BRASÍLIA

GDF

Orçamento para ano de 2022 é sancionado

Publicados

em

Foto: Agência Brasília

A LOA prevê um total de R$ 48,543 bilhões, dos quais R$ 32,261 bilhões são de receitas próprias e R$ 16,281 bilhões

O governador em exercício, Paco Britto, sancionou, em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) de sexta-feira (07), a lei nº 7.061, que estima a receita e fixa a despesa do Governo do Distrito Federal para o exercício financeiro de 2022.

A Lei Orçamentária Anual (LOA) prevê um total de R$ 48,543 bilhões, dos quais R$ 32,261 bilhões são de receitas próprias e R$ 16,281 bilhões oriundos do repasse do Fundo Constitucional (FCDF), utilizado para custear segurança pública, saúde e educação.

Os valores do orçamento deste ano são 9,8% maiores do que os de 2021, quando o GDF teve à disposição R$ 44,18 bilhões. A receita própria para este ano foi discriminada da seguinte forma: esfera fiscal com R$ 20,63 bilhões, seguridade social com R$ 10,39 bilhões e investimento das empresas estatais com R$ 1,23 bilhão.

O orçamento de 2022 foi aprovado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) em 14 de dezembro do ano passado.

Leia Também:  Eliana cumpre agenda na porta do IHB e promete melhorias na Saúde

Para o exercício deste ano, a receita do Distrito Federal relativa às esferas fiscal e de seguridade social será de R$ 31,023 bilhões, 15,11% maior do que no ano passado. A receita tributária, equivalente a R$ 19,267 bilhões, corresponde a cerca de 62,1% desse valor, com um salto de 15,88% em relação ao exercício de 2021.

Mais investimentos

No que concerne às despesas previstas para 2022, segundo a peça orçamentária distrital, ressalta-se o aumento de 43,49% nos investimentos do GDF em relação ao ano passado. Em 2021, foi R$ 1,421 bilhão reservado para investimentos, enquanto o montante para este ano alcançou expressivos R$ 2,040 bilhões.

O resultado foi possível por vários fatores, entre esses o conjunto de medidas tomadas pelo GDF, muitas delas viabilizadas pela Secretaria de Economia (Seec) desde 2019 e, especialmente, durante a pandemia de covid-19.

Graças a ações para aliviar o caixa de empresas e ao fortalecimento de um ambiente econômico seguro e competitivo, o DF conseguiu manter a economia aquecida, aumentando a arrecadação sem aumentar ou criar novos impostos desde 2019. Foram medidas como o Refis 2020 e os programas Pró-Economia I e II, além de isenções, remissões e anistias tributárias para diversos setores estratégicos da economia distrital.

Leia Também:  Zoológico ensina como resgatar animais em incêndios florestais

Em relação ao Fundo Constitucional do DF, os R$ 16,281 bilhões são distribuídos em três áreas prioritárias do governo. A Segurança Pública receberá R$ 8,65 bilhões, a Educação ficará com R$ 3,27 bilhões e a Saúde será contemplada com R$ 4,35 bilhões.

Terceira parcela

O impulso no Orçamento para 2022 permitiu ao GDF honrar com o compromisso do governador Ibaneis Rocha de pagar a terceira parcela do reajuste dos salários dos servidores. A partir de abril, serão contempladas 31 das 43 carreiras do funcionalismo público. O impacto total da medida, que era uma reivindicação antiga dos servidores, é de cerca de R$ 1 bilhão ao ano.

No Orçamento também estão previstos investimentos com novos servidores, como forma de melhorar ainda mais a prestação de serviços à população do DF. O alvo são áreas estratégicas do governo e também setores da administração pública com déficit de servidores por conta de exonerações e aposentadorias.

As informações são da Agência Brasília

Fonte: Jornal de Brasilia

COMENTE ABAIXO:

GDF

Política do DF está em banho-maria; Ibaneis e Reguffe são os “chef’s”

Publicados

em

Por

Um cozinha e o outro olha, Enquanto Reguffe e Ibaneis não decidem, nada anda

As peças do tabuleiro só vão se mexer quando a decisão sair, Reguffe não sabe se disputa o governo, ao Senado ou até mesmo Deputado Federal.

Enquanto isso, Ibaneis anuncia reeleição, mas não sabe quem ocupará a chapa de vice, do senado, de deputado federal e distrital, há muitas especulações.

Todos os apoiadores de Ibaneis dizem que são da chapa, difícil é saber se cabe. E os do Reguffe a mesma coisa.

Pode acontecer o inesperado, Reguffe vir à Deputado Federal e, nas novas regras eleitorais, ajudar a eleger mais um e, por tabela, uma grande quantidade de distritais.

Por outro lado, Ibaneis pode resolver vir ao Snado e abrir espaço para o Planalto colocar o nome do PL.

Enquanto isso, continua o banho-maria!

Fonte: BSB TIMES

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Carla Vilhena, nova contratada da CNN, defende o STF, mas Coppola interrompe e a deixa sem saída (veja o vídeo)
Continue lendo

Nos siga no Facebook

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.