BRASÍLIA

BRASIL POLÍTICA

Lula, em São Paulo: “Resolveram que era hora de acabar com o PT”

Publicados

em

A Praça da República foi o local escolhido pelos petistas para protestar contra a condenação do ex-presidente da República

  • Rafaela Felicciano/Metrópoles

Após a condenação de Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Federal Regional da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, milhares de manifestantes ocuparam a Praça da República, no centro de São Paulo, para ouvir o discurso do ex-presidente. O petista chegou ao local pouco antes das 19h desta quarta-feira (24/1), cercado de correligionários e apoiadores de partidos de esquerda.

Segundo a organização do evento, cerca de 50 mil manifestantes concentraram-se na Praça da República. Às 20h10, Lula começou a discursar: “Eu nunca tive nenhuma ilusão com a decisão do tribunal, com o comportamento dos juízes na questão da Lava Jato, porque houve um pacto entre o Poder Judiciário e a imprensa, e resolveram que era hora de acabar com o PT”.

O petista disse ainda que a elite não aceitou o governo do PT, o qual popularizou a educação para as camadas menos favorecidas da população e promoveu ascensão social das classes D e E.

Leia Também:  Namorada de Lula deixa Itaipu e abre mão de R$ 20 mil por mês

Lula disse ainda que o discurso na noite desta quarta não se tratava de “um ato de eleição, mas um ato em defesa da soberania nacional”, e fez uma projeção catastrófica para a população: “Tudo tende a piorar quando eles consagrarem a reforma da Previdência”.

“Me deem o apartamento, porra!”
O ex-presidente ainda ironizou a condenação na Justiça Federal.

Fui condenado outra vez pela desgraça de um apartamento que eu não tenho. Se eu fui condenado, que me deem o apartamento, porra! Me deem a escritura. Já que é meu, vamos ocupar esse apartamento

Luiz Inácio Lula da Silva

Segundo Lula, “tudo o que estão fazendo é para evitar que eu seja candidato, mas tudo isso me deu uma ‘coceirinha’. Agora estou com vontade de ser candidato à Presidência da República”.

No fim do discurso, por volta das 20h30, ao lembrar que na segunda-feira (29) viajará à África, o ex-presidente disse: “queria mandar um recado à elite: nós vamos voltar”. Em seguida, os manifestantes saíram em marcha, rumo à Avenida Paulista.

Condenação
À tarde, a 8ª Turma do TRF-4 decidiu, por unanimidade, manter a condenação do ex-presidente pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, estipulada em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, no caso do triplex do Guarujá (SP).

Leia Também:  Em entrevista, Bolsonaro defende o MEC e chora ao mostrar cicatriz

Antes de Lula se pronunciar, discursaram petistas como a presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, o senador Lindbergh Farias, o ex-chanceler Celso Amorim e o ex-senador Eduardo Suplicy. Todos confirmaram Lula como o pré-candidato do PT à Presidência da República este ano – seguindo orientação partidária – e reafirmaram que não há provas para a condenação do correligionário.

Apoiadores de outros partidos de esquerda, como PCO, PSol e PCdoB, falaram em “rasgar” a sentença contra Lula.

Antes dos discursos, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) distribuía bonés, camisetas e bandeiras aos manifestantes que chegavam ao local.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

BRASIL POLÍTICA

Após sinalização de interferência de Bolsonaro, ações da Eletrobras valorizam 23% na semana

Publicados

em

Ações da Eletrobras valorizam 23% na semana, mas não se falou em ‘interferência’

Bolsonaro sinalizou interferência, e o papel da Eletrobrás saltou de R$27,04, na segunda, para R$33,83 na quinta

A estatal federal Eletrobrás valorizou 23% esta semana, mesmo após o presidente Jair Bolsonaro avisar que iria interferir no setor elétrico, mas ninguém atribuiu a essa atitude a valorização expressiva da estatal de energia.

No início da semana, o papel da Eletrobrás era vendido a R$27,04 e, nesta quinta (25), registrava valorização de 23%, cotada a R$33,83. O dedo presidencial, no setor elétrico, afinal só gerou lucros. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O gesto do presidente de levar ao Congresso a medida provisória que deflagra a privatização da Eletrobrás ajudou a valorizar suas ações.

A MP 1031 (Eletrobrás) teve objetivos vitais para o êxito do governo. Um deles foram os grandes investidores privados, nacionais e internacionais.

A MP também é uma investida contra aumentos tão cruéis quanto os dos combustíveis: só em 2021, o povo amarga alta de 13% na conta de luz.

Leia Também:  Liderança de Gleisi Hoffmann cada vez mais contestada no PT

Confiar ao BNDES os estudos para privatizar a Eletrobrás gerou alívio. A pior escolha seria entregar a tarefa ao corporativismo dos eletrocratas.

Fonte: Diário do Poder

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA