BRASÍLIA

Jovem confessa que matou a mãe com mata-leão e deu festa depois

Um jovem de 20 anos teve a prisão preventiva decretava na quinta-feira (7) por suspeita de ter matado a própria mãe com um golpe chamado mata-leão, em Joinville, Santa Catarina. As informações são do UOL.

Albertina Schmitz Tasca, de 61 anos, foi morta na madrugada do último sábado (2) na casa onde morava com o filho, Leonardo Schmitz Tasca, que confessou o crime em depoimento à Polícia Civil.

A morte só foi descoberta na manhã de quarta-feira (6) pela filha mais velha de Albertina, que encontrou o corpo da mãe coberto por um lençol em um banheiro da casa onde residia com a família.

Ela chamou a Polícia Militar e contou que encontrou o corpo trancado dentro de casa, após ter chamado um chaveiro para ajudá-la a abrir o imóvel, já com a suspeita de que algo poderia ter acontecido, uma vez que a mãe estava há cerca de quatro dias sem contatar a família.

A testemunha disse à polícia que haviam sido levadas duas TVs de 50 polegadas da casa, além do carro de Albertina, um Chevrolet Onix. De acordo com os familiares, ela também informou que não havia localizado o irmão que morava com a mãe.

Agentes da Polícia Militar de Joinville encontraram o carro por volta das 16h de quarta, na zona leste da cidade. Quando os policiais tentaram abordar os três ocupantes do carro, eles tentaram fugir dentro de um cemitério. Dois dos suspeitos não tinham relação com a morte de Albertina, o outro era Leonardo, filho da vítima.

De acordo com a PM, o rapaz possui passagens por furto e lesão corporal. Ele confessou o crime aos policiais, dizendo que a matou por asfixia ainda no sábado. Ele também afirmou que após o crime voltou à casa dias depois para buscar alguns pertences.

O relato foi repetido em depoimento ao delegado da Polícia Civil Roberto Petalla Júnior, que o prendeu em flagrante.

“Ele tinha um desentendimento frequente com a mãe, relatado inclusive por testemunhas, no qual ela mantinha sempre a porta do quarto dela trancada quando estava em casa para evitar que ele entrasse lá, porque ela tinha medo dele. O crime ocorreu durante uma dessas discussões”, diz Petalla.

Leia Também:  Integrantes da tropa aliada do governo na Câmara dizem estar surpresos com o adiamento de votação da reforma

O delegado diz que, no depoimento, Leonardo não demonstrou arrependimento e disse que, em determinadas ocasiões, quando fica nervoso, sente uma raiva excessiva, e que o crime aconteceu em um desses momentos.

Depois do crime, segundo a polícia, o rapaz seguiu a vida normalmente e ainda deu festas durante o final de semana para os amigos na residência.

O caso é tratado como homicídio qualificado. “O crime foi por motivo fútil e também tem como agravante a morte por asfixia, a idade da vítima [já idosa], e pela morte se enquadrar num caso de feminicídio, devido ao fato dela ser mulher e o crime ter sido praticado no seio familiar”, diz o delegado.

Fonte: IstoÉ
COMENTE ABAIXO:

Homem corre para fugir do flagrante, mas é detido por tráfico

Publicados

em

Por

Um homem foi detido por tráfico de drogas pelos policiais militares do Grupo Tático Operacional do 13º Batalhão (Gtop 33), às 17h deste sábado (19) na Fercal.
O Gtop 33 foi informado de um tráfico de entorpecente na região. Ao chegar no local, dois indivíduos ao perceberem a presença policial e correram. Um deles foi alcançado pelos policiais, mas antes disso dispensou algumas porções de maconha na varanda da casa.
Nessa mesma varanda foram encontradas 3 balanças de precisão. O indivíduo foi conduzido pra 13°DP e preso em flagrante por tráfico de substâncias entorpecentes.

PMDF

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  A missão espacial que pretende limpar o lixo do Universo
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA