe.

O autismo é um transtorno de desenvolvimento grave que prejudica a capacidade de se comunicar e interagir.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Gazeta do Povo/Foto: Arquivo pessoal

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here