BRASÍLIA

GDF

Diabéticos e hipertensos têm tratamento especializado

Publicados

em

O Distrito Federal conta com unidades especializadas no tratamento de doenças crônicas não transmissíveis na rede pública de saúde. Doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão são as mais recorrentes e os pacientes enfermos precisam de cuidados médicos constantemente.

Valneilde Carvalho Fontenele levou a filha de 10 anos até o ambulatório do HRL em um atendimento de rotina. A criança é acompanhada pelo Cadh há dois anos | Foto: Luiz Fernando Cândido/Região de Saúde Leste

O Centro de Atenção ao Diabético e Hipertenso (Cadh), localizado no ambulatório do Hospital da Região Leste, no Paranoá, é uma das unidades de referência que atende adultos, crianças e adolescentes.

De junho até novembro deste ano, foram realizados 4.177 atendimentos pela equipe multidisciplinar do Centro de Atenção ao Hipertenso e Diabético

O morador do Paranoá Richard Saul, de 18 anos, recebe assistência na unidade já faz algum tempo. “Antes, a glicemia estava muito alta e eles ( os profissionais) me ajudaram a controlar tudo. Estão me ensinando agora a contagem de carboidrato, o que vai me ajudar”, diz. O paciente foi à unidade acompanhado da mãe e relata que já teve casos de diabetes na família.

Valneilde Carvalho Fontenele levou a filha de 10 anos até o ambulatório do HRL em um atendimento de rotina. A criança é acompanhada pelo Cadh há dois anos. “Aqui recebemos tratamento e somos bem atendidas e assistidas por todos. O Cadh é muito bom”, ressalta.

Leia Também:  Programa incentiva a prevenção ao consumo de álcool por estudantes

Atendimento

A endocrinologista pediatra da unidade, Emanuella Vital Campos Fernandes, detalha como é realizada a abordagem ao paciente. “Geralmente começa com a consulta. Em seguida, informamos detalhadamente o que é a doença, a sua fisiopatologia. Explicamos porque aconteceu, o seu tratamento e como vai ser a assistência”, explica.

De junho até novembro deste ano, foram realizados 4.177 atendimentos pela equipe multidisciplinar do Centro de Atenção ao Hipertenso e Diabético. Para ser atendido no local, é necessário procurar a unidade básica de saúde (UBS) mais próxima. Havendo necessidade, o paciente é encaminhado ao ambulatório do HRL.

“Os usuários têm suas demandas de saúde mapeadas ou totalmente resolvidas dentro do serviço, por uma equipe multidisciplinar, até a estabilização clínica e compartilhamento do cuidado com a equipe da atenção primária correspondente à área”Mayara de Souza Correia Paixão, gerente de Planejamento, Monitoramento e Avaliação da Dirase, Região de Saúde Leste

De modo geral, nas UBSs os pacientes são avaliados e direcionados aos serviços especializados da atenção secundária nos casos de alto ou muito alto risco. Além do Cadh, há serviços em outras regiões de saúde, como o Cedoh, na Asa Norte, o Cedhic, no Guará, e outros ambulatórios.

Leia Também:  Sistema de abastecimento de água das áreas rurais é monitorado à distância

Esse atendimento acontece nos ambulatórios e policlínicas que funcionam em todas as regiões de saúde. Com o modelo de atendimento integrado, a expectativa é de maior adesão e continuidade no tratamento dos doentes crônicos e de acesso à rede de atenção especializada.

“Os usuários possuem suas demandas de saúde mapeadas ou totalmente resolvidas dentro do serviço, por uma equipe multidisciplinar, até a estabilização clínica e compartilhamento do cuidado com a equipe da atenção primária correspondente à área”, frisa a gerente de Planejamento, Monitoramento e Avaliação da Diretoria de Atenção Secundária (Dirase), Região de Saúde Leste, Mayara de Souza Correia Paixão.

O morador do Paranoá Richard Saul, de 18 anos, recebe assistência na unidade já faz algum tempo. Ele teve casos de diabetes na família | Foto: Luiz Fernando Cândido/Região de Saúde Leste

Equipe multidisciplinar

O Centro de Atenção ao Diabético e Hipertenso (Cadh) conta com uma equipe de atendimento multidisciplinar com endocrinologista, cardiologista, nutricionista, psicólogo, assistente social, oftalmologista, neurologista, enfermeiro e técnico de enfermagem.

O Cadh é um serviço ambulatorial que dispõe a Atenção à Saúde da Pessoa com Doenças Crônicas Não Transmissíveis: hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes melliltus. É um dos centros no DF que atendem ao público adulto e infantil.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Agência Brasília

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

GDF

Programa incentiva o ensino de educação financeira na escola

Publicados

em

Por

Gestores de unidades de ensino fundamental da rede pública podem participar de formação, com direito a certificado da UFMG

AGÊNCIA BRASÍLIA* I EDIÇÃO: DÉBORA CRONEMBERGER

Desenvolver habilidades e competências de educação financeira com estudantes da rede pública. Esse é o objetivo do programa Aprender Valor, voltado para gestores das escolas públicas da rede que atendem o ensino fundamental. As inscrições vão desta quarta-feira (26) a 25 de fevereiro. Ainda nesta quarta, um evento online para gestores e técnicos da Secretaria de Educação (SEE) vai apresentar os detalhes do programa às 15h.

O Aprender Valor articula, junto às unidades escolares, atividades relacionadas ao planejamento do uso de recursos, à poupança ativa e ao uso responsável do crédito

Os participantes terão acesso a uma formação específica com certificado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Os educadores também terão um módulo de estudo sobre educação financeira pessoal. Além da formação, as escolas receberão suporte com materiais de auxílio no formato de projetos escolares e avaliações de aprendizagem.

Leia Também:  Acesso ao Núcleo Rural Cariru atinge 70% de execução

O Aprender Valor articula, com as escolas, atividades relacionadas ao planejamento do uso de recursos, à poupança ativa e ao uso responsável do crédito, com conteúdos e habilidades de matemática, língua portuguesa e ciências humanas. Todo o material está alinhado com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

“A proposta é importante, tendo em vista que a educação financeira é um dos eixos da BNCC. É uma temática que auxilia na vida do estudante enquanto cidadão e indivíduo completo, pois ela abrange desde os anos iniciais até os finais”, explica a diretora de Ensino Fundamental da SEE, Ana Carolina Tavares.

Ela destaca ainda que o contato dos estudantes com a educação financeira desde pequenos é importante também para as famílias e a comunidade escolar como um todo.

Interessados em acessar a apresentação do Aprender Valor devem clicar aqui, na hora agendada para o início do evento.

*Com informações da Secretaria de Educação

Fonte: Agência Brasilia

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

Nos siga no Facebook

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.