BRASÍLIA

BRASIL POLÍTICA

Buscas pelo nome de Abraham Weintraub sobem mais de 5000% no Google

Publicados

em

De acordo com a empresa, esse foi o maior salto em todo o país nesta semana

HELOISA BALLARINI/ESTADÃO CONTEÚDO

HELOISA BALLARINI/ESTADÃO CONTEÚDO
Manoela Albuquerque

O salto nas buscas foi de 5.000% no período de 24 horas. O nome do novo chefe do MEC foi mais procurado, por exemplo, do que o do ministro mais popular nas rede, Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública). Um gráfico divulgado pelo Google Trends mostra o comparativo:

Divulgação/Google

Quem é Abraham Weintraub?
O novo ministro da Educação é um economista formado pela Universidade de São Paulo (USP), em 1994, e mestre em finanças pela Fundação Getúlio Vargas. Antes da nomeação, ele trabalhava como professor da Unifesp e secretário-executivo da Casa Civil.

Abraham e o irmão Arthur se tornaram colaboradores da campanha de Jair Bolsonaro à presidência da República para o pleito de 2018. Os dois atuavam como uma espécie de assessores técnicos do então deputado federal pelo Rio de Janeiro e pré-candidato.

Os irmãos Weintraub são conhecidos por defender ideias do guru da família Bolsonaro, Olavo de Carvalho. No ano passado, durante participação na Cúpula Conservadora das Américas, realizada em Foz do Iguaçu, Abraham citou o escritor e disse que era preciso adaptar as ideias dele para combater os militantes de esquerda.

Crise no MEC
Ricardo Vélez, o antecessor de Weintraub, durou menos de 100 dias no governo como ministro da Educação. Nesse período, ele demitiu 92 pessoas do alto escalação do MEC.

Com os descompassos na pasta, cargos importantes, como o comando do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), estão vagos.

Além disso, nesse período, 20,8% dos servidores pediram demissão, como a ex-secretária de Educação Básica Tânia Leme de Almeida, que deixou a pasta por não ter sido consultada sobre a decisão do agora ex-ministro de suspender a avaliação de alfabetização.

Leia Também:  "Política não é terreno para intolerantes e lacradores", diz Covas durante posse

Vélez também gerou problemas ao governo devido a declarações polêmicas que deu enquanto estava à frente da pasta. Entre elas, a sugestão para alterar a maneira como é retratado o golpe de Estado que retirou o presidente João Goulart do poder, em 1964. O ministro disse que gostaria de rever a forma como o evento era chamado, banindo o termo ditadura.

Durante o mandato, o ministro enviou uma carta às escolaspedindo para os professores filmarem alunos perante a bandeira durante a execução do Hino Nacional e, após esse momento, solicitou que lessem uma mensagem com o slogan da campanha eleitoral de Bolsonaro. O pedido foi retificado na sequência.

Fonte: Metropoles

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

BRASIL POLÍTICA

Câmara pode votar nesta quinta-feira pena maior para maus-tratos de crianças e idosos Fonte: Agência Câmara de Notícias

Publicados

em

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados Fonte: Agência Câmara de Notícias

A Câmara dos Deputados realiza sessão de votações nesta quinta-feira (15), às 10 horas, com nove itens em pauta. Entre eles, o Projeto de Lei 4626/20, do deputado Helio Lopes (PSL-RJ) e outros, que agrava penas para abandono de incapaz e maus-tratos de crianças, idosos e pessoas com deficiência.

“O projeto visa endurecer as penas para casos de abandono de incapaz, maus-tratos e exposição a perigo da integridade e da saúde, física ou psíquica, do idoso, da criança e de pessoas com deficiência, aumentando a punição para quem expuser essas pessoas a perigo ou submetê-las a condições desumanas ou degradantes”, explica o autor.

Segundo o texto, a pena de reclusão passa de 4 a 12 anos para 8 a 14 anos se as ações resultarem em morte.

Ao defender a urgência da proposta, Helio Lopes ressaltou que, no ano passado, desde o início da pandemia, houve um aumento de violência e maus-tratos contra o idoso de 59% e contra a criança de 48%. Esses dados foram obtidos pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Leia Também:  Presidente da Adepol do Brasil se reúne com Secretário Nacional de Segurança Pública

“Trago o exemplo da morte do menino Henry Borel, que acompanhamos, tristemente, com forte sentimento de impotência. Porém, infelizmente, esse não é um caso isolado. Temos diversos casos todos os dias de abusos e de maus-tratos contra crianças, idosos, pessoas com deficiência. São anônimos que não estampam os jornais, porém estão na grande maioria das estatísticas”, afirmou o deputado.

Ao aprovar o regime de urgência para o projeto, na sessão do Plenário desta terça-feira (13), os deputados fizeram 1 minuto de silêncio em memória das vítimas de abusos e maus-tratos.

Cultura

Entre as propostas em pauta está também o Projeto de Lei 795/21, do Senado, que reformula a Lei Aldir Blanc para prorrogar prazos de utilização de recursos repassados a título de apoio ao setor cultural em decorrência da pandemia de Covid-19.

Outro projeto pautado é o PL 5222/20, do deputado Luís Miranda (DEM-DF), que dispensa bombeiros e policiais militares de justificarem multas tomadas no exercício do trabalho com viaturas oficiais.

Fonte: Agência Câmara de Notícias   Link: https://www.camara.leg.br/noticias/746191-camara-pode-votar-nesta-quinta-feira-pena-maior-para-maus-tratos-de-criancas-e-idosos/

Leia Também:  Governo planeja estender acordo de revitalização da Praça dos Três Poderes a outros espaços no DF

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA