BRASÍLIA

economia

PIB do Brasil teve o 3º melhor desempenho entre as 10 maiores economias

Apenas China, que cresceu 2,3%, único com resultado positivo, e os EUA, com -2,3%, foram melhores

O resultado do PIB brasileiro calou os economistas do apocalipse como o FMI, que previu contração de 9%. Apesar da covid, a queda de 4,1% é o terceiro melhor desempenho entre as 10 maiores economias do mundo antes da pandemia.

Apenas China, que cresceu 2,3% e foi a única com resultado positivo, e os EUA, com -2,3%, obtiveram resultados melhores em meio ao distanciamento social, lockdowns e demissões inevitáveis. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Atrás do Brasil estão Japão (-4,8%), Canadá (-5,1%), Alemanha (-5,3%), Índia (-7,7%), França (-8,3%), Itália (-8,8%) e o Reino Unido (-9,9%).

Ações como orçamento de guerra e auxílio emergencial foram decisivos para reação da economia, que cresceu 3,2% no último trimestre de 2020.

Apesar do relativamente bom desempenho na pandemia, o Brasil sofreu com a alta do dólar, que disparou 29,33% em 2020 e 8,1% este ano.

Fonte: Diário do Poder
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Estão abertas as inscrições para estágio no GDF

DISTRITO FEDERAL II

Fercal recebe ações para qualificar e promover turismo local

Publicados

em

Por

O projeto Turismo em Ação da Secretaria de Turismo do DF (Setur-DF) desembarcou na Fercal para levar ações de qualificação, estruturação, promoção e divulgação do turismo local. A caravana itinerante, coordenada pela secretária Vanessa Mendonça, foi recebida pelo administrador da região administrativa, Fernando Gustavo Lima, e contou com a presença do secretário-executivo da Setur-DF, Rodrigo Costa; do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Corumbá (Acec-MS), André de Arruda Campos; e, também, de artesãos, empresários e líderes comunitários.

A artesã Maria da Penha recebeu a Carteira Nacional do Artesão durante o evento. “Estou muito grata. Gosto de todo tipo de artesanato e a carteira vai abrir as portas para eu participar das feiras”, disse a artesã | Foto: Renato Braga/Setur-DF

Com o objetivo de transformar a Fercal numa rota do turismo de Brasília e a experiência do visitante, a Setur-DF inaugurou o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), entregou a Carteira Nacional do Artesão e visitou pontos com potencial turístico. O CAT funcionará na sede da administração local, das 9h às 18h, inclusive aos finais de semana e feriado. No local, o visitante terá acesso a todas as informações sobre os pontos turísticos da Fercal e de todo o DF, horários de visitação e mapas.

“Brasília com as suas regiões administrativas têm uma qualidade de vida que nenhuma outra capital deste país possui. Tudo isso em função do trabalho desenvolvido pelo nosso governador Ibaneis Rocha, que nos deu a missão de colocar Brasília no lugar que é dela, alcançar as pessoas que mais precisam e criar oportunidades de trabalho. É por isso que estamos aqui, o turismo é o setor que mais emprega no mundo e gera desenvolvimento local. Vamos trazer para a Fercal o novo olhar do Turismo”, afirmou a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, durante o evento.

Olhar atencioso

Para o administrador Fernando Lima, a cidade precisa desse olhar atencioso para o turismo rural, de aventura, gastronômico, de contemplação e religioso. “A vocação natural da Fercal é para o turismo rural e religioso. A nossa Folia do Divino é tradicional, reúne em torno de duas mil pessoas de toda a região. Por incrível que pareça, muita gente não conhece a Fercal. Assim, o CAT vai dar visibilidade às nossas belezas e colocar a nossa cidade na rota do turismo do DF. Neste momento é muito mais importante, pois estamos retomando as atividades econômicas com o avanço da vacinação”, afirmou o administrador.

Os empreendedores debateram a importância do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) no fomento de atividades do turismo. O fundo estabeleceu uma linha de crédito histórica junto ao Banco de Brasília (BRB), instituição financeira responsável por operar o repasse de R$ 521 milhões feito pelo Ministério do Turismo

O presidente da Acec-MS, André Campos, falou que está levando aprendizado e esperança na bagagem. “Estou aprendendo com o que a Secretaria de Turismo está fazendo por meio do artesanato. Dar valor ao que tem valor, aprender a despertar o valor humano e fazer conexões. Entender que o nosso tempo é curto e a nossa necessidade é urgente. Como é bonito compreender isso por meio das artes e das mãos das mulheres artesãs que estão aqui”, disse.

Leia Também:  Maria Casadevall assume namoro com baiana: ‘Heterossexualidade era compulsória’

A secretária Vanessa Mendonça entregou a Carteira Nacional do Artesão para a artesã Maria da Penha. “O documento certifica a qualidade do artesanato produzido e abre a oportunidade de o artesão participar de todas as feiras locais e nacionais, além disso, coloco à disposição da comunidade artesã o Caminhão do Artesanato, para levar a produção a todas as feiras das quais participamos”, expôs a secretária.

“Estou muito grata em receber a carteira do artesão. Gosto de todo tipo de artesanato e agora a carteira vai abrir as portas para eu participar das feiras. Antes eu não tinha condição, agora vou poder e isso vai me ajudar muito”, falou Maria da Penha.

Fungetur

Durante o evento, a subsecretária de Promoção e Marketing da Setur-DF, Daniele Faria Lopes, explicou aos empreendedores presentes a importância do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) no fomento de atividades do turismo. O fundo estabeleceu uma linha de crédito histórica junto ao Banco de Brasília (BRB), instituição financeira responsável por operar o repasse de R$ 521 milhões feito pelo Ministério do Turismo.

Leia Também:  Ex-esposa do padrasto de Henry denunciou que ele era violento

“O turismo significa pessoas vindo para cá, para conhecer os lugares, a gastronomia, a cultura, o artesanato, consumir e gerar renda local. É uma indústria com alto poder de transformação e a população precisa se apropriar dos produtos do turismo”, disse Daniele Faria.

A empresária Nilda Oliveira é proprietária da fazenda Preciosidades da Roça. O empreendimento rural dispõe de caverna e paredões de escaladas e recebe visitantes em busca de aventura. “A nossa intenção é ampliar o restaurante para oferecer mais opções gastronômicas, construir chalés para as pessoas pernoitarem e melhorar a infraestrutura, mas a gente não dispõe do recurso. O Fungetur é uma grande oportunidade para alavancar os nossos negócios com vantagens bem interessantes”, contou Nilda Oliveira.

*Com informações da Secretaria de Turismo

Agência Brasília

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA