BRASÍLIA

DISTRITO FEDERAL I

Deputada do DF protocola pedido de informações sobre tortura a Rodrigo Pilha

Reprodução

A Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara também pediu o Ministério Público instaure investigação; Pilha foi preso no dia 18 de março e foi espancado e torturado na prisão e tem dormido no chão desde quando foi privado de sua liberdade

Reprodução

Ao tomar conhecimento, a partir da reportagem da Revista Fórum, sobre a tortura a qual Rodrigo Pilha foi vítima, a deputada distrital Arlete Sampaio (PT) protocolou, nesta sexta-feira (30), requerimento pedindo informações sobre a situação de Rodrigo Pilha à Secretaria de Segurança Pública e outro para a Secretaria de Administração Penitenciária.

No documento, Sampaio afirma que a “prática de tortura, bem como a prisão por perseguição política são absolutamente repudiadas pelo ordenamento jurídico brasileiro” e também ressalta a “previsão constitucional vigente no país que estabelece no art. 5º, III, que ‘ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante”.

Na ação protocolada, é pedido acesso à cópia de todo o depoimento e processo judicial decorrente da prisão de Rodrigo Pilha; acesso à cópia de todos os documentos e relatórios administrativos relacionados ao cumprimento de pena; acesso identificação dos agentes policiais penais e responsável pelo recebimento de Rodrigo Pilha; e que indique informações acera da existência de possível e necessária investigação policial dos agentes policiais “envolvidos na denúncia de prática de tortura” contra Rodrigo Pilha.

Leia Também:  Renovado acordo com creche do Guará

Comissão de Direitos Humanos da Câmara pede apuração imediata de denúncia de tortura contra Pilha na prisão

A Presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados (CDHM) solicitou, nesta sexta-feira (30), que o Ministério Público do Distrito Federal instaure uma investigação imediata da denúncia de tortura contra Rodrigo Pilha no Centro de Detenção Provisória II de Brasília.

A Fórum revelou nesta quinta-feira (29) que o militante, preso no dia 18 de março com base na Lei de Segurança Nacional, após participar de manifestação política contra o presidente Jair Bolsonaro, foi agredido por policiais penais com chutes, pontapés e murros dentro da prisão.

A reportagem da Fórum sobre o Pilha está irretocável, diz Érico Grassi, seu irmão

Em entrevista ao Fórum Onze e Meia, realizada nesta sexta-feira (30) o irmão de Rodrigo Pilha, Erico Grassi comentou sobre a prisão de seu irmão e afirmou que as “vias técnicas e jurídicas não estão dando em absolutamente nada” e que ele “não teve nenhum benefício concedido”

“A família sabia dessas violações já há muito tempo. Aqueles meus desabamentos nas lives e entrevistas não era só pela situação da detenção dele, ele estava tendo os seus direitos violados. Que bom que já surtiu algum efeito institucional. Indo pelas vias técnicas e jurídicas a gente não está avançando em absolutamente nada. O Rodrigo não teve nenhum benefício concedido pra ele até agora”.

Leia Também:  Alunas de escola no DF são suspensas por dançarem funk seminuas

Pilha foi espancado e torturado na prisão

Rodrigo Pilha, preso no dia 18 de março por estender uma faixa chamando o presidente Jair Bolsonaro de genocida, foi espancado e torturado na prisão e tem dormido no chão desde quando foi privado de sua liberdade. Ou seja, há exatos 41 dias.

Durante os últimos dias o blogue conversou com diversas pessoas que têm proximidade com Pilha que não pode dar entrevistas e confirmou a informação que já havia sido publicada sem maiores detalhes num tuíte por Guga Noblat.

A recepção de Pilha foi realizada com crueldade. Ele recebeu chutes, pontapés e murros enquanto ficava no chão sentado com as mãos na cabeça. Enquanto Pilha estava praticamente desmaiado, o agente que o agredia, e do qual a família e advogados têm a identificação, perguntava se ele com 43 anos não tinha vergonha de ser um vagabundo petista. E dizia que Bolsonaro tinha vindo para que gente como ele tomasse vergonha na cara.

Fonte: https://revistaforum.com.br/noticias/deputada-do-df-protocola-pedido-de-informacoes-sobre-tortura-a-rodrigo-pilha/#

COMENTE ABAIXO:

DISTRITO FEDERAL I

Hospital oftalmológico de Brasilia chega ao Jardim Botânico

Publicados

em

Por

UNIDADE DO HOB FUNCIONARÁ DENTRO DO NOVO HJB

Referência em saúde ocular na capital federal, o Hospital Oftalmológico de Brasília – uma empresa do Grupo Opty – se prepara para a inauguração de mais um espaço de atendimento, dessa vez no Jardim Botânico. O novo HOB inicia suas atividades às 19h do dia 17 de junho, dentro do Hospital Jardim Botânico (HJB) – Hospital Dia, oferecendo consultas, exames e cirurgias oftalmológicas. A nova unidade vem atender a uma demanda de aproximadamente 300.000 habitantes residentes no Jardim Botânico, Lago Sul, Paranoá, São Sebastião, Mangueiral, Itapoã e entorno.  “É uma honra ter um parceiro da importância do grupo Opty, sobretudo com uma marca com o reconhecimento do HOB, não só no Distrito Federal, mas no Brasil. Estamos falando de um dos maiores e mais respeitados grupos oftalmológicos do país. Sem dúvida, é uma ocasião expressiva, não só para o Jardim Botânico, mas também para toda a população da região leste do DF”, ressalta Mauro Hueb, CEO do HJB.

Segundo o diretor clínico do HJB, Dr. Flávio Hueb, para o atendimento oftalmológico, o hospital terá um centro cirúrgico com duas salas com equipamentos de última geração para o atendimento de Oftalmologia Geral, Catarata, Glaucoma, Retina, Plástica Ocular e Oftalmopediatria. “Estamos preparados para realizar uma vasta gama de cirurgias, como catarata, pterígio, pálpebras, dentre outras. A ideia é trazer mais um serviço de excelência, além de conforto e praticidade no cotidiano dos pacientes que moram nessa parte da cidade”, afirma o médico. “O HOB é uma grande família e queremos que todos em Brasília tenham acesso a essa família. Nesse momento de pandemia, o paciente pode ter a experiência HOB no seu bairro, com toda a segurança, sem precisar se deslocar até o Plano Piloto para receber um atendimento de alta qualidade”, observa o oftalmologista Dr. Takashi Hida, médico sócio do Hospital Oftalmológico de Brasília.

Leia Também:  Renovado acordo com creche do Guará

A chegada da operação do HOB no Jardim Botânico coincide com a transição do Centro Clínico Jardim Botânico para a condição de Hospital-dia, oferecendo consultas, exames, pequenos procedimentos, exames laboratoriais e cirurgias ambulatoriais. São mais de 15 especialidades incluindo oftalmologia, psiquiatria, psicologia, odontologia e procedimentos dermatológicos. Para Raul Fernandes Marinheiro Neto, Diretor Regional Centro Oeste – Grupo Opty, esse é um passo importante e uma forma inteligente de expandir o HOB. “Até então, tínhamos unidades estritamente focadas em oftalmologia e, com essa parceria e compondo um conceito de centro médico completo, nos aliamos a um empreendimento de sucesso, criado pelo Mauro e o Dr. Flávio Hueb na região.  Acreditamos que, além da comodidade para o brasiliense, reunir diversas especialidades e serviços médicos gera uma sinergia de negócio onde todas as partes envolvidas ganham, a Opty, o HJB, os médicos e, principalmente, os pacientes”, finaliza o executivo.

Sobre o Opty

O Grupo Opty nasceu em abril de 2016, a partir da união de médicos oftalmologistas apoiados pelo Pátria Investimentos, que deu origem a um negócio pioneiro no setor oftalmológico do Brasil. O grupo aplica um novo modelo de gestão associativa que permite ampliar o poder de negociação, o ganho em escala e o acesso às tecnologias de alto custo, preservando a prática da oftalmologia humanizada e oferecendo tratamentos e serviços de última geração em diferentes regiões do País. No formato, o médico mantém sua participação nas decisões estratégicas, mantendo o foco no exercício da medicina.

Leia Também:  Mais de 400 carcaças retiradas das ruas

Atualmente, é o maior grupo de oftalmologia da América Latina, agregando 20 empresas oftalmológicas, e mais de 2100 colaboradores e 750 médicos oftalmologistas. O Hospital Oftalmológico de Brasília (DF), o Hospital de Olhos INOB (DF), o Hospital de Olhos do Gama (DF), o Centro Oftalmológico Dr. Vis (DF e RJ), O Instituto de Olhos Freitas (BA), o DayHORC (BA), o Instituto de Olhos Villas (BA), a Oftalmoclin (BA), o Hospital de Olhos Santa Luzia (AL), o Hospital de Olhos Sadalla Amin Ghanem (SC), o Centro Oftalmológico Jaraguá do Sul (SC), a Clínica Visão (SC), o HCLOE (SP), a Visclin Oftalmologia (SP), o Eye Center (RJ), Clínica de Olhos Downtown (RJ) e COSC (RJ), Lúmmen Oftalmologia (RJ), Hospital de Olhos do Meier (RJ), Hospital Oftalmológico da Barra (RJ), Centro Cirúrgico Jardim de Alah (RJ), o Oftalmax Hospital de Olhos (PE), UPO Oftalmologia – Unidade Paulista de Oftalmologia (SP) e do HMO – Hospital Medicina dos Olhos (SP) fazem parte dos associados, resultando em 54 unidades de atendimento. Visite www.opty.com.br.

Natália Lopes

Tríplice Comunicação

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA