BRASÍLIA

GDF

Santa Maria vai ganhar terminal rodoviário

Publicados

em

Cidade terá também dois papa-entulhos construídos pelo GDF

HÉDIO FERREIRA JÚNIOR, DA AGÊNCIA BRASÍLIA
 

Foto: Renato Alves / Agência Brasília

A espera de mais de 20 anos dos moradores de Santa Maria por um terminal rodoviário começa a aproximar do fim. Na presença do governador Ibaneis Rocha, foi assinado nesta quarta-feira (7) o termo de cessão de um terreno da Terracap para construção da parada dos ônibus na cidade.

Com 29 anos de fundação, a população de 129 mil habitantes – segundo dados da Codeplam de 2018 – não conta com um espaço estruturado para embarque e desembarque de passageiros das 11 linhas de ônibus que atendem a região administrativa.

“A cidade, graças a Deus, está passando por um período de muitas obras e esta será um ganho considerável para os moradores que há anos esperam por esse tipo de melhoria”, afirmou o governador Ibaneis. Deputada distrital e moradora da cidade, Jaqueline Silva esteve na assinatura do acordo. “O terminal é um sonho de anos. Eu cresci junto com Santa Maria e sei bem a importância que isso representa, disse ela.

Leia Também:  Deputado Iolando (PSC) cobra duplicação da BR 080 e lamenta a morte do ex-Distrital Juarezão em Sessão Extraordinária

O terreno cedido pela Terracap para que o GDF construa o terminal rodoviário é de pouco mais de 16 mil metros quadrados. A obra orçada em R$ 5,8 milhões, prevê a construção de um terminal administrativo, banheiros e diversas baias para parada e estacionamento dos ônibus.

Ao assinar a ordem de serviço, a Secretaria de Transporte e Mobilidade dá início, nos próximos dias, ao processo de licitação para o projeto de construção do terminal. A expectativa é de ainda este ano ele possa ser iniciado.

Papa-entulho
Na mesma ocasião, o presidente da Terracap, Gilberto Occhi, assinou outra ordem de serviço liberando um terreno de pouco mais de mil metros quadrados para a construção de um papa-entulho na 219 de Santa Maria.

Ele será destinado à recepção de móveis não utilizados, podas de árvores e materiais de construção que atualmente são deixados pela população em locais proibidos e sem destinação. O Serviço de Limpeza Urbana (SLU) do DF ficará responsável pela destinação final desse tipo de entulho descartado pela população – e que, além de sujar a cidade, serve de criadouro para proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

Leia Também:  Campanha de Bolsonaro mira vitória no 1º turno com voto útil antipetista

O orçamento previsto para a construção do terminal rodoviário e do papa-entulho é de R$ 5,8 milhões e R$ 270 mil, respectivamente. Parte desses recursos foi destinado por meio de emendas parlamentares da deputada Jaqueline Silva.

Fonte: Agência Brasilia

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

GDF

Maior assentamento rural do DF será regularizado

Publicados

em

Foto: Agência Brasília

GDF doou à União terrenos do Oziel Alves III, em Planaltina. Com isto, 168 famílias de agricultores vão conquistar a escritura definitiva

ANA LUIZA VINHOTE, DA AGÊNCIA BRASÍLIA | EDIÇÃO: RENATA LU

As famílias do maior assentamento rural do Distrito Federal, o Oziel Alves III, em Planaltina, finalmente terão as escrituras definitivas de suas casas. A regularização só será possível porque a Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) doou, nesta quarta-feira (5), a área à Secretaria do Patrimônio da União (SPU). São 168 terrenos de famílias de produtores rurais, com foco na produção orgânica.

Agora, a SPU e o Incra farão levantamentos topográficos, georreferenciamento, certificação, projeto de unificação e desmembramento da área do Oziel Alves III. Estas ações vão permitir a regularização definitiva do local | Foto: Renato Alves/Agência Brasília

O governador Ibaneis Rocha lembrou que existia uma disputa de terra na região havia 20 anos e os moradores acabavam sendo tratados como invasores. “A maneira jurídica que encontramos foi fazer a doação dessas terras para a União. A partir do momento que eles tiverem a documentação desse terreno, terão dignidade de volta. A previsão, segundo a SPU e o Incra [Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária], é resolver a situação em 90 dias”, informou.

“As obras físicas são importantes, mas outras ações para solucionar problemas também são. A parceria com o governo federal é fundamental. Os problemas jurídicos do DF são enormes, principalmente no que diz respeito à titulação de terras nas áreas rurais. Sabemos a importância de a pessoa ter a segurança jurídica para entrar em uma agência bancária, fazer um financiamento, cuidar da sua família, filhos e saber que essa casa será deles”, destacou o chefe do Executivo local, Ibaneis Rocha.

Leia Também:  Campanha de Bolsonaro mira vitória no 1º turno com voto útil antipetista

C0nfira o vídeo:

Leonardo Mundim, diretor de Regularização Social e Desenvolvimento Econômico da Terracap, explicou que após a doação, a SPU e o Incra farão levantamentos topográficos, georreferenciamento, certificação, projeto de unificação e desmembramento da área do Projeto de Assentamento Oziel Alves III. Ações, que vão permitir a regularização do local. “A solução para a legalização não era complexa. Resolvemos essa questão interpretando e aplicando o direito imobiliário. As soluções chegam mais facilmente quando pegamos as pedras para construir pontes ao invés de muros”, ressaltou.

“Sabemos a importância de a pessoa ter a segurança jurídica para entrar em uma agência bancária, fazer um financiamento, cuidar da sua família, filhos e saber que essa casa será deles”Ibaneis Rocha, governador

Secretário de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU), Mauro Benedito Filho, reforçou a importância da integração entre os governos federal e local. “É importante que essas pessoas beneficiadas tenham a regularidade plena de seus imóveis, buscando investimentos e fomentando a economia. A SPU se torna cada vez mais parceira do GDF para impulsionar o desenvolvimento sustentável, social, ambiental e econômico”, salientou.

Leia Também:  Embaixador chinês em Israel é encontrado morto em Tel Aviv

Conquista

Emocionado, o presidente da Associação dos Produtores Rurais do Assentamento do Oziel Alves III, Edson Pereira, agradeceu ao governo local pela ação em conjunto com o federal. “Teremos condições de produzir na sua área. Hoje é muito difícil, os insumos e maquinários são caros e não conseguimos fazer um financiamento. Com essa luta de muitos e muitos anos, as pessoas poderão sobreviver dentro de seus terrenos; além das políticas públicas, conseguiremos”, garantiu.

Moradora do assentamento há 19 anos, Vera Lúcia Alves, 54 anos, também comemorou a conquista da escritura de sua casa. “Graças ao nosso governador Ibaneis e a muita luta do presidente da nossa associação, o Edson, conseguimos essa vitória. Muitos amigos e colegas morreram sem ter a escritura de suas casas. Sabíamos que um dia Deus daria essa graça para nós. Lutamos muito para ter esse dia de alegria”, celebrou.

Também participaram do evento, o vice-governador, Paco Britto; os presidentes da Terracap, Izídio Santos, e da Emater-DF, Denise Fonseca; os secretários José Humberto (Governo) e Candido Teles (Agricultura); além do administrador de Planaltina, Célio Rodrigues; e dos deputados Jorge Vianna e Celina Leão.

Fonte: https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2021/05/05/maior-assentamento-rural-do-df-sera-regularizado/

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA