Renato Riella: Bolsonaro deve receber alta amanhã

Os médicos que acompanham o Presidente Bolsonaro descartaram a necessidade de nova cirurgia por conta da obstrução no intestino.

“O Hospital Vila Nova Star informa que o quadro de suboclusão intestinal do Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, se desfez, não havendo indicação cirúrgica. A evolução do paciente clínica e laboratorialmente segue satisfatória e será iniciada hoje uma dieta líquida. Ainda não há previsão de alta”.

Previsto que Bolsonaro receba alta amanhã.

ELEIÇÕES – Presidente Bolsonaro sancionou a lei que regula a propaganda partidária no rádio e na TV, com um veto.

Pelo projeto aprovado, as propagandas partidárias deveriam ser financiadas com compensações fiscais às emissoras. Este trecho foi vetado.

Na justificativa, Bolsonaro diz que a compensação fiscal às emissoras “ofende a constitucionalidade e o interesse público”, por instituir benefício fiscal com consequente renúncia de receita.

Pela nova lei, partidos que não tiverem alcançado o nível de votos da cláusula de barreira eleitoral, prevista na Constituição, não terão direito a inserções.

As regras sobre o tempo de propagandas levam em consideração o tamanho das bancadas na Câmara dos Deputados.
O partido que tiver mais de 20 deputados federais terá direito à utilização de 20 minutos por semestre, para inserções de 30 segundos, nas redes nacionais, e de igual tempo nas emissoras estaduais;
O que tiver entre 10 e 20 deputados federais terá direito à utilização do tempo total de 10 minutos por semestre, para inserções de 30 segundos, nas redes nacionais e nas emissoras estaduais;
No caso do partido que tiver eleito até nove deputados federais serão cinco minutos por semestre, para inserções de 30 segundos nas redes nacionais, e de igual tempo nas redes estaduais.

Os partidos deverão destinar, ao menos, 30% das inserções anuais à participação feminina.

FLURONA – Especialistas calculam que existam hoje centenas de casos de flurona em diversos estados. Este é o nome dado à dupla infecção por influenza (gripe) e Covid-19.
Flurona vem da junção das palavras “flu”, que é gripe em inglês, com parte da palavra “coronavírus”.

Leia Também:  Coreia do Norte não tem casos de coronavírus e intriga o mundo

Influenza e Covid-19 têm causado corrida a hospitais particulares em todo o Brasil. Esperas de mais de duas horas para passar pela triagem, por exemplo, tornaram-se comuns.

BRASIL – São 143.707.365 brasileiros que tomaram a segunda dose ou dose única de vacinas contra Covid-19, o que representa 67,37% da população.
A dose de reforço foi aplicada em 27.334.829 pessoas (12,81%).

Ontem, o Brasil registrou 175 óbitos pela Covid-19, elevando o total a 619.384.

CONSULTA – A maioria das pessoas que responderam à consulta pública sobre a vacinação de crianças de cinco a 11 anos contra a Covid-19 posicionou-se contra a necessidade de receita médica para imunização nessa faixa etária.

A pergunta da consulta foi a seguinte: “Você concorda com a vacinação em crianças de 5 a 11 anos de forma não compulsória conforme propõe o Ministério da Saúde?

RIO – O folião não terá Carnaval de rua no Rio de Janeiro este ano. A decisão foi comunicada pelo Prefeito Eduardo Paes. A motivação é o crescente número de casos de Covid, agora com a variante Ômicron.
Em 2021, também por conta da pandemia, os festejos momescos foram suspensos.

O desfile das escolas de samba na Marquês de Sapucaí está mantido. “Lá conseguimos ter controle”, disse o Prefeito.

MUNDO – Levantamento da Our World In Data apontou novo recorde de casos de Covid-19 no mundo. Os números do dia 3 de janeiro apontam 2,4 milhões de infecções por coronavírus em 24 horas.
Até então, o recorde havia sido registrado em 30 de dezembro de 2021, com 1,95 milhões de casos.

Se os casos de infecções batem recordes, o número de mortes registra patamar muito inferior ao momento mais crítico da pandemia, provavelmente em função da variante ômicron, considerada menos letal.

CNH – Conselho Nacional de Trânsito (Contran) restabeleceu o prazo máximo de 12 meses para conclusão do processo para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), contado a partir de 1º de janeiro de 2022.
O prazo para tirar a CNH estava suspenso por tempo indeterminado, como medida para diminuir os impactos da pandemia.

Leia Também:  Sucessão nas Forças Armadas entra na pauta

GREVE – Tal como a Receita Federal, o sindicato que representa os servidores do Banco Central (Sinal) iniciou movimento de entrega de cargos de chefia.
A categoria também anunciou que aderiu à greve marcada para o dia 18 de janeiro, organizada pelo Fonacate (Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado).

Os servidores pedem reajuste salarial após o Congresso aprovar previsão de reposição apenas para policiais federais.
É desafio que o Presidente Bolsonaro terá quando voltar à ativa.

ITAPEMIRIM – Ministério Público de São Paulo pediu à Justiça a decretação de falência do Grupo Itapemirim, empresa responsável pela Itapemirim Transportes Aéreos (ITA). O pedido foi feito depois que a empresa suspendeu todas as operações, deixando passageiros sem voos.

O Ministério Público solicita o bloqueio de bens e o afastamento do principal sócio da empresa.

ETANOL – Presidente Bolsonaro sancionou com veto o projeto sobre operações de compra e venda de etanol, mas a restrição a um dispositivo não impedirá a comercialização direta por produtores do biocombustível, segundo nota da Presidência da República.

“Visando à adequação quanto à constitucionalidade e ao interesse público, o Presidente da República vetou os dispositivos que tratavam da venda direta e estendiam essa permissão para as cooperativas produtoras ou comercializadoras de etanol”, afirma a nota.

Segundo o comunicado, o veto se deu porque as cooperativas possuem direito às exclusões, que geralmente reduzem a zero a base de cálculo da contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins.

A Presidência destacou que o veto “não impedirá” as operações de venda direta de etanol, uma vez que tal assunto poderá ser normatizado pela reguladora ANP, que já disciplinou essa matéria por meio de resolução.

ECONOMIA – Dólar fechou ontem a R$ 5,69, com alta de 0,48%.
Índice Ibovespa, da Bolsa de Valores, fechou aos 103.514 pontos, com recuo de 0,39%.
Por RENATO RIELLA

COMENTE ABAIXO:

Últimas Notícias

Quer receber as notícias em
primeira mão?

TODOS OS DADOS SÃO PROTEGIDOS CONFORME A LEI GERAL DE
PROTEÇÃO DE DADOS (LGPD).

ENVIAR MENSAGEM
Estamos Online!
Olá
Podemos Ajudar?