Ibaneis faz um raio-X do governo em entrevista à Rádio Atividade

0

Ao Domingão do Vigão, o governador falou dos investimentos feitos na cidade, das dificuldades no início da gestão e da confiança de que entregará um DF melhor em 2022

DA AGÊNCIA BRASÍLIA

O empenho para geração de emprego e renda no Distrito Federal, a necessidade de privatização de serviços essenciais ao bem-estar do cidadão e os investimentos em obras de infraestrutura na cidade foram tratados pelo governador Ibaneis Rocha em um balanço desses sete meses de governo do DF. Para este segundo semestre, ele anunciou a construção de mais seis UPAs.

O chefe do Executivo foi o entrevistado deste domingo (11), Dia dos Pais, do programa Domingão do Vigão, pela rádio Atividade FM (107.1), uma das maiores audiências do rádio no Distrito Federal e entorno.

A saúde, um dos maiores gargalos deixados por seus antecessores, é o que mais tem tirado o sono do governador. Sucateado nas gestões anteriores, o atendimento no setor tem exigido de Ibaneis atenção especial. “Eu peguei [a saúde] num cenário devastado, tenho consciência de que esse problema não está resolvido, mas nós temos um projeto e é bom que as pessoas saibam disso.”

Por mais de uma hora, o chefe do Executivo falou sobre Educação, Saúde, desburocratização, construção de novos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em regiões administrativas e obras estruturantes que irão melhorar a vida da população do DF. A Agência Brasília sintetizou os principais trechos dessa conversa, que também pode ser conferida em www.radioatividade.com.br. Veja os principais trechos.

Educação
Na área da Educação, o governador lembrou a contratação recente de 500 professores e informou que há possibilidade de remanejar cerca de 300 docentes que estão lotados em áreas administrativas das escolas para as salas de aula, ainda neste semestre.

Também pontuou a reforma em mais de 300 escolas da rede e falou que quer construir mais cinco unidades, em especial nas cidades que não há centros de ensino. O governador explicou que há inúmeros terrenos destinados à Secretaria de Educação e que o planejamento é vendê-los para arrecadar dinheiro e investir em áreas prioritárias.

Fotos: Agência Brasília

Aprovada por mais de 80% da população, a gestão compartilhada entre as secretarias de Educação e de Segurança será estendido ainda este ano para mais seis unidades. O plano é, segundo o governador, levar o modelo a 40 unidades da capital, atingindo até 60 mil alunos.

A implementação das escolas interculturais bilíngues que começou neste mês é outra iniciativa que mereceu destaque na entrevista. “Já fizemos com a da França e estão levando, no contraturno, aulas de francês. Vamos fazer isso com diversas outras, sem custo nenhum para o governo. Vamos ensinar línguas, culturas”, afirmou Ibaneis.

Fim da Difal 
Ibaneis relembrou alguns dos projetos do Executivo que foram aprovados na Câmara Legislativa, como a proposta que extingue das empresas optantes do Simples Nacional a cobrança do diferencial de alíquota (Difal) sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Abri mão de uma arrecadação de mais de R$ 80 milhões para os cofres do DF para incentivar o micro e pequeno empreendedor”, enfatizou.

Obras
O chefe do Executivo comentou sobre os recursos da ordem de R$ 1 bilhão para serem investidos neste segundo semestre em projetos como a obra na DF-140, nos dois hospitais de Ceilândia, no alargamento no viaduto de Taguatinga, nos três viadutos previstos para o Setor Noroeste, no início das obras do Parque Burle Marx, entre outros.

Compromisso assumido na campanha, o projeto executivo de dois viadutos – um na entrada do Recanto das Emas, por onde passam cerca de 65 mil motoristas diariamente; e outro na entrada do Riacho Fundo I – já foram finalizados pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF). A previsão é que a obra seja lançada até outubro.

“Todos os políticos do Distrito Federal prometiam a construção desse viaduto do Recanto das Emas, eu achei que só faltava uma vontade, mas descobri que o projeto não estava pronto. Ele foi concluído há poucos dias para soltar a licitação. O viaduto também vai atender ao Riacho Fundo II. Vamos acabar com aquele engarrafamento todo”, garantiu Ibaneis.

Enquanto isso, o GDF trabalha no recapeamento da via. “O asfalto ali estava muito ruim, depois vamos até o Balão do Periquito. Vamos fazer todo o asfalto daquela região, chegando até o Caub”, prometeu. Ibaneis disse que as obras serão financiadas por uma emenda parlamentar impositiva do ex-deputado distrital Rôney Nemer.

O governador informou que vai investir em torno de R$ 120 milhões até o fim do ano na reforma e construção de calçadas e asfaltamento das principais avenidas das cidades. “No próximo ano, quando a situação melhorar, vamos entrar com asfalto em outras áreas. Tenho que cuidar primeiro emergencial, é o que estamos fazendo”.

Dentro desse planejamento, o chefe do Executivo lembrou que a cidade já está com outra cara, graças ao investimento de R$ 30 milhões em ações de recolhimento de entulhos, operação tapa-buraco, programa de podas. “O mínimo que se pode dar às pessoas é dignidade”, disse.

Assim, o governador lembrou que tem atendido, na medida do possível, demandas antigas da população, como o início das obras da rodoviária de Santa Maria, e o asfaltamento de um trecho de 8,2 km na DF-001, altura de Brazlândia, ambas esperadas por mais de 20 anos.

Além dessas, o GDF está refazendo o pavimento do Eixão e o viaduto sobre a Galeria dos Estados foi concluído e entregue à população, em seis meses. A obra do Trevo de Triagem Norte foi agilizada: prevista para ser concluída em 2020, será entregue em outubro de 2019; e a licitação do viaduto da Estrada Parque Indústrias Gráficas (Epig) deve sair na próxima semana. “Estamos correndo atrás de tudo o que estava parado”, explicou.

Mudanças na saúde
Durante a entrevista, o governador Ibaneis Rocha explicou aos ouvintes que quando assumiu o governo pegou a saúde no DF sucateada, mas que, graças ao apoio vindo da Câmara Legislativa, com a aprovação do programa de ampliação do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde (Iges-DF), desenvolveu ações imediatas que possibilitaram começar a arrumar a o setor nos seus primeiros meses de gestão, como a reforma das seis UPAs em atividade e do Hospital de Santa Maria, além de contratar 3 mil trabalhadores. “Essa talvez tenha sido a maior revolução da saúde do Distrito Federal”, defendeu.

Outros destaques são a liberação de manutenção dos hospitais, que foram recebidos da gestão anterior sem contrato de manutenção, a construção de mais seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) ainda para o segundo semestre deste ano e a ampliação dos hospitais de Sobradinho e Planaltina.

O programa de cirurgia metabólica, procedimento que se resume a uma intervenção bariátrica e redução do estômago, que ajuda no tratamento do diabetes, oferecido no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), e subsidiado pelo Ministério da Saúde, foi o início para tornar o DF referência nacional na cura da doença.

Conversa com empresários
Ao dialogar com a iniciativa privada e abrir espaço para o investimento empresarial na cidade, principalmente no ramo da construção civil, o governador ressaltou na conversa com Vigão que é preciso gerar emprego, confiança e segurança jurídica para atrair investidores na cidade.

“Eu tenho tratado diretamente com empresários dos mais diversos setores, mas eu tenho dado enfoque muito grande para a construção civil e também para a realização dessas obras, seja na parte viária, construção, ou na reforma de hospitais”, disse.

Geração de empregos
Só em obras do governo GDF neste ano foram contratadas 17 mil pessoas. Ibaneis diz que esperava fazer mais. “Eu queria, se tivesse encontrado o governo numa situação mais organizada, ter gerado 80 mil empregos aqui no Distrito Federal durante este primeiro ano.

Eu acho que não vou conseguir. Mas eu peço que a população tenha paciência e entendimento de que o nosso foco é a geração de emprego e renda em todas as áreas, independentemente da situação econômica.”

Segurança
As delegacias do DF agora abrem 24 horas por dia e com isso houve redução em quase todos os índices criminais. E o governador anunciou que quer fazer mais nessa área.

Habitação
Nas próximas semanas, será lançado um programa habitacional distrital: o Morar DF, com nove mil casas construídas à população. Além disso, vai iniciar a infraestrutura do Parque da Torre, antigo Taquari II, que estava abandonado. No Itapoã Parque, Ibaneis lembrou que estão sendo erguidas 12,4 mil moradias.

Rodoviária do Plano Piloto 
Em relação à Rodoviária do Plano Piloto, o governador Ibaneis Rocha explicou a proposta estudada de o terminal ser gerenciado por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP). “Estamos fazendo um processo de avaliação do prédio do Touring, que todo mundo pensa que é público, mas é privado, pra gente adquirir, incorporar à rodoviária, e fazer um projeto que realmente compense para a iniciativa privada”, diz.

Adote uma feira
O governador anunciou um novo projeto, o Adote uma Feira, que faz parte de um convênio que será assinado com o Banco de Brasília (BRB). De acordo com ele, seis espaços foram escolhidos para receber o incentivo inicial.

Privatizações
O caminho da melhoria de alguns serviços prestados à população, segundo o governador do Distrito Federal, é a privatização. Ibaneis Rocha se considera “enganado” durante a campanha. “Ninguém me falou que a CEB devia R$ 1,2 bilhão e que estava prestes a perder sua concessão porque não cumpriu as regras da Aneel”.

Já o metrô do DF precisa de investimentos da ordem de R$ 2 bilhões para voltar a funcionar com o mínimo de dignidade, mas não há de onde tirar esse recurso.

Superendividados
Ano passado, o BRB conseguiu fazer 400 acordos com servidores superendividados. Nesta semana, o banco chegou a entendimento com oito mil servidores.

Eixo Monumental
Na entrevista, o governador abordou as negociações com a Secretaria do Patrimônio da União para investir na área do Eixo Monumental, atrás da antiga Rodoferroviária. Segundo ele, a área – que é do Ministério do Exército – é de expansão econômica do DF. Ainda em fase de estudo e negociação, a ideia é elaborar um projeto para a cidade naquele local para investir na expansão habitacional, do comércio e de algumas outras questões.

Deficientes
Uma nova secretaria, destinada ao cuidado das pessoas com deficiência do DF, será criada. Na rádio, o governador voltou a afirmar que a criação deve ser efetivada na próxima semana, sob comando do deputado Iolando.

Servidores
Satisfeito com o secretariado e com os administradores regionais de todas as cidades, o governador mandou um recado para os servidores do GDF. Ibaneis espera paciência dos servidores para que a casa seja arrumada e, só então, reajustes salariais sejam avaliados.

Apoio
Ibaneis Rocha agradeceu o apoio dos parlamentares, senadores e órgãos de controle do DF. O governador destacou que os deputados federais e senadores trouxeram recentemente recursos de R$ 186 milhões para empenhar em obras nas áreas de saúde e educação, além do apoio na Câmara Legislativa, como a aprovação da proposta de licença-servidor.

Futuro político
Ibaneis fez questão de ressaltar na conversa com o radialista Vigão que mandato tem prazo de validade. E que quer ser reconhecido como alguém que fez alguma coisa pela cidade em que nasceu.

“Eu sou nascido aqui, fui criado no Piauí, mas eu tenho amor pela cidade e quero entrar para a história do Distrito Federal como alguém que mudou essa perspectiva. Eu não quero ir para reeleição. Eu quero primeiro mostrar resultados. O meu foco hoje é cuidar do povo do Distrito Federal. Eu tenho isso como determinação. Não tem preço saber que você transformou a vida de uma pessoa com um gesto. Não está do jeito que eu quero ainda, eu sou perfeccionista em tudo que faço, mas tenho convicção de que vou entregar o DF muitas vezes melhor do que eu recebi.”

Fonte: Agência Brasilia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here