Procura por restaurantes comunitários aumenta em Brasília

Foto: Sedes

O restaurante comunitário é um programa criado pelo GDF em 2008, e visa o preparo e comercialização de refeições saudáveis a preço acessível

Segundo uma pesquisa realizada pela CNN, a procura por restaurantes comunitários aumentou nas três capitais mais populosas do Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. A demanda por café da manhã, almoço ou jantar subiu 9.23%no segundo trimestre, se comparado ao mesmo período anterior.

E foi em Brasília que a pesquisa registrou a maior evolução. Nos três primeiros meses do ano, os 14 restaurantes comunitários mantidos pela Secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal (Sedes-DF) serviram 2,2 milhões de refeições. No trimestre seguinte, esse número foi de 2,5 milhões, um aumento de quase 15%.

Esse aumento na procura por restaurantes comunitários pode ser explicado pelo preço dos alimentos, já que itens da cesta básica têm passado por diversos reajustes. O preço do feijão carioca, por exemplo, acumula uma alta de 40% neste ano.

Leia Também:  Inscrições para educador social começam sábado (17)

O restaurante comunitário é um programa criado pelo GDF em 2008, visando contribuir com o Direito Humano a Alimentação Adequada (DHAA), com o preparo e comercialização de refeições saudáveis a preço acessível. Os 14 estabelecimentos do DF estão localizados em Brazlândia, Ceilândia, Estrutural, Gama, Itapoã, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Samambaia, Santa Maria, São Sebastião, Sobradinho e Sol Nascente. Sendo que as unidades de Brazlândia, Paranoá, Sol Nascente, Planaltina, Samambaia, Ceilândia, Sobradinho, São Sebastião e Estrutural.

Os locais servem refeições de segunda a sábado. Para o público geral, custa R$ 1,00, e para a população em situação de rua, desde que referenciada pela equipe de Abordagem Social da Sedes, é de graça. O café da manhã também é servido, e custa R$ 0,50 para toda a população.

Fonte: Jornal de Brasilia

COMENTE ABAIXO:

Últimas Notícias

Quer receber as notícias em
primeira mão?

TODOS OS DADOS SÃO PROTEGIDOS CONFORME A LEI GERAL DE
PROTEÇÃO DE DADOS (LGPD).

ENVIAR MENSAGEM
Estamos Online!
Olá
Podemos Ajudar?