BRASÍLIA

ESPORTES

Flamengo é castigado pelo Bragantino

Por Cahê Mota — Rio de Janeiro

 


Melhores momentos de Flamengo 2 x 3 Bragantino pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro
Melhores momentos de Flamengo 2 x 3 Bragantino pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro

Superior na maior parte dos 90 minutos, o time de Rogério Ceni teve domínio, mas não teve pernas para bater o bem armado time de Maurício Barbieri no Maracanã. O treinador ficou com quatro substituições nas mãos, viu seus jogadores tomarem decisões equivocadas a medida que a perna pesava e recebeu o castigo no lance final.

Rogério Ceni em derrota do Flamengo para o Bragantino — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

Rogério Ceni em derrota do Flamengo para o Bragantino — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

Em entrevista coletiva, Rogério Ceni explicou que a falta de opções ofensivas fez com que optasse somente pela troca de Michael por Max em todo o jogo. O cansaço evidente de nomes como Diego e Gerson, por sua vez, indicava para a chamada mudança de seis por meia-dúzia para que o Flamengo ganhasse fôlego e lucidez, que fizeram falta a partir da metade do segundo tempo.

Leia Também:  Em vídeo, advogado contesta decisão do TJDFT sobre realização do 18º Campeonato NQMB Quarto de Milha na Granja do Torto

Dizer que o Flamengo fez um jogo ruim diante do Bragantino seria ser refém do resultado. Não foi o que aconteceu. Os paulistas até começaram melhor e abriram o placar em lance de sorte de Aderlan, mas o bicampeão brasileiro logo assumiu as rédeas da partida e fez de Cleiton um dos melhores jogadores em campo. Além do empate após chute torto de Michael, Rodrigo Muniz obrigou o goleiro a fazer duas grandes defesas em um primeiro tempo onde a virada seria justa.

Com Michael e Vitinho bem espetados e Bruno Henrique próximo de Muniz mais perto da área, o Flamengo tinha profundidade e até encontrava alternativas interessantes na criação de jogadas. O problema era executá-las da maneira correta. Do quarteto ofensivo, o jovem camisa 43 era o único que demonstrava eficiência, tanto que virou o placar em lindo gol de bicicleta após cruzamento de Matheuzinho.

Técnico Rogério Ceni e Rodrigo Muniz em Flamengo x Bragantino — Foto: REUTERS/Sergio Moraes

Técnico Rogério Ceni e Rodrigo Muniz em Flamengo x Bragantino — Foto: REUTERS/Sergio Moraes

Até aí, a partida parecia controlada para um Flamengo que mesmo com a bola nos pés parecia se desgastar mais do que o adversário. E a situação piorou após pane geral da defesa que resultou no gol de Eric Ramires de cabeça em bate e rebate.

Leia Também:  Confira a lista de vencedores na Hungria

Ao contrário do que aconteceu muitas vezes na campanha do título do Brasileirão, Ceni optou pela qualidade técnica em vez da troca para oxigenar o meio de campo. E ficou sem uma coisa, nem outra.

Rodrigo Caio, zagueiro do Flamengo, em derrota para o Bragantino — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

Rodrigo Caio, zagueiro do Flamengo, em derrota para o Bragantino — Foto: Thiago Ribeiro / Agif

O Flamengo até trocava passes, buscava espaços, mas faltava intensidade e criatividade. O time pressionou o Bragantino na base do abafa e teve em Bruno Henrique um protagonista com papel de vilão nos minutos finais.

O gol desperdiçado na pequena área aos 44 e a tentativa de jogada errada aos 52 foram determinantes para o contra-ataque paulista diante de um adversário cansado e desarrumado que definiu o jogo.

Castigo doído para quem foi melhor, criou mais chances, fez por merecer a vitória. Mas um placar que não dá para dizer que foi injusto em um grande jogo no Maracanã. Venceu quem teve mais perna até o fim. Literalmente.

COMENTE ABAIXO:

ESPORTES

Stock Car: Primeiro dia de atividades em Goiânia é marcado pelo calor

Publicados

em

Por

Diego Nunes

O paulista Diego Nunes dominou a sexta-feira (17) que abriu as atividades da Stock Car Pro Series em Goiânia (GO), onde a principal categoria do automobilismo brasileiro realiza uma rodada dupla valendo pela oitava e nona etapas. O piloto da equipe Blau Motorsport ponteou a folha de tempos do dia, ao marcar na melhor das suas 13 voltas o tempo de 1min27s446, com um Chevrolet Cruze Stock Car.

“O nosso carro começou rápido logo de cara, que é o que a gente esperava”, disse Diego. “Estamos com um acerto um pouco mais agressivo, para ver se a gente melhora o que tínhamos na primeira etapa do ano aqui em Goiânia. A gente sentiu que o carro estava bem já no shakedown. Ele se comportou muito bem com os pneus usados. Importante que o nosso melhor tempo não foi com pneus novos, então é um bom indicativo. Vamos tentar trazer essa pole pra equipe amanhã”, completoui Nunes, após a única sessão de treino desta sexta-feira.

A segunda posição ficou com Matías Rossi (Toyota Corolla Stock Car), piloto argentino que acabou 0s103 atrás de Nunes. Julio Campos, com um Cruze da Lubrax Podium, foi o terceiro melhor, sendo seguido por Thiago Camilo (Toyota), quarto com um carro da Ipiranga Racing. O grupo dos cinco primeiros ainda contou com Allam Khodair, com o outro Cruze da Blau Motorsport.

Entre os principais postulantes ao título, o melhor foi Gabriel Casagrande (Cruze), piloto que é o vice-líder do campeonato, e que colocou o carro da A.Mattheis-Vogel na sexta posição. Já Daniel Serra (Cruze), líder da tabela de classificação e piloto da Eurofarma RC, ficou com o décimo tempo ao final do ensaio. Melhor piloto do dia, Diego Nunes é o 11º colocado na classificação.

A programação da Stock Car segue neste sábado (18), com a realização da classificação, às 10h30, com exibição ao vivo no Sportv. As corridas que integram a oitava etapa do campeonato terão largada a partir das 13h10, com transmissão da Band e do Sportv. As mídias da Stock Car transmitem tanto o classificatório quanto as provas.

Leia Também:  Morre influenciadora cearense internada após fazer lipoaspiração

Confira a classificação do primeiro treino livre, realizado nesta sexta-feira:
1º – Diego Nunes (Blau Motorsport/Chevrolet Cruze) – 1min27s446
2º – Matías Rossi (Full Time Sports/Toyota Corolla) – 1min27s549
3º – Julio Campos (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – 1min27s649
4º – Thiago Camilo (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – 1min27s719
5º – Allam Khodair (Blau Motorspot/Chevrolet Cruze) – 1min27s721
6º – Gabriel Casagrande (A.Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – 1min27s753
7º – Ricardo Maurício (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 1min27s760
8º – Átila Abreu (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – 1min27s807
9º – Rafael Suzuki (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – 1min27s862
10º – Daniel Serra (Eurofarma RC/Chevrolet Cruze) – 1min27s883
11º – Marcos Gomes (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – 1min27s913
12º – Bruno Baptista (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – 1min27s959
13º – Rubens Barrichello (Full Time Sports/Toyota Corolla) – 1min27s975
14º – Guilherme Salas (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – 1min27s981
15º – Guga Lima (A.Mattheis-Vogel/Chevrolet Cruze) – 1min28s016
16º – Felipe Massa (Lubrax Podium/Chevrolet Cruze) – 1min28s054
17º – Cesar Ramos (Ipiranga Racing/Toyota Corolla) – 1min28s108
18º – Christian Hahn (Blau Motorsport II/Chevrolet Cruze) – 1min28s116
19º – Sergio Jimenez (Scuderia CJ/Toyota Corolla) – 1min28s121
20º – Cacá Bueno (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – 1min28s157
21º – Tony Kanaan (Full Time Bassani/Toyota Corolla) – 1min28s184
22º – Felipe Lapenna (Hot Car/Chevrolet Cruze) – 1min28s218
23º – Denis Navarro (Cavaleiro Sports/Chevrolet Cruze) – 1min28s222
24º – Ricardo Zonta (RCM Motorsport/Toyota Corolla) – 1min28s248
25º – Gaetano di Mauro (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – 1min28s298
26º – Lucas Foresti (KTF Sports/Chevrolet Cruze) – 1min28s340
27º – Pedro Cardoso (KTF Racing/Chevrolet Cruze) – 1min28s353
28º – Beto Monteiro (Crown Racing/Chevrolet Cruze) – 1min28s378
29º – Galid Osman (Shell V-Power/Chevrolet Cruze) – 1min28s707
30º – Raphael Teixeira (RKL Competições/Chevrolet Cruze) – 1min29s162
31º – Tuca Antoniazi (Hot Car/Chevrolet Cruze) – 1min30s418

Leia Também:  Por que São Paulo pediu adiamento de uma semana para o GP de Fórmula 1?

Confira a classificação do campeonato:
1º – Daniel Serra – 238 pontos
2º – Gabriel Casagrande – 228
3º – Ricardo Zonta – 174
4º – Cesar Ramos – 171
5º – Rubens Barrichello – 166
6º – Bruno Baptista – 158
7º – Átila Abreu – 158
8º – Thiago Camilo – 148
9º – Denis Navarro – 141
10º – Ricardo Maurício – 140
11º – Diego Nunes – 138
12º – Rafael Suzuki – 135
13º – Guilherme Salas – 132
14º – Allam Khodair – 113
15º – Cacá Bueno – 110
16º – Marcos Gomes – 100
17º – Gaetano di Mauro – 88
18º – Julio Campos – 84
19º – Lucas Foresti – 67
20º – Felipe Massa – 66
21º – Matías Rossi – 59
22º – Felipe Lapenna – 55
23º – Galid Osman – 48
24º – Pedro Cardoso – 46
25º – Beto Monteiro – 46
26º – Guga Lima – 37
27º – Christian Hahn – 32
28º – Nelson Piquet Jr. – 24
29º – Tony Kanaan – 18
30º – Sergio Jimenez – 14
31º – Gustavo Frigotto – 13
32º – Tuca Antoniazi – 10
33º – Max Wilson – 0


R7- Esportes

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

Nos siga no Facebook

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.