BRASÍLIA

BRASIL DIVERSOS

Troller pode mudar para o Porto de Pecém devido ao grafeno

Troller pode mudar para o Porto de Pecém devido ao grafeno

As negociações para venda da Troller estão ao nível avançado e parece que o potencial comprador já pensa em centralizar suas operações no Ceará. Contudo, para isso será necessário a transferência da fábrica de veículos para o Porto de Pecém.

A chamada Zona de Processamento de Exportação (ZPE) pode receber a fábrica da Troller, que hoje fica em Horizonte. O motivo é que o grupo industrial paulista, interessado na montadora brasileira, é ligado à produção de pás eólicas.

O interesse na ZPE é devido a facilidade para instalação de uma linha de produção de grafeno, que é extraído da grafita, um minério encontrado na região de Aracoiaba, no Maciço de Baturité, bem como na região do Baixo Jaguaribe.

O grafeno seria produzido na mesma planta, pelo que se pode entender da informação, para aplicação em torres de aerogeradores, que sustentam as enormes pás de usina eólica, fabricadas pela empresa no interior paulista.

VEJA TAMBÉM:

Troller pode mudar para o Porto de Pecém devido ao grafeno

Executivos dessa empresa se reuniram com autoridades do Ceará para estudar a possibilidade de transferência da Troller para o ZPE, o que centralizaria a operação de grafeno e produção de jipes.

Leia Também:  Salão de São Paulo cresce e ganha importância no cenário mundial

Entretanto, a Troller deverá fazer mais que o T4. Fala-se em produção de veículos elétricos no Porto de Pécem, o que ampliaria o negócio e permitiria sua exportação e a cabotagem para abastecer mercados do Sul e Sudeste.

Sobre os carros elétricos, nada se sabe sobre o empreendimento do grupo, mas com a produção de grafeno, que permite fabricar um aço muito mais leve que o tradicional e 100 vezes mais forte, ele poderia ser usado em parte para fazer carros.

Para um Troller T4, usar grafeno não seria tão impactante, porém, imagine para um carro elétrico avançado com células de energia robustas… Isso permitiria reduzir enormemente o peso desse tipo de automóvel. Por ora, no entanto, aguarda-se a definição de venda da marca brasileira ainda este mês.

[Fonte: Diário do Nordeste]

AUTOMOTIVO

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

BRASIL DIVERSOS

Hyundai Ioniq virá ao Brasil com preço competitivo, diz jornal

Publicados

em

Por

Hyundai Ioniq virá ao Brasil com preço competitivo, diz jornal

A CAOA venceu a disputa com a Hyundai pela representação no Brasil, o que lhe garante a exclusividade de importação e também a produção de parte do portfólio da marca sul-coreana no país.

Tendo conseguido garantir mais uma década com a Hyundai, a CAOA promete trazer novos carros da marca para o mercado nacional e um deles é um velho namoro, o híbrido Ioniq, de acordo com o jornal Estadão.

Hyundai Ioniq virá ao Brasil com preço competitivo, diz jornal

Apresentado ao público brasileiro no Salão do Automóvel de 2016, o Ioniq é um rival confesso do Toyota Prius e quer iniciar a eletrificação da Hyundai por aqui. Estima-se que o preço ficará em torno de R$ 180 mil. Menos que os R$ 190,5 mil do japonês.

VEJA TAMBÉM:

O Ioniq, embora rival do Prius, é um pouco menor, mas segue a risca o que o japonês em muitos aspectos, especialmente na carroceria de estilo liftback, embora mais simples que o Toyota.

Hyundai Ioniq virá ao Brasil com preço competitivo, diz jornal

Ele também tem uma versão plug-in, mas leva a vantagem de ter uma opção 100% elétrica. No que a CAOA deve estar planeja, a versão que virá, será a híbrida comum, com motor 1.6 Kappa II GDi com 106 cavalos e 15 kgfm.

Leia Também:  Carro elétrico nem bem chegou e já está em cemitério na China

No Ioniq, ele trabalha com um motor elétrico de 43 cavalos, com mais 17,2 kgfm, garantindo assim que o modelo tenha potência combinada de 141 cavalos e torque de 26,9 kgfm. A transmissão é de dupla embreagem com seis marchas.

Contudo, assim como o Prius, o Hyundai Ioniq é abastecido somente com gasolina e não se sabe se a marca introduzirá a tecnologia flex nesse caso, ainda mais pelo motor Kappa II 1.6 GDi ser bem específico do híbrido.

Hyundai Ioniq virá ao Brasil com preço competitivo, diz jornal

Na Toyota, mesmo com o Corolla e o Corolla Cross usando a propulsão híbrida do Prius, este último não é flex como os companheiros nacionais. A marca, é claro, poderia reagir ser a Hyundai decidisse por um Ioniq Hybrid Flex.

Fora o Ioniq, devemos esperar pela nova geração do Elantra, assim como dos Tucson e Santa Fé mais recentes. Outro que deve chegar é a picape Santa Cruz, produzida nos EUA.

Hyundai Ioniq 2022 – Galeria de fotos

[Fonte: Estadão]

AUTOMOTIVO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA