BRASÍLIA

ESPORTES

Jogadora patrocinada pelo BB, volta a atacar Bolsonaro

Carol Solberg voltou a atacar Bolsonaro Foto: Reprodução/SporTV

Um ano depois, Carol Solberg volta a atacar Bolsonaro na TV

Atleta chegou a ser denunciada no STJD em setembro do ano passado por conta de atitude similar

Um ano depois de criticar o presidente Jair Bolsonaro ao vivo durante uma entrevista em um torneio de vôlei de praia, a jogadora Carol Solberg protagonizou na noite de sábado (9) um novo ataque ao chefe do Executivo. No ano passado, a atleta chegou a ser denunciada ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta do ato.

Desta vez, o ataque aconteceu após uma partida do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia. Carol usou a entrevista para atacar Bolsonaro por conta da defesa feita pelo chefe do Executivo ao tratamento precoce contra a Covid e em razão dos vetos aplicados por ele a trechos de um projeto de lei que previam a distribuição de absorventes.

– A gente tem um presidente que está defendendo o tratamento precoce nessa altura do campeonato. Isso é muito sério. Me dói muito ver o Brasil sendo representado por isso. A gente viu o presidente vetando, essa semana, a distribuição gratuita de absorventes para meninas, eu fico muito triste – disse.

Leia Também:  O craque acusado de estupro

Em setembro de 2020, após gritar “Fora Bolsonaro” em uma entrevista exibida pelo SporTV, canal esportivo do Grupo Globo, a atleta chegou a ser advertida na primeira instância, mas recorreu da decisão por não concordar com a sentença. Em segunda instância, ela acabou sendo absolvida.

Fonte: Pleno.News

COMENTE ABAIXO:

ESPORTES

Comentaristas holandeses criticam a Mercedes

Publicados

em

Por

Allard Kalff e Kees van de Grint

A Mercedes “perde o rumo” quando está sob pressão, de acordo com o especialista da RTL, Allard Kalff, que acredita que eles erraram fragorosamente na estratégia de corrida com Hamilton no GP dos EUA.

“E a pressão foi tanta, que a Mercedes a sentiu.”

Com Lewis Hamilton perdendo a pole position para Max Verstappen no Circuito das Américas, o inglês heptacampeão estava sob pressão para acertar na mosca as 56 voltas da corrida de domingo.

Ele fez isso no início, assumindo a liderança de Verstappen na primeira curva. No entanto, a Red Bull respondeu mudando sua estratégia de pit-stop e trazendo Verstappen mais cedo.

Os Touros fizeram o undercut em Hamilton em ambas as paradas, com a Mercedes optando por não reagir à nenhuma das paradas de Verstappen, trazendo Hamilton apenas oito voltas depois da segunda parada.

Isso custou caro, com Verstappen vencendo e Hamilton terminando em P2.

“Eu acho que, quando eles estão sob pressão e não podem decidir por si mesmos, eles se perdem na Mercedes”, disse Kalff ao podcast RTL GP Slipstream.

Leia Também:  Enfim, Bia Kicis desengaveta lei que diminui poderes dos ministros do STF

“Eu vi outro erro estratégico em Austin porque eles pararam tarde demais depois que Verstappen entrou.”

Kees van de Grint, também da RTL, concorda que os Prateados erraram no GP dos EUA, tanto que ele acha que uma “criança” poderia ter feito as contas e percebido que Hamilton tinha que ir ao box ao mesmo tempo que Verstappen.

“Eles cometeram um erro e depois outro com a segunda parada no box eles esperaram demais”, disse ele. “Uma criança poderia realmente calcular que, apesar do fato de Hamilton ser mais rápido com pneus duros, ele nunca conseguiria chegar.”

“Acho que a Mercedes deveria ter previsto imediatamente, então os danos poderiam ter sido mais limitados. Se você olhar o quão atrasado ele estava e quanto ele teve que compensar, ele tinha zero chance. ”


R7- Esportes

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

Nos siga no Facebook

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.