As investigações sobre a morte da psicóloga Maria Flávia Camoleze, em Assis (SP), apontam que o motorista do carro em que ela estava como passageira, o dentista Murilo Almeida Machado, de 24 anos, disputava um racha antes de perder o controle do veículo e bater no pilar de um estabelecimento comercial no dia 1º de maio. As informações são do G1.

O inquérito da Polícia Civil foi concluído nesta segunda-feira (10) e o delegado responsável pelo caso, Marcelo Armstrong Nunes, pediu a prisão preventiva de Murilo por homicídio doloso, por ter assumido o risco de matar, com agravante por embriaguez e disputa ilegal no trânsito. O pedido será analisado pela Justiça.

Murilo chegou a ser preso em flagrante no dia do acidente por apresentar sinais de embriaguez, mas foi liberado após pagar fiança de R$ 7,7 mil.

Conforme o delegado, a polícia encontrou imagens do dentista consumindo bebidas alcoólicas horas antes do acidente. Câmeras de segurança também registraram os dois veículos em alta velocidade em uma das principais avenidas da cidade. “Os dois carros estão claramente disputando como é vulgarmente conhecido um racha”, explicou Nunes ao G1.

Leia Também:  Mãe de Gael diz não se lembrar da morte do menino

Relembre o caso

A psicóloga Maria Flávia Camoleze, de 26 anos, morreu após um acidente de carro na madrugada do último dia 1º, em Assis (SP).

Maria Flávia, que estava no banco do passageiro, foi socorrida e levada para o Núcleo de Atendimento Referenciado (NAR). No entanto, ela não resistiu aos graves ferimentos e morreu. Já o motorista teve ferimentos leves e foi levado a um hospital da cidade.

Uma câmera de segurança flagrou o momento em que o veículo bateu em um prédio comercial, após ultrapassar outro automóvel pela direita e não conseguir fazer uma curva. Os dois carros estavam em alta velocidade.

ASSISDENTISTAMARIA FLÁVIA CAMOLEZEMORTEMOTORISTAMURILO ALMEIDA MACHADOPSICÓLOGARACHA

Leia Também:  Operação apura fraudes no de R$ 2,5 bilhões no sistema financeiro
Fonte: IstoÉ