BRASÍLIA

economia

Banco de dados aberto na web expõe dados e telefones de 419 milhões de usuários do Facebook

Publicados

em

Por Altieres Rohr

 Os responsáveis pela manutenção e criação do banco de dados, no entanto, não foram identificados. — Foto: Stephen Lam/Reuters

Os responsáveis pela manutenção e criação do banco de dados, no entanto, não foram identificados. — Foto: Stephen Lam/Reuters

Após uma denúncia de Jain e do site TechCrunch, o banco de dados foi retirado do ar pelo provedor de hospedagem do servidor. Os responsáveis pela manutenção e criação do banco de dados, no entanto, não foram identificados.

O Facebook contestou a contagem de registros feita pelo “TechCrunch” e pelo especialista. Segundo a rede social, o servidor tinha aproximadamente 220 milhões de registros, e não 419 milhões.

De acordo com o Facebook, as informações podem ter sido obtidas a partir da técnica de “scraping”, que envolve o uso de programas ou “robôs” para navegar pela rede social e armazenar os detalhes dos perfis.

Leia Também:  Condições financeiras globais foram afetadas significativamente, diz ata do Fed

Os registros não seriam recentes. O Facebook fez ajustes no ano passado para impedir a identificação de contas por meio do número de telefone. Além da busca no próprio site, a recuperação de senha pelo número de telefone também restringe a identificação do perfil, mostrando o perfil apenas nos casos em que o Facebook reconhece a rede de acesso.

Facebook só identifica o perfil na recuperação de senha por telefone quando reconhece a rede de acesso do usuário. — Foto: ReproduçãoFacebook só identifica o perfil na recuperação de senha por telefone quando reconhece a rede de acesso do usuário. — Foto: Reprodução

Facebook só identifica o perfil na recuperação de senha por telefone quando reconhece a rede de acesso do usuário. — Foto: Reprodução

Facebook restringe pesquisas

A prática de coleta de informações no Facebook por esse método ocorre pelo menos desde 2010, quando um pacote com dados de 100 milhões de perfis foi colocado na internet para alertar os usuários sobre os riscos de deixar qualquer informação pública na rede social. Desde então, o Facebook tem restringido o acesso a consultas e listas de perfis. O acesso ao diretório de perfis, por exemplo, exige verificações constantes de segurança para evitar o download de dados por robôs.

Leia Também:  Bolsa bate ouro e lidera entre melhores investimentos do ano

Como o Facebook permitia encontrar usuários pelo número de telefone, um hacker poderia tentar todos os números de telefone consecutivamente, identificando o usuário a quem o número pertencia.

Um problema semelhante foi identificado no Snapchat em 2014, mas o Facebook só adotou restrições em 2018. No ano passado, além do caso Cambridge Analytica, que rendeu uma multa bilionária ao Facebook, uma brecha permitiu coletar informações configuradas como particulares.

Em junho deste ano, o Facebook passou a restringir o uso da GraphSearch para bloquear consultas especiais que relacionavam informações e perfis a partir de critérios que não estão disponíveis na ferramenta de consulta da própria rede social.

Fonte: G1

COMENTE ABAIXO:

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

DISTRITO FEDERAL II

Governo assume em julho a gestão do transporte de passageiros do Entorno

Publicados

em

Por

A partir de 8 de julho, o Governo do Distrito Federal (GDF) vai gerir e fiscalizar a prestação dos serviços de transporte rodoviário interestadual semiurbano de passageiros. A Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) ficará responsável pelas linhas de ônibus que ligam Brasília e as regiões administrativas do DF aos municípios goianos do Entorno.

De acordo com a publicação, a ANTT transfere ao GDF as autorizações das sete operadoras que atuam nas 396 linhas de 11 cidades. As autorizações serão mantidas até a próxima licitação, que será realizada pelo GDF | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

A delegação do transporte semiurbano para o GDF foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (16), pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Com a publicação, a ANTT transfere ao GDF as autorizações das sete operadoras que atuam nas 396 linhas de ônibus entre o Distrito Federal e as cidades de Águas Lindas de Goiás, Cidade Ocidental, Formosa, Girassol, Luziânia, Mansões Marajó (Cristalina), Monte Alto (Padre Bernardo), Novo Gama, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto e Valparaíso de Goiás.

Plano de Outorga

Leia Também:  Bolsa bate ouro e lidera entre melhores investimentos do ano

Todas as autorizações serão mantidas até a próxima licitação, que será realizada pelo GDF. No novo Plano de Outorga (licitação), o GDF poderá fazer modificações estruturais no sistema semiurbano. O objetivo é melhorar os serviços e tornar o sistema de transporte mais eficiente por meio da racionalização dos itinerários e redução no tempo das viagens.

De acordo com o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, a integração do semiurbano com o transporte do Distrito Federal vai possibilitar a otimização do sistema tornando as viagens mais confortáveis para os usuários. “Nós já autorizamos que algumas linhas transitem pelas faixas exclusivas e no corredor do BRT, e já estendemos algumas linhas que antes só atendiam o DF para que atendam também as cidades goianas próximas da fronteira”, afirmou.

Após a conclusão da transferência, a Semob iniciará os serviços de fiscalização e o planejamento das linhas, devendo elaborar o novo Plano de Outorga para o transporte do Entorno.

*Com informações da Secretaria de Transporte e Mobilidade

Agência Brasília

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA