BRASÍLIA

ESPORTES

Palmeiras perde para o CRB nos pênaltis e está eliminado da Copa do Brasil

Ao time do técnico Abel Ferreira não adiantou nada ter finalizado mais de 30 vezes no jogo e ter tido média de 70% de posse de bola

O jogador do Palmeiras vai ter pesadelo com o goleiro Diogo Silva. Ele segurou o time alviverde nos 90 minutos e, nas cobranças de pênalti, fez três grandes defesas além de marcar um gol. A atuação histórica garantiu ao CRB a vitória por 1 a 0 no tempo regulamentar e a classificação nos pênaltis (4 a 3) para as oitavas de final da Copa do Brasil, ontem, em pleno Allianz Parque. Ao time do técnico Abel Ferreira não adiantou nada ter finalizado mais de 30 vezes no jogo e ter tido média de 70% de posse de bola. “Tenho muitos parentes palmeirenses. Daqui a pouco estou no grupo aí, me aguarde”, brincou o herói Diogo Silva ao final da partida.

Uma justificativa para tamanha dificuldade em vencer foi que o Palmeiras teve uma dezena de desfalques. Mas tem dias que a bola teima em não entrar de um lado. O CRB surpreendeu o Palmeiras logo no início. Após chutão do goleiro Diogo Silva, houve desvio e a bola sobrou para Diego Torres. Ele avançou e tocou para Ewandro, que bateu na saída de Weverton para abrir o placar.

Leia Também:  Sihami Mudarra participa do Encontro Nacional do PROFESP ( Programa Forças no Esporte)

Uma justificativa para tamanha dificuldade em vencer foi que o Palmeiras teve uma dezena de desfalques. Mas tem dias que a bola teima em não entrar de um lado e balança as redes em uma única oportunidade do outro. O CRB surpreendeu o Palmeiras logo no início. Após chutão do goleiro Diogo Silva, houve desvio e a bola sobrou para Diego Torres. Ele avançou e tocou para Ewandro, que bateu na saída de Weverton para abrir o placar no Allianz Parque.

O Palmeiras foi para cima e pressionou o adversário. Criou 16 oportunidades de gol e teve 70% da posse de bola somente no primeiro tempo. A chance mais clara nos 45 minutos iniciais foi com Rony, que recebeu lançamento e desviou do goleiro. O zagueiro Gum salvou na linha e evitou o empate.

A história se repetiu no segundo tempo. O time alviverde pressionava de todas as maneiras. Logo no minuto inicial, Luiz Adriano, na pequena área, livre, parou em Diego Silva.

Sem a preocupação com o setor defensivo, o Palmeiras quase foi surpreendido no contra-ataque. Weverton saiu nos pés de Diego Torres e salvou.

Leia Também:  Sejus lança edital para o primeiro casamento comunitário de 2021

O CRB continuava fechado em sem campo de defesa e mal conseguia sair de sua defesa. Com a área dos visitantes congestionada, Gustavo Scarpa começou a arriscar de longe. Foram pelo menos cinco chutes que levaram perigo à meta adversária. Mas nada de a bola balançar as redes. Precisou dos pênaltis para a vaga suada finalmente ser garantida.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 0 (3) X (4) 1 CRB

GOL: Ewandro, aos 5 do 1º Tempo.

PALMEIRAS: Weverton; Mayke (Marcos Rocha), Luan, Renan e Victor Luis; Felipe Melo (Zé Rafael), Raphael Veiga (Lucas Lima) e Gustavo Scarpa; Rony (Breno Lopes), Luiz Adriano e Wesley (Willian). Técnico: Abel Ferreira.

CRB: Jiogo Silva; Reginaldo, Gum, Frazan e Guilherme Romão; Marthã (Claudinei), Jean Patrick (Carlos Jatobá) e Diego Torres; Erik (Calyson), Ewandro (Dudu) e Hyuri. Técnico: Alan Aal.

ÁRBITRO: Antonio Dib Moraes de Sousa (PI)

CARTÕES AMARELOS: Gum, Ewandro, Frazan e Luan.

LOCAL: Allianz Parque

Fonte: Jornal de Brasilia

COMENTE ABAIXO:

ESPORTES

Olimpíada de Tóquio tem abertura oficial nesta sexta-feira

Publicados

em

Por

Compartilhe esta matéria!

Olimpíada de Tóquio tem abertura oficial nesta sexta-feira

Cerimônia de abertura aconteceu ás 8h (horário de Brasília)

Nesta sexta-feira (23), os olhos de boa parte da população mundial estavam voltados para a cidade de Tóquio. Após o adiamento de um ano por causa da pandemia da covid-19 e ameaças de cancelamento, a 32ª edição da Olimpíada de verão teve a abertura oficial a partir das 8h (horário de Brasília) no Estádio Olímpico de Tóquio (também chamado de Estádio Nacional).

Pela primeira vez na história, as cerimônias de abertura e encerramento, assim como as competições na capital do Japão, não terão a presença de público. A decisão de proibir espectadores foi tomada por conta da decretação do estado de emergência em Tóquio até o final das competições até 8 de agosto, e em meio a críticas de autoridades de saúde do país e rejeição da população à competição.

Outras províncias que vão sediar competições também já confirmaram que não terão público: Chiba (que vai sediar competições de surfe, esgrima, taekwondo e luta olímpica), Kanagawa (beisebol/softbol, iatismo e futebol), Saitama (basquete, golfe e futebol), Fukushima (beisebol/softbol) e Hokkaido (futebol e atletismo). As províncias de Miyagi (futebol) e Shizuoka (ciclismo) Ibaraki (futebol) ainda mantém previsão de público (50% do total e limitado a residentes no Japão) durante competições.

Os Jogos de Tóqu6io são a primeira Olimpíada da era moderna a ter um adiamento. Desde 189 (quando foram realizados os Jogos Olímpicos de Atenas), três edições foram canceladas: as Olimpíadas de Berlim em 1916 (que não foi realizada por causa da 1ª Guerra Mundial), as Olimpíadas de Helsinque em 1940 e as Olimpíadas de Londres em 1944 (ambas canceladas por causa da 2ª Guerra Mundial). 

Leia Também:  Homem diz que matou a esposa após discussão por Libertadores

É a segunda vez que Tóquio recebe os Jogos Olímpicos: a primeira foi em 1964, com 5.151 atletas de 93 países. Um dos momentos mais marcantes daquela edição foi o acendimento da pira olímpica: quem fez as honras foi Yoshinori Sakai, nascido em dia 6 de agosto de 1945, em Hiroshima – no mesmo dia que a bomba atômica devastou a cidade.

Abertura e competições

Prevista para às 8h (horário de Brasília) desta sexta-feira (23) e com duração de cerca de três horas, a tradicional cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos sofrerá alterações em Tóquio, causadas pela emergência sanitária. Além da proibição de venda de ingressos, algumas delegações (incluindo a brasileira) deverão enviar menos atletas para a cerimônia em que a Pira Olímpica é acesa. 

O imperador Naruhito declarou a abertura das competições. A ordem dos desfiles das delegações da abertura dos Jogos Olímpicos também será particular. Ela seguirá, na maioria dos casos, a ordem do alfabeto japonês katakana. Com isso, logo após a Grécia (que, tradicionalmente, é a primeira equipe a desfilar) e a Equipe Olímpica de Refugiados, entrarão no Estádio Olímpico a delegação da Islândia (Aisurando em japonês), Irlanda (Airurando) e Azerbaijão (Azerubaijan). As exceções ficarão com as três últimas equipes a entrarem: Estados Unidos, França e Japão – que fecha a parada das nações). O Brasil foi a 152º delegação a entrar no desfile.

Leia Também:  Sejus lança edital para o primeiro casamento comunitário de 2021

A lista de comitês olímpicos participantes conta também com o Time Olímpico de Refugiados, formado por pessoas que não podem competir pelo país de origem e por isso, defendem a bandeira do Comitê Olímpico Internacional (COI). O Comitê Olímpico Russo traz uma delegação de atletas da Rússia proibidos de competirem com a bandeira e o nome do país (nem o hino russo pode ser executado) devido a punições por parte da Agência Mundial Antidopagem (WADA) e da Corte Arbitral do Esporte (CAS).

Além da Rússia, mais um país filiado ao COI não participará dos Jogos de Tóquio: a Coreia do Norte, que anunciou a desistência por causa da pandemia da covid-19. Com isso, o número de bandeiras representadas nas competições será menor do que na Rio 2016, que teve 205 países, o time de refugiados e a equipe de Atletas Olímpicos Independentes (formado por atletas do Kuwait, punido à época pelo COI).

Dentro das competições, Tóquio 2020 (mesmo com o adiamento de um ano, o nome oficial do evento continua referente ao ano passado) tem a expectativa de receber, ao todo, mais de 11 mil atletas de 204 países.

Alô Valparaíso/*Com as informações da Agência Brasil


Alô Valparaíso

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA