BRASÍLIA

GDF

Com seu crescimento Planaltina é uma cidade que precisa se desenvolver

Publicados

em

O quê fazer para Planaltina se desenvolver?

O quê a população mais precisa para se ter dignidade é casa e trabalho

Com mais de 27 condomínios irregulares, sem uma definição de área para o desenvolvimento econômico, uma renda per capita de 350 reais, 15 milhões de salário para os trabalhadores, 230 mil habitantes, mais de 5.000 comércios varejistas, sem creches públicas para auxiliarem as mães trabalhadoras e uma juventude expectante para se ocupar em ciência, tecnologia, esporte e cultura. Saneamento básico e transporte coletivo caóticos nos principais setores habitacionais mais populosos como o Grande Arapoanga e o Grande Mestre D’Armas. Buscar resolver essas questões logo.

COM MAIS DE 27 CONDOMÍNIOS IRREGULARES, SEM UMA DEFINIÇÃO DE ÁREA PARA O DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, UMA RENDA PER CAPITA DE 350 REAIS, 15 MILHÕES DE SALÁRIO PARA OS TRABALHADORES, 230 MIL HABITANTES, MAIS DE 5.000 COMÉRCIOS VAREJISTAS

É necessário, urgentemente, regularizar o Grande Arapoanga e o Grande Mestre D’Armas para que se conclua a destinação das áreas para instalação de espaços públicos e implantação de um conjunto habitacional, um setor de oficinas, um parque de exposições, um memorial histórico, um pólo de gastronomia, um de plantas ornamentais e um de artesanato, definir um roteiro ecoturístico, capacitando os proprietários de equipamentos e os profissionais em turismo. Fortalecer os artesãos e os produtores rurais, promovendo diversos cursos para o despertar nas características peculiares de turismo e agronegócios.

Leia Também:  Muito bem articulado Rafael Prudente já tem 21 apoios e deve permanecer como presidente da CLDF

Promover um Seminário de Desenvolvimento Local e fazer um levantamento dos atores sociais ativos para se elaborar um documento de prioridades, convidando os comerciantes, o Centro de Pesquisa da Embrapa, o Campus da UnB, as escolas técnicas como o IFB e CEP Saúde, as escolas públicas, as faculdades privadas, as instituições sociais e religiosas para trabalharem em conjunto. A partir daí o que definir neste fórum, seja rigorosamente cumprido. Assim, teremos condições de qualificar mão-de-obra e ainda aproveitá-la rapidamente, como por exemplo, capacitar agentes de marketing social para captarem clientes para as empresas planaltinenses, até por que somente 20% dos moradores compram na cidade.

Muita coisa pode ser fazer com os espaços públicos como o Centro Histórico, a Vila Olímpica e o Complexo Cultural dá pra se aproveitar as suas instalações para qualificar recursos humanos específicos nas áreas de ciência e tecnologia, ecoturismo, esporte e cultura, promovendo grandes eventos de torneios, expedições, feiras e exposições.

Na Agenda 21, onde trabalhamos 07 anos, em parceria com a Administração de Planaltina, fizemos um diagnóstico sócio-econômico-ambiental da cidade com foco em bacias hidrográficas, capacitamos muita gente em desenvolvimento sustentável. Propusemos vários relatórios e instruções em organismos federais, regionais e de gestão compartilhada. Naquele período tive o privilégio concomitante de integrar os Comitês de Bacias Hidrográficas do Paranaíba e do Tocantins/Araguaia, além de contribuir também como conselheiro do Conselho do Meio Ambiente do DF, sempre representando Planaltina por ela possuir recursos naturais como uma Estação de Águas Emendadas, 04 lagoas naturais, 09 parques ecológicos e 99 cursos d’água. Consegui ver as grandes características da cidade em recursos hídricos e ambientais que podem ser bastante explorados para a geração de ecoturismo, trabalho e renda.

Leia Também:  Lucia Bessa, Presidente do CD-Taguatinga: Mais uma vez, o Estado falha e uma de nós paga com a própria vida

Helio Rosa (Jornalista Reg.12720/DF, MBA em Administração Pública, Empreendedor Digital e Vice-Presidente do Conselho de Desenvolvimento do DF).

Fonte: BSB TIMES

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GDF

CLDF convoca secretário de Saúde para esclarecer vacinação em Brasília

Publicados

em

A Comissão da Vacinação da Casa divulgou nesta segunda-feira o plano de trabalho para fiscalizar a aplicação do imunizante no DF

Comissão de Vacinação Covid-19

REPRODUÇÃO/CLDF

Comissão Especial de Vacinação da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) divulgou nesta segunda-feira (18/1) o plano de trabalho para fiscalizar a imunização contra o novo coronavírus em Brasília. Preocupados com a logística, datas e andamento de todo o processo, os parlamentares vão fazer uma série de ações dentro de suas competências a fim de informar e ajudar a população.

O plano foi apresentado pelos integrantes da comissão, os deputados Fábio Felix (presidente), Jorge Vianna (vice), Rodrigo Delmasso (relator) e os distritais João Cardoso (Avante) e Iolando Almeida (PSC). Conforme anunciou o GDF, a vacinação na capital começa nesta terça-feira (19/1), às 10h.

“Serão realizadas audiências públicas e diligências fiscalizatórias externas, para que contribua para o aperfeiçoamento do plano de vacinação contra o novo coronavírus e garanta a sua execução, da forma mais ágil possível”, afirmou o presidente da comissão, deputado Fábio Félix.

Leia Também:  Policiais militares foram homenageados pelo deputado Martins Machado

“Conforme coletiva realizada, a vacinação vai se dar nos hospitais públicos. A segunda vacinação vem em 14 dias. O próximo passo, ainda dentro dessas 100 mil doses é vacinar os profissionais nas unidades de saúde privadas. Só que não tem doses suficientes. Isso será parte dos questionamentos realizados ao secretário de Saúde nesta terça-feira (18/1). Vamos questionar tudo o que houver de dúvida. Eles precisam apresentar como serão as prioridades, pois não tem vacina suficiente nessa primeira leva”, afirmou o presidente da comissão, Fábio Félix.

Audiências públicas e oitivas

As audiências e oitivas serão realizadas com a participação da sociedade civil e oitivas de autoridades responsáveis pelo Plano de Vacinação contra a Covid-19 no DF. As audiências têm a finalidade de informar a população sobre a eficácia da vacinação contra a covid-19, colaborar para o aperfeiçoamento do Plano de Vacinação elaborado pela Secretaria de Saúde do DF, e divulgar as informações a ele pertinentes.

A primeira será com o secretário de Saúde. Na quarta-feira (20/1), às 18h, ocorre audiência pública da Comissão de Educação Saúde e Cultura (CESC) com Maurício Zuma, presidente do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz, BioManguinhos.

O BioManguinhos, vinculado à Fiocruz, será responsável pela produção da vacina da Universidade de Oxford/AstraZeneca no Brasil. O objetivo da audiência é inquirir sobre a capacidade de produção e eventuais possibilidades de oferecimento da vacina à população do DF.

Há a previsão de audiências com autoridades do Governo do Distrito Federal, responsáveis por pesquisas científicas na área de imunização, pela operacionalização da campanha de vacinação e pelo orçamento destinado a essas políticas.

Leia Também:  PF procura grupo por fraudes e desvios de R$ 11,8 milhões em contratos de TI
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA IBANEIS

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA