BRASÍLIA

BRASIL POLÍTICA

Acusado de usar jato da FAB na campanha de Baleia, Maia já fez 882 voos por nossa conta

Publicados

em

Maia já fez 882 voos em jatos da FAB e agora aproveita para fazer campanha. Foto: Najara Araújo

Bolsonaro denunciou o abuso e acusou Maia de usar FAB na campanha do deputado do MDB

Presidentes de Poder podem requisitar jatinhos da FAB, mas Maia usa a mordomia sem dó: 882 vezes desde que assumiu, segundo dados do Comando da Aeronáutica aos quais esta coluna teve acesso.

Desde dezembro, mês que iniciou o recesso, foram 25 voos. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Aliados de Maia atribuem seu nervosismo à iminente perda da mordomia. Deixando de ser presidente, ele terá de voltar às filas nos aeroportos.

O deputado viajou a São Paulo oito vezes, dede dezembro. Foram três viagens para Rio; uma no Natal e outra no Ano Novo.

Leia Também:  Nada de Europa: saiba para onde irá Temer quando deixar o Planalto

Ele realizou 140 voos com jatinhos da FAB em plena pandemia de 2020. Em 2019 foram 250; em 2018, 198. Em 2017, 211. E em 2016, 79.

Além dos presidentes da Câmara, do Senado e do Supremo, ministros e comandantes militares têm direito de requerer jatos da FAB.

Fonte: Diário do Poder

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL POLÍTICA

Acordo entre PSDB e PSL possibilitou novo “voo” político de Aécio Neves

Publicados

em

Para ficar com comissão de Relações Exteriores, PSDB não vai atrapalhar eleição de Bia Kicis na CCJ

O ressurgimento do deputado Aécio Neves (MG) como forte candidato a presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara não foi uma decisão pessoal, mas um acordo do PSDB com lideranças do PSL para assumir a comissão, hoje presidida por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O preço, entretanto, foi a garantia de não atrapalhar a eleição de Bia Kicis (PSL-DF) como presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O acordo parece não ter agradado Eduardo Bolsonaro, que queria fazer o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) seu sucessor.

Apesar de não ter a maior bancada, o PSL ganha a cobiçada CCJ devido a complicado cálculo de proporcionalidade, que o PSDB não questionará.

Pegos de surpresa, os demais líderes não chegaram a um consenso e a eleição dos presidentes das comissões ficou para a semana que vem.

Leia Também:  Arthur Lira exonera quase 500 comissionados de uma vez

Fonte: Diário do Poder

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA