Homem espanca mulher, agride PMs e surta ao ser preso em Goiás

0

Polícia Militar foi chamada após denúncia de vizinhos do casal, que ouviram gritos de socorro em condomínio de Valparaíso

PMGO/Reprodução

A Polícia Militar de Goiás (PMGO) prendeu em flagrante, na madrugada desta terça-feira (11/12), um homem enquanto espancava uma mulher, dentro de um apartamento no Condomínio Flores da Serra, em Valparaíso (GO). Vários vizinhos ligaram para a portaria e para o serviço 190, dizendo ter ouvido o barulho das pancadas e que a vítima estava gritando por socorro.

Quando os militares entraram, agredida e agressor foram encontrados deitados na cama. Robison Moreira de Souza estava com o sangue da vítima pelo corpo e ela, com o rosto desfigurado. O homem resistiu à voz de prisão e agrediu os policiais, ferindo a mão de um deles e o braço de outro. Diante da agressividade de Robison, a equipe chamou reforço de mais três viaturas.

O acusado foi contido apenas após a chegada de outros seis militares, que conseguiram imobilizá-lo e algemá-lo, após muita resistência. De acordo com a PM goiana, ele ofereceu R$ 1 mil para dois soldados “aliviarem” a situação e disse que pegaria o dinheiro no Gama. Diante da negativa e do aviso do crime de corrupção, Robison começou a bater a própria cabeça contra a parede (veja vídeo).

A vítima e uma testemunha ficaram com medo da reação e pediram para a equipe não encaminhá-lo para a delegacia, temendo represálias do agressor e da família dele.

Ferimentos
O Corpo de Bombeiros de Goiás foi chamado para prestar socorro, mas a vítima, que teria ingerido bebida alcoólica, também estava agressiva.

Os socorristas orientaram a PM a encaminhá-la diretamente para o Centro Integrado de Operações Policiais (Ciops) de Valparaíso, pois ela negava ser atendida e dava versões desconexas sobre os motivos da agressão. Ela chegou a afirmar ter sido assaltada, caído na rua e se machucado em uma árvore.

No trajeto entre o local do crime e a delegacia, o agressor ameaçou os militares de morte, afirmou que era de família influente na Aeronáutica e na Polícia Civil e acabaria com a carreira dos policiais. Também disse que dois soldados eram “lixo” e perderiam o “salário de fome” de R$ 1.500 para aprenderem a não mexer com ele.

Quando chegaram à delegacia, a vítima atacou a testemunha com um mata-leão e precisou ser algemada. Ela também não colaborou com os exames no Instituto Médico Legal (IML). A médica-legista sugeriu que a mulher procurasse atendimento, pois havia suspeita de fratura na face.

Antecedentes
De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, Robison possui diversas passagens por agressões no âmbito da Lei Maria da Penha, homicídio e receptação. Ele havia sido beneficiado com a progressão para o regime semiaberto referente a uma condenação por assassinato.

Agora, ele responderá por lesão corporal, ameaça, corrupção ativa, desacato e dano qualificado, por ter quebrado o cubículo da viatura com chutes e cabeçadas.

Fonte: Metropolis

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here