Proposta proíbe órgãos públicos de exigir a motivação e o interesse dos autores do pedido de informações

31/08/2021 – 15:44  

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Adriana Ventura, autora da proposta

O Projeto de Lei 2063/21 determina que, nos requerimentos para obtenção de certidões para defesa de direitos e esclarecimento de situações, serão vedadas quaisquer exigências sobre motivos determinantes, fins ou razões do pedido.

A proposta em discussão na Câmara dos Deputados altera a Lei 9.051/95, que regulamenta esse tipo de solicitação e atualmente exige que os interessados apresentem esclarecimentos relativos a motivos, fins e razões de cada pleito.

“O direito de obter certidões nos órgãos públicos para a defesa de direitos e o esclarecimento de situações é um direito fundamental previsto na Constituição e está intrinsecamente relacionado ao dever de prestação de contas exigido de qualquer gestor público”, disse a autora, deputada Adriana Ventura (Novo-SP).

“Entretanto, a legislação sobre o assunto atualmente configura uma inversão da lógica do dever constitucional de prestação de contas e, no caso de pedidos que busquem informações para defesa de direitos dos próprios requerentes, viola o direito fundamental à ampla defesa”, continuou a parlamentar.

Leia Também:  Queiroga, Pazuello, Araújo e mais 11 passam à condição de investigados na CPI

Segundo Adriana Ventura, a Lei de Acesso à Informação já proíbe as exigências quanto aos motivos para solicitação de informações de interesse público. “A proposta é fruto de uma sugestão da ONG Fiquem Sabendo, uma agência independente especializada na Lei de Acesso à Informação”, destacou.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Geórgia Moraes

Câmara Federal

COMENTE ABAIXO:

Últimas Notícias

Quer receber as notícias em
primeira mão?

TODOS OS DADOS SÃO PROTEGIDOS CONFORME A LEI GERAL DE
PROTEÇÃO DE DADOS (LGPD).

ENVIAR MENSAGEM
Estamos Online!
Olá
Podemos Ajudar?