Saiba quem são os 10 criminosos mais procurados do DF

0
Saiba quem são os 10 criminosos mais procurados do DF
Divulgação/PCDF

A insistência e a habilidade dos delinquentes desafiam a polícia. Mulher encabeça a lista. Apesar de haver dificuldade de encontrá-los, PCDF não divulga fotos.

“A pena é muito branda. Caso o magistrado identifique que os crimes foram cometidos em curto lapso temporal e que houve a continuidade delitiva, é como se ela cumprisse a pena referente a apenas um crime, que vai de um a quatro anos de prisão”, explica o advogado criminalista especialista em direito penal, Eduardo Gonçalves.

A segunda pessoa mais procurada do DF, Marcos Antonio Moreira dos Santos, tem 14 mandados de prisão condenatória por ter cometido roubo com agravantes. Caso seja encontrado, será beneficiado por uma mudança recente no Código Penal.

“Agora, a pena mais grave, de cinco anos e quatro meses no regime semiaberto, vale apenas para roubos efetuados com arma de fogo. Se ele usou qualquer outra arma, é como se fosse um roubo simples, cuja pena é de quatro anos em regime aberto”, detalha o advogado.

Os delitos mais graves do ranking são estupro e roubo, mas a maioria é procurada por ter cometido crimes mais brandos, como estelionato e furto. Segundo a Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DCPI) da Polícia Civil do DF, o que chama a atenção nos casos é a insistência na atividade criminosa e a habilidade em cometer os crimes.

“É difícil encontrar essas pessoas pela natureza dos crimes. O estelionatário, por exemplo, começa a praticar o crime em diversas localidades, utiliza vários documentos de identificação, faz várias vítimas. Caso a polícia não consiga identificá-lo de primeira, fica muito mais difícil”, esclarece o advogado criminalista Eduardo Gonçalves.

Prisões em números

Balanço da Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social do DF, referente a abril deste ano, demonstra que houve queda de 9,2% no número pessoas presas por mandado em comparação com o mesmo mês de 2017. Desde janeiro deste ano, porém, os números foram positivos: a Polícia Civil do Distrito Federal prendeu 1.936 pessoas, contra 1.868 no ano passado.

O delegado Antônio João Dimitrov endossa os resultados anuais com uma operação recente, que prendeu pessoas que cometeram crimes com violência e grave ameaça. “A Divisão de Capturas (DCPI) realizou, em abril, o cumprimento de 20 mandados de prisão nas diversas regiões administrativas do DF. Foram empenhadas quatro equipes de policiais”, detalha.

Seis pessoas foram presas por assaltos à mão armada, três em decorrência da prática de estupro e outros três por terem cometido crime de homicídio. As penas aplicadas aos alvos da operação variam entre cinco e 17 anos de condenação.

Os 10 mais

1º Claudia Luchi de Araujo Lopes: 24 mandados de prisão preventiva por crimes de estelionato
2º Marcos Antonio Moreira dos Santos: 14 mandados de prisão condenatória por crimes de roubo circunstanciado (com agravantes)
3º Ana Lucia de Oliveira Moraes: 13 mandados de prisão preventiva por crimes de estelionato, roubo, furto e formação de quadrilha
4º Alecsandro Prado Duarte: 12 mandados de prisão condenatória por crimes de furto, roubo e formação de quadrilha
5º Wilmar de Carvalho: 9 mandados de prisão condenatória por crimes de furto e roubo
6º José Marcelo Batista: 8 mandados de prisão condenatória por crimes de furto, estelionato e apropriação indébita
7º Alan Dilson Ferreira Siqueira: 8 mandados de prisão condenatória por roubo, furto, estelionato e dano qualificado
8º Edson Marcelino da Silva: 8 mandados de prisão condenatória por roubo e roubo em concurso com estupro
9º Josivaldo Ferreira dos Santos: 7 mandados de prisão preventiva por crimes de estelionato e apropriação indébita
10º Carlos de Almada da Silva: 7 mandados de prisão preventiva por crimes de receptação, roubo e corrupção de menores

Fonte: Divisão de Capturas e Polícia Interestadual (DCPI) da Polícia Civil do DF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here