BRASÍLIA

DISTRITO FEDERAL II

Vacinas chegam com definição de grupos para atendimento

A cada remessa de vacinas que a Secretaria de Saúde recebe da União, uma nota técnica orientando sobre o uso do insumo direciona o quantitativo de vacinas que determinados públicos-alvo receberão. Como exemplo, as 47.250 doses da vacina AstraZeneca, recebidas na manhã desta quarta-feira (9), vieram com a orientação para uso como primeiras doses.

“As doses chegam acompanhadas de uma nota técnica enviada pelo Ministério da Saúde, com orientações acerca dos grupos prioritários que devem ser atendidos. Depois disso, o Comitê de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 no DF se reúne para discutir a ampliação da vacinação de acordo com as doses que chegam”, explica a chefe do Núcleo da Rede de Frio, Tereza Luiza Pereira.

Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF
As doses são recebidas na Rede de Frio Central e são distribuídas para as Regiões de Saúde, que as encaminham para os pontos de vacinação de sua região para atender ao público que deve buscar a dose | Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

As doses recebidas na Pfizer/BioNTech na última segunda-feira (7), e a remessa da AstraZeneca recebida nesta quarta (9), já estão com a programação concluída para atendimento dos grupos de Comorbidades e Pessoas com Deficiência Permanente, Trabalhadores de Educação do Ensino Básico, forças de segurança e salvamento, Forças Armadas e funcionários do sistema de transporte aeroportuário. Desta forma, será possível também ampliar a faixa etária.

Leia Também:  CDDF: Quem é VIVI DOURADO (21964), candidata a conselheira tutelar - Cruzeiro

“Cada dose tem o destino certo para os brasilienses. Todo o planejamento da vacinação é feito e calculado baseado na estimativa populacional do público alvo vigente. Por isso, após cada chegada de vacina o Comitê se reúne para decidir e planejar a estratégia de vacinação que será implantada”, destaca Tereza Luiza Pereira.

Fluxo

Primeiro as doses são recebidas na Rede de Frio Central e depois são distribuídas para as Regiões de Saúde, que, por sua vez, as encaminham para os pontos de vacinação de sua região para atender ao público estimado que deve buscar a dose nesses pontos.

“O agendamento tem possibilitado uma vacinação de forma mais planejada. No entanto, o que tem observado é que as pessoas estão agendando as doses, mas não estão indo buscar a vacina, ou até chegam no posto, mas não querem a vacina que está disponível. Por isso, para dar celeridade ao processo vacinal, o prazo aberto para que a pessoa que agendou retorne à unidade foi diminuído para cinco dias”, destaca o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

Nas últimas semanas têm-se observado ainda que o público de comorbidades e de pessoas com deficiência está realizando pouco agendamento. O Ministério da Saúde envia as doses para cada público de acordo com a estimativa populacional do Distrito Federal para cada grupo. Na semana passada foi aberto o agendamento de pessoas com deficiência sem cadastro no BPC, a estimativa é que esse público no DF seja de 80 mil pessoas. Para esta primeira fase de atendimento deste público foram destinadas 15 mil doses. No entanto, somente 3,5 mil realizaram o agendamento.

Leia Também:  TJDFT escolhe novo presidente da Corte nesta sexta-feira

Com a possibilidade pelo Ministério da Saúde, por meio de uma Nota Técnica, de que estados com baixa procura possam avançar nas idades, o DF adotou a estratégia de, considerando a baixa procura dos grupos vigentes, remanejar as doses para a população em geral abaixo de 59 anos. Com isso, hoje as pessoas de 59 e 58 anos já podem agendar suas vacinas. Enquanto isso, os demais grupos para quem o Ministério da Saúde está enviando as doses continuam também sendo atendidos.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Agência Brasília

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DISTRITO FEDERAL II

Detran-DF lança o emplacamento totalmente digital

Publicados

em

Por

O Primeiro Emplacamento Inteligente – PEI de veículos zero km acontece diretamente na concessionária, sem a interferência de terceiros

(Brasília, 17/6/2021) O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) lança mais uma inovação para facilitar o dia a dia do cidadão. A novidade é para quem adquirir veículo zero km: o Primeiro Emplacamento Inteligente – PEI, e foi publicada nesta quinta-feira (17), no Diário Oficial do DF, por meio da Instrução nº 350, de 16 de junho de 2021.

Seguindo a evolução tecnológica implementada pelo Detran Digital, o PEI consiste no registro simplificado e imediato, no sistema do Departamento, de veículos novos adquiridos junto a concessionárias no âmbito do Distrito Federal.

De acordo com o diretor-geral do Detran-DF, Zélio Maia, as inovações tecnológicas implementadas têm promovido agilidade e desburocratização na relação entre a Autarquia, cidadãos, empresas e outras entidades.

No caso do PEI, a concessionária participante irá informar ao Detran, via sistema, os dados pessoais do comprador, o chassi do veículo e informações do contrato de financiamento, se houver.

Automaticamente, serão gerados o número da placa do veículo e o Certificado de Registro e Licenciamento Eletrônico – CRLV-e.

“A partir de agora, quem compra carro zero, por exemplo, já sai da loja com o veículo registrado, com o CRLV-e disponível no aplicativo Detran Digital e com o número da placa. E o principal: sem a intervenção de terceiros e sem custos a mais para o consumidor”, destaca o diretor.

Custos

Segundo o diretor-geral, as concessionárias deverão recolher somente as taxas de serviços relacionadas ao registro de veículo zero Km, à consulta à base de dados nacional e à autorização de estampagem da placa.

Como aderir ao PEI

As concessionárias interessadas em oferecer a facilidade do emplacamento digital aos seus clientes devem ser legalmente constituídas e registradas no âmbito do Distrito Federal. Para fazer a adesão ao PEI, é necessário apresentar a documentação exigida na Instrução nº 350, conforme a relação abaixo, nas unidades do Detran que possuem o serviço do protocolo:

I – Termo de Adesão ao Programa 1º Emplacamento Inteligente – PEI, na forma do Anexo I, assinado pelo representante legal da empresa, mediante

reconhecimento de firma ou assinatura eletrônica.

II – contrato social da entidade registrado na Junta Comercial do Distrito Federal;

III – cartão do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica – CNPJ;

IV – alvará de funcionamento com data de validade em vigor;

V – identidade e/ou documento equivalente do responsável pela empresa; e

VI – prova de regularidade fiscal, trabalhista e previdenciária, mediante respectiva certidão com data de validade em vigor;

A empresa que atender aos requisitos será considerada apta e terá direito a até duas autorizações de acesso ao sistema informatizado do Detran, válidas por 12 meses, podendo ser renovadas, desde que comprovadas as exigências definidas acima.

O planejamento é que, em breve, as transações digitais estejam disponíveis também na relação de transferência de veículos usados entre pessoas físicas.

Detran-DF

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Goudim Carneiro filia-se ao PMB e será o pré-candidato ao GDF pelo partido
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA