BRASÍLIA

BRASIL POLÍTICA

Em tom de ameaça, José Dirceu afirma: “Questão de vida ou morte para o país é tirar o Bolsonaro”

Publicados

em

Agora, quem veio à público para incitar a ‘plateia’ foi José Dirceu.

Parece que Dirceu e seu partido não se cansam de querer infundir o pânico e o ódio na população brasileira, na esperança de obter vantagens para o seu partido, promovendo a instabilidade política no país:

“Vivemos uma conjuntura agora que nossa principal tarefa é tirar o Bolsonaro da frente, se for isso mesmo de estarmos caminhando para uma tragédia nacional [..] O que vai mudar é a mobilização popular, porque temos o problema da pandemia. O papel nosso do PT é ser a vanguarda da luta pelo Fora Bolsonaro. É uma questão de vida ou morte para o país é tirar o Bolsonaro”.

O Partido dos Trabalhadores vem passando por tempos difíceis…

A última eleição mostrou claramente o enfraquecimento da legenda, que conquistou apenas 189 das 5.567 do país, e nenhuma nas capitais.

Lamentável, que Dirceu ainda tenha esse poder e essa influência.

É um elemento extremamente perigoso.

Leia Também:  CLDF Saúde assinará convênio com o Sírio-Libanês 

Zé Dirceu representa o que há de mais sofisticado na esquerda e o que há de pior para o país.

Todo cuidado é pouco…

Fonte: Jornal da Cidade On Line

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

BRASIL POLÍTICA

Acordo entre PSDB e PSL possibilitou novo “voo” político de Aécio Neves

Publicados

em

Para ficar com comissão de Relações Exteriores, PSDB não vai atrapalhar eleição de Bia Kicis na CCJ

O ressurgimento do deputado Aécio Neves (MG) como forte candidato a presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara não foi uma decisão pessoal, mas um acordo do PSDB com lideranças do PSL para assumir a comissão, hoje presidida por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

O preço, entretanto, foi a garantia de não atrapalhar a eleição de Bia Kicis (PSL-DF) como presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O acordo parece não ter agradado Eduardo Bolsonaro, que queria fazer o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) seu sucessor.

Apesar de não ter a maior bancada, o PSL ganha a cobiçada CCJ devido a complicado cálculo de proporcionalidade, que o PSDB não questionará.

Pegos de surpresa, os demais líderes não chegaram a um consenso e a eleição dos presidentes das comissões ficou para a semana que vem.

Leia Também:  Vereador preso por suspeita de homicídios pode ser reeleito para 3º mandato

Fonte: Diário do Poder

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA