“Don Juan” deu prejuízo de R$ 1 milhão a 30 vítimas no DF e Entorno

0

Polícia Civil de Goiás vai pedir a prisão de Raimundo Nonato Silvério. Mulheres contam como eram enganadas

Estelionatário com uma extensa ficha criminal, Raimundo Nonato Silvério, 45 anos, o Don Juan do DF e Entorno, não deve permanecer em liberdade por muito tempo. A Polícia Civil pedirá à Justiça, nos próximos dias, a prisão do golpista, que pode ter causado prejuízo de até R$ 1 milhão para mais de 30 vítimas. O pedido será feito pela Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Valparaíso (GO).

Raimundo Nonato ainda não é considerado foragido porque o inquérito instaurado na Deam ainda será concluído, mas ele deverá ser intimado a depor na especializada. No Distrito Federal, existem dezenas de ocorrências registradas contra o golpista, em pelo menos 10 regiões administrativas, como Gama, Sobradinho, Planaltina e São Sebastião. São casos de ameaça, Lei Maria da Penha e apropriação indébita, além de muitos registros de estelionato.

A onda de golpes rendeu milhares de reais ao criminoso ao iludir apenas uma das vítimas. Uma servidora pública do DF sofreu prejuízo estimado em R$ 320 mil. Aproveitando-se do crédito que ela tinha na praça, o golpista, que disse ser advogado, seduziu a mulher e começou um relacionamento que durou alguns meses.

Em seguida, dizendo que precisava de dinheiro para comprar maquinário para uma suposta empresa de sua propriedade, Raimundo Nonato convenceu a mulher a pedir seguidos empréstimos bancários, com o pretexto de que a pagaria em seguida. Os débitos jamais foram quitados, e o falso advogado desapareceu.

Segundo informações das próprias vítimas, o criminoso manteria uma família em Planaltina, mas estaria passando uma temporada em Goiânia.

Lábia afiada
Outra vítima, uma empresária moradora de Águas Lindas de Goiás, perdeu R$ 100 mil após cair no golpe. Ela conversou com o Metrópoles na tarde de quarta-feira (14/11). A mulher, que possui comércio na cidade, ficou com o nome sujo na praça por conta da ação de Raimundo Nonato.

Ela contou que conheceu o golpista por meio de um site de relacionamentos, e os dois marcaram de se encontrar. O relacionamento evoluiu, e o homem chegou a morar na casa dela.

Ele tem uma grande lábia e consegue iludir quase todo mundo. Carinhoso e educado, esse golpista se faz passar por advogado. Quando percebi, ele já tinha levado boa parte do meu dinheiro

Vítima do Don Juan

O estelionatário chegou a comprar um carro, de R$ 51 mil, no nome da vítima. “Além dos empréstimos bancários e cheque especial, ele também já havia pedido cartões de crédito em meu nome e feito compras exorbitantes”, contou a vítima.

Depois de muita insistência, a empresária conseguiu recuperar o carro e devolvê-lo ao banco. No entanto, as outras dívidas feitas pelo criminoso terão que ser quitadas pela vítima.

Golpe em agiotas
Não foram apenas mulheres que caíram no conto do “Don Juan”. Quando conseguia folhas de cheques das mulheres que seduzia, Raimundo Nonato preenchia os papéis, falsificava as assinaturas e os trocava por dinheiro com agiotas de diversas cidades do DF e do Entorno. Um deles teria levado prejuízo de R$ 50 mil.

Irritados com o golpe, eles costumavam ligar para as donas dos cheques entregues pelo estelionatário. “Recebi ligações de agiotas me ameaçando, mandando eu me virar para quitar as dívidas ou enfrentar as consequências”, relatou outra vítima do golpista, que mora em Valparaíso.

De acordo com a delegada da Deam que investiga o caso, Ísis Santana Leal, as provas apresentadas por cada uma das vítimas ainda estão sendo apresentadas, e o inquérito encontra-se em fase de elaboração. “Devemos relatá-lo nas próximas semanas. Ele ainda será intimado a prestar depoimento e depois poderemos pedir a prisão”, explicou.

Metrópoles tentou contato com o acusado, por meio do número de celular informado em processo ao TJDFT, mas as ligações caem diretamente na caixa de mensagem.

Fonte: Metropolis

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here