BRASÍLIA

GDF

Um brasiliense a caminho das Olimpíadas de Tóquio

Publicados

em

Foto: Satiro Sodré/CBDA

Beneficiário de dois programas do GDF, Kawan Figueiredo é, atualmente, um dos grandes nomes mundiais do salto

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: CHICO NETO

“O Cose foi minha base de tudo, e sou bem agradecido às pessoas daquele lugar”, disse, por telefone, diretamente do Japão,o atleta olímpico Kawan Figueiredo, de 18 anos, na manhã desta segunda-feira (3), um dia após garantir a classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, previstas para julho deste ano.

Kawan Figueiredo, já classificado, treina firme para a final da Copa do Mundo de Gwangju (Japão) | Foto: Satiro Sodré/CBDA

“Durante a pandemia, as ações foram adaptadas e replanejadas para que o trabalho não parasse em momento algum”Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

Cose, ao qual se referiu o jovem, é a nomenclatura antiga dada às unidades do Centro de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). Em 2009, o educador social da unidade do Gama, Laércio Nicolau, levou Kawan para uma seletiva de saltos ornamentais no Centro Olímpico e Paralímpico da região.

O atleta, apaixonado por futebol – mas já acostumado a treinar saltos mortais durante aas oficinas no Cose –, inicialmente resistiu à ideia. O treinador, porém, sabia do potencial do jovem. Dez anos depois, Kawan ganhou a medalha brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru.

“A ficha ainda não caiu”, afirma o atleta, ao comentar a vaga confirmada para Tóquio. Agora, afirma, é preciso manter o ritmo para a final da Copa do Mundo de Tóquio, após ter tido destaque na classificatória de Gwangju, na Coreia do Sul, na qual ele ganhou destaque na surpreendente quarta colocação da classificatória da plataforma de 10 metros. A decisão para a copa japonesda ocorre nesta terça-feira (4). Focado na disputa de medalha, Kawan relaxou apenas quando ouviu a voz da mãe, dona Antônia Maria. “Ela está superfeliz com meu resultado e me parabenizou muito”, conta, emocionado.

Leia Também:  Jornalista Weligton Moraes é confirmado na Secretaria de Comunicação

Beneficiário dos programas Bolsa Atleta e Compete Brasília, oferecidos pelo Governo do Distrito Federal (GDF) por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), Kawan Figueiredo treina no Centro de Excelência da Universidade de Brasília (UnB). “É um auxílio fundamental para o meu dia a dia de trabalho; sem eles, não conseguiria manter a rotina de treinos”, relata.

Serviço socioassistencial

A Sedes desenvolve o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos em 17 centros de convivência, seis unidades do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) e 18 organizações da sociedade civil (OSCs) parceiras de execução indireta, totalizando cerca de 4.415 participantes inscritos.

“Trata-se de um serviço de suma importância”, destaca a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. “Durante a pandemia, as ações foram adaptadas e replanejadas para que o trabalho não parasse em momento algum”.

“Vamos torcer bastante por mais esse talento esportivo da capital federal”Giselle Ferreira, secretária de Esporte e Lazer

O público frequentador é composto por crianças a partir de 6 anos, jovens, adultos e idosos, inseridos em atividades embasadas em estratégias voltadas ao fortalecimento de vínculos afetivos, conquista da autonomia, empoderamento do cidadão e convívio social.

Leia Também:  Agaciel Maia atende ofício do Sinpol-DF e inclui orçamento na LDO para ampliação do SVG

Para se inscrever no serviço, basta procurar o Cras de referência da região, onde será feito o devido encaminhamento.

Incentivo ao esporte

Assim como Kawan, vários esportistas participam dos programas de incentivo da SEL. Somente neste ano, estão sendo atendidos 130 atletas olímpicos e 107 atletas paralímpicos por mês.

“Estamos muito felizes com a conquista do jovem Kawan, que vai representar o Distrito Federal e o Brasil nos Jogos Olímpicos”, afirma a secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira. “Por meio de programas importantes, como o Bolsa Atleta, podemos ajudá-lo a manter a rotina de treinos com desempenho alto. Vamos torcer bastante por mais esse talento esportivo da capital federal.”

*Com informações da Sedes

Fonte: https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2021/05/03/um-brasiliense-a-caminho-das-olimpiadas-de-toquio/

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GDF

BRB tem lucro líquido de R$ 117 milhões no 1º trimestre

Publicados

em

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Crescimento de 9% foi impulsionado pela ampliação da margem financeira; inadimplência é a menor dos últimos dez anos

AGÊNCIA BRASÍLIA* | EDIÇÃO: CHICO NETO

Só no primeiro trimestre deste ano, o Banco de Brasília (BRB) alcançou lucro líquido de R$ 117 milhões. O valor representa crescimento de 9% em relação ao mesmo período de 2020. O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio foi de 23,6%.

Outra marca importante é a da consolidação do BRB como banco digital | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

“Apesar dos desafios do setor bancário e da maior concorrência, o BRB conseguiu manter níveis superiores de rentabilidade, baixar a inadimplência, cumprir sua função social enquanto banco público e ampliar suas operações”Paulo Henrique Costa, presidente do BRB

O crescimento no lucro líquido foi gerado pelo aumento da margem financeira, devido ao crescimento da carteira de crédito em todas as frentes de atuação e do aumento dos negócios com cartões de crédito, bem como pelo controle da inadimplência – a menor dos últimos dez anos. O lucro líquido recorrente no primeiro trimestre foi de R$ 106 milhões.

Em linha com seu planejamento estratégico, o BRB avançou e também se consolidou como banco digital completo. O Nação BRB FLA, fruto de parceria inovadora com o Flamengo, alcançou mais de 550 mil contas abertas, está presente em 39 países e 79% dos municípios brasileiros e em todos os continentes. Por meio do seu banco digital, o BRB possui clientes em mais de 4,3 mil municípios brasileiros. Somadas às demais contas, o banco encerrou o trimestre com quase 1 milhão de clientes, o que representa um crescimento de 47%.

O presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, comemora: “Apesar dos desafios do setor bancário e da maior concorrência, o BRB conseguiu manter níveis superiores de rentabilidade, baixar a inadimplência, cumprir sua função social enquanto banco público e ampliar suas operações, tendo como foco a qualidade no atendimento aos nossos clientes. Atuamos como banco completo, moderno e com foco na inovação”.

Destaques de crédito

A carteira de crédito ampla chegou a R$ 17,2 bilhões, com crescimento de 42,7% em 12 meses e de 6,3% no trimestre. Entre os principais destaques está o crédito imobiliário, com saldo de R$ 2,9 bilhões e crescimento de 143,5% em 12 meses e 16,1% em três meses. Os números levaram o BRB à manutenção da liderança no financiamento imobiliário no DF e à sexta posição no Brasil. A cada duas operações de crédito imobiliário no DF, praticamente uma é realizada com o BRB.

218 milfamílias foram beneficiadas pelo BRB desde o início da pandemia

Outros destaques foram a concessão de crédito a empresas, com saldo de R$ 1,5 bilhão e evolução de 139,4% em 12 meses e 8,7% no trimestre, e o crédito consignado, principal produto da carteira de crédito para pessoa física, cujo saldo alcançou R$ 8,4 bilhões com crescimento de 26,2% em 12 meses e de 3,2% no trimestre.

Como banco público e considerando a Agenda ESG , o BRB seguiu operacionalizando os programas sociais do Governo do Distrito Federal (GDF). Agenda ESG é a denominação dada pelo mercado financeiro referente aos conceitos ambiental (environment), social e de governança (governance). Refere-se a negócios, investimentos e ações de responsabilidade socioambiental dos bancos que contribuem para uma economia de baixo carbono e menor impacto ambiental, auxiliando na mitigação das desigualdades, na melhoria do bem-estar e equidade social, bem como na garantia de maior transparência e controle da gestão.

Leia Também:  Mulheres de Partidos e do CDDF debatem feminicídio

Programas sociais

Desde o início da pandemia de coronavírus, o BRB operacionalizou oito programas sociais do GDF, beneficiando 218 mil famílias com mais de R$ 208 milhões – o equivalente a mais de 25% da população do Distrito Federal.

Nesse trimestre, por meio do Instituto BRB, o banco liderou um processo de captação de recursos para a ampliação do Hospital Regional de Samambaia, visando à oferta de 102 leitos de retaguarda para tratamento da covid-19 cuja estrutura tem caráter permanente e ficará à disposição da população da região após a pandemia, reforçando o sistema público de saúde.

Fusões e parcerias

O BRB também deu andamento ao processo de realização de fusões, aquisições e parcerias estratégicas, visando acelerar a modernização e a expansão dos negócios, conforme tem sido comunicado ao mercado, e concluiu a seleção de parceiros nos negócios de investimentos e corretagem de seguros.

A Genial Investimentos Corretora de Valores Mobiliários S.A e a Wiz Soluções e Corretagem de Seguros S.A foram os parceiros selecionados, respectivamente, para cada uma das linhas de negócios. A conclusão dessas operações deve ocorrer nos próximos meses, após as assinaturas dos contratos e acordos operacionais, além das aprovações pelos órgãos responsáveis.

Nos próximos trimestres, o BRB continuará a sua expansão nacional por meio do banco tradicional e do banco digital, ampliando e diversificando a sua base de clientes por meio da oferta completa de produtos e serviços bancários, de investimento, seguridade e meios de pagamento.

Inadimplência

A inadimplência encerrou o primeiro trimestre deste ano em 1,44%, redução de 0,16 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre de 2020. Com o desempenho apresentando, o BRB permanece abaixo da média de mercado, de 2,19%. Os ratings de menor risco de AA-C atingiram o patamar de 95,8% de participação na carteira em março.

R$ 128 milhõesTotal de receitas com prestação de serviços no primeiro trimestre

As despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa ampla foram de R$ 61 milhões no primeiro trimestre de 2021, um aumento de 51,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior. A carteira de crédito do BRB continua marcada pela concentração de 77,4% do saldo em operações de baixo risco, como crédito consignado, imobiliário e crédito parcelado para o servidor público.

Eficiência operacional

As receitas com prestação de serviços no primeiro trimestre do ano totalizaram R$ 128 milhões, em nível próximo ao registrado no mesmo período de 2020, com R$ 132 milhões. A dinâmica de receitas e despesas do BRB apresentou uma melhora expressa pela queda de 2,3 pontos percentuais do índice de eficiência, que finalizou o trimestre em 55,1% frente a 57,4% do primeiro trimestre de 2020.

Basileia

O BRB encerrou o primeiro trimestre com índice de Basileia de 14,6%, dos quais 13,2% no capital nível I, acima do marco regulatório de 9,25%, e 1,4% no capital nível II. Índice de Basileia é o indicador dos bancos que mede a capacidade de resistência a perdas derivadas de inadimplência, flutuações de preços do mercado, perdas operacionais e demais riscos. Mede, na instituição financeira, a solvência, que é a capacidade do banco de horar compromissos.

Covid-19 e responsabilidade social

Assim como na primeira onda da covid-19, no ano passado, quando criou o programa Supera-DF para minimizar os impactos financeiros decorrentes da pandemia, o BRB lançou, este ano, o Acredita-DF, que já movimentou mais de R$ 2,5 bilhões, entre novos contratos e suspensão de pagamentos de financiamentos contratados anteriormente. O Acredita-DF atendeu mais de 63 mil clientes, entre pessoas físicas e jurídicas. No ano passado, com o Supera-DF, o BRB movimentou mais de R$ 4 bilhões.

Leia Também:  Após rompimento com Rollemberg, Rede desagrada filiados e racha no DF

Por meio do Instituto BRB, entidade sem fins lucrativos e responsável pelas ações de responsabilidade social e ambiental do Conglomerado BRB, o banco iniciou a construção de um hospital em sistema modular em Samambaia que terá 102 leitos com suporte respiratório.  O investimento total, de R$ 14,5 milhões, conta com recursos do próprio BRB, doações do Comitê Todos Contra a covid e de grupos empresariais de diferentes setores.

BRB + Digital

O primeiro trimestre do ano foi marcado pela consolidação do BRB como banco digital. Por meio da parceria com o Flamengo, o Nação BRB FLA finalizou os três primeiros meses do ano com 261 mil contas abertas. Atualmente, o número ultrapassou 550 mil contas. O banco digital está presente em 39 países, 79% dos municípios brasileiros e em todos os continentes.

Foto: Divulgação

O trimestre também foi marcado pelo lançamento da plataforma de investimentos do Nação BRB FLA, em conjunto com a Genial Investimentos. A plataforma aumentou o portfólio de produtos e serviços e oferece 280 opções de investimento, além de home broker para operar diretamente no mercado de ações.

Reorganização e parcerias estratégicas

No início deste ano, conforme comunicação feita ao mercado, o BRB aprovou duas parcerias estratégicas com a Wiz Soluções, para a linha de negócios de corretagem de seguros, e outra com a Genial Investimentos, para negócios de gestão e administração de recursos de terceiros.

As parcerias proporcionarão ao BRB aumento da expertise de mercado, diversificação e melhoria do seu portfólio de produtos, aporte de tecnologia e alcance geográfico para consolidar os planos de expansão.

Seguindo seu planejamento estratégico para cumprimento de seus objetivos de diversificação e crescimentos dos negócios, o BRB tem conduzido processo de seleção de assessores financeiros e jurídicos para a realização de follow-on.

Clientes e canais

168 milcontas foram abertas nos três primeiros meses deste ano

Em março, o BRB possuía um total de 980 mil clientes, número que representa um crescimento de 47% em relação ao mês de março de 2020. Os clientes pessoa física (PF) representavam um total de 947 mil, aumento de 48,5% frente ao mesmo período do ano passado. Já os clientes pessoa jurídica (PJ) atingiram a marca de 32 mil, aumento de 11,1%.

Ao longo do primeiro trimestre de 2021, foram abertas 186,8 mil contas. Desse total, 91% foram abertas por meio dos canais digitais, consolidando a estratégia digital do BRB – que conta com 138 agências distribuídas em todas as regiões do DF e Entorno, além de presença em Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Piauí.

Ao número de agências, somam-se 141 correspondentes bancários (BRB Conveniência) e 590 ATM próprios, complementados por mais de 40 mil ATM (banco eletrônico) da Rede 24 horas, garantindo ao BRB cobertura de atendimento em todo o território nacional.

 

*Com informações do BRB

Fonte: Agência Brasília

https://www.agenciabrasilia.df.gov.br/2021/05/13/brb-tem-lucro-liquido-de-r-117-milhoes-no-1o-trimestre/

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA