BRASÍLIA

DISTRITO FEDERAL II

Brasília é o mais novo destino turístico inteligente do Brasil

Cidade está alinhada a projeto-piloto do Ministério do Turismo, que selecionou destinos para apoio no desenvolvimento e na competitividade

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: RENATA LU
Com a pandemia, 11 milhões de brasileiros que viajavam para o exterior, agora, estão aproveitando para conhecer melhor o próprio país| Foto: Museu da República – Divulgação/Setur

Brasília é o mais novo Destino Turístico Inteligente do Brasil. A indicação foi concedida pelo Ministério do Turismo (MTur), durante videoconferência conduzida pelo ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, nesta semana. A chancela já foi concedida a nove cidades – de um total de 10 – que integrarão um projeto-piloto com o objetivo de aumentar o desenvolvimento e a competitividade entre os destinos turísticos, fortalecendo os pilares de governança, inovação, tecnologia, sustentabilidade e acessibilidade.

“Essa iniciativa vai ampliar ainda mais a competitividade dos destinos da nossa capital, além de melhorar a eficiência dos processos de comercialização e de desenvolvimento sustentável locais, gerar economia e renda. E o mais importante: melhorar a experiência dos turistas”Vanessa Mendonça, secretária de Turismo

Ao todo, duas capitais representando cada uma das cinco regiões do Brasil participarão do projeto-piloto: Rio Branco/AC e Palmas/TO (Norte); Recife/PE e Salvador/BA (Nordeste); Campo Grande/MS e Brasília/DF (Centro-Oeste); Florianópolis/SC e Curitiba/PR (Sul); e Rio de Janeiro/RJ (Sudeste). A décima cidade será anunciada em breve, após análise de procedimentos e especificidades regionais.

“Essa iniciativa vai ampliar ainda mais a competitividade dos destinos da nossa capital, além de melhorar a eficiência dos processos de comercialização e de desenvolvimento sustentável locais, gerar economia e renda. E o mais importante: melhorar a experiência dos turistas”, destaca Vanessa Mendonça, secretária de Turismo do DF.

Leia Também:  Itapoã poderá ser um dos quatro Polos das Unidades das Administrações Regionais

Essa é a primeira vez que o país terá uma política pública para promoção de Destinos Turísticos Inteligentes (DTI). Surge como uma grande oportunidade de mudar a realidade do turismo, especialmente em relação ao turista internacional que chega ao Brasil, e claro, em relação aos brasileiros. Com a pandemia, 11 milhões de brasileiros que viajavam para o exterior, agora, estão aproveitando para conhecer melhor o próprio país.

“O desafio é fidelizá-los para que, cada vez mais, o brasileiro se orgulhe do seu país e viaje dentro dele”, ressaltou o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

“O desafio é fidelizá-los para que, cada vez mais, o brasileiro se orgulhe do seu país e viaje dentro dele”Gilson Machado Neto, ministro do Turismo

Destinos Inteligentes

Em janeiro deste ano, o Ministério do Turismo firmou parceria com o instituto argentino Ciudades Del Futuro (ICF), com a Sociedade Mercantil Estatal para a Gestão da Inovação e as Tecnologias Turísticas (SEGITTUR), da Espanha, e instituições pioneiras no segmento.

A iniciativa envolve, além do desenvolvimento de uma metodologia adaptada à realidade brasileira para o desenvolvimento de Destinos Turísticos Inteligentes, a realização de um diagnóstico situacional dos destinos que farão parte do projeto e a capacitação de gestores federais e locais.

Está previsto ainda, o acompanhamento da implementação das soluções relacionadas à eficiência na governança; a correta utilização de recursos públicos; o respeito às normas de acessibilidade e aos princípios de sustentabilidade e, também, a utilização da tecnologia a favor da valorização dos destinos e seus patrimônios, ao mesmo tempo em que as demandas dos turistas e visitantes sejam atendidas.

Leia Também:  Ação contra febre amarela começa pelo bairro São José

Tecnologia no turismo do DF

Antes mesmo da nova realidade imposta pela pandemia da covid-19, a Secretaria de Turismo (Setur-DF) já estava à frente e conectada com a tecnologia, um dos pilares trabalhados nas ações dos Destinos Turísticos Inteligentes.

Jornada nos passos de Juscelino

A Setur-DF desenvolveu ferramentas que levam os visitantes a um passeio pelos monumentos e pontos turísticos da cidade de uma maneira totalmente virtual. Por meio de um catálogo de rotas acessíveis pela plataforma Google Earth é possível conhecer 80 pontos turísticos mapeados por temas – Rota Cívica, Rota Arquitetônica, Rota Cultural, Rota Náutica, Rota do Cerrado, Rota da Paz e Rota Fora dos Eixos.

Em outra experiência, a capital, que é reconhecida pelo Ministério Público como um dos destinos turísticos tendência em 2021, será pioneira no projeto Realidade Virtual. Em breve, nossos visitantes poderão vivenciar a arquitetura e o urbanismo da cidade utilizando apenas o celular, computador ou óculos de realidade virtual. A ação foi criada pela Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial da Humanidade (OCBPM), em parceria com a Caixote Histórias Imersivas, e será tema de uma webserie com episódios sobre os 23 Patrimônios Culturais e Naturais Mundiais reconhecidos pela Unesco no Brasil.

*Com informações da Secretaria do Turismo

Fonte: Agência Brasilia

COMENTE ABAIXO:

DISTRITO FEDERAL II

Detran-DF lança o emplacamento totalmente digital

Publicados

em

Por

O Primeiro Emplacamento Inteligente – PEI de veículos zero km acontece diretamente na concessionária, sem a interferência de terceiros

(Brasília, 17/6/2021) O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) lança mais uma inovação para facilitar o dia a dia do cidadão. A novidade é para quem adquirir veículo zero km: o Primeiro Emplacamento Inteligente – PEI, e foi publicada nesta quinta-feira (17), no Diário Oficial do DF, por meio da Instrução nº 350, de 16 de junho de 2021.

Seguindo a evolução tecnológica implementada pelo Detran Digital, o PEI consiste no registro simplificado e imediato, no sistema do Departamento, de veículos novos adquiridos junto a concessionárias no âmbito do Distrito Federal.

De acordo com o diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia, as inovações tecnológicas implementadas têm promovido agilidade e desburocratização na relação entre a Autarquia, cidadãos, empresas e outras entidades.

No caso do PEI, a concessionária participante irá informar ao Detran, via sistema, os dados pessoais do comprador, o chassi do veículo e informações do contrato de financiamento, se houver.

Automaticamente, serão gerados o número da placa do veículo e o Certificado de Registro e Licenciamento Eletrônico – CRLV-e.

“A partir de agora, quem compra carro zero, por exemplo, já sai da loja com o veículo registrado, com o CRLV-e disponível no aplicativo Detran Digital e com o número da placa. E o principal: sem a intervenção de terceiros e sem custos a mais para o consumidor”, destaca o diretor.

Custos

Segundo o diretor-geral, as concessionárias deverão recolher somente as taxas de serviços relacionadas ao registro de veículo zero Km, à consulta à base de dados nacional e à autorização de estampagem da placa.

Como aderir ao PEI

As concessionárias interessadas em oferecer a facilidade do emplacamento digital aos seus clientes devem ser legalmente constituídas e registradas no âmbito do Distrito Federal. Para fazer a adesão ao PEI, é necessário apresentar a documentação exigida na Instrução nº 350, conforme a relação abaixo, nas unidades do Detran que possuem o serviço do protocolo:

I – Termo de Adesão ao Programa 1º Emplacamento Inteligente – PEI, na forma do Anexo I, assinado pelo representante legal da empresa, mediante

reconhecimento de firma ou assinatura eletrônica.

II – contrato social da entidade registrado na Junta Comercial do Distrito Federal;

III – cartão do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ;

IV – alvará de funcionamento com data de validade em vigor;

V – identidade e/ou documento equivalente do responsável pela empresa; e

VI – prova de regularidade fiscal, trabalhista e previdenciária, mediante respectiva certidão com data de validade em vigor;

A empresa que atender aos requisitos será considerada apta e terá direito a até duas autorizações de acesso ao sistema informatizado do Detran, válidas por 12 meses, podendo ser renovadas, desde que comprovadas as exigências definidas acima.

O planejamento é que, em breve, as transações digitais estejam disponíveis também na relação de transferência de veículos usados entre pessoas físicas.

Detran-DF

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  O que abre e o que fecha no feriado de Corpus Christi
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA