BRASÍLIA

ENTORNO POLITICA

O Superintendente Federal da Agricultura, Bernardo Sayão Neto, é pré-candidato a deputado federal pelo Entorno do Distrito Federal

Publicados

em

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up

O Superintendente Federal da Agricultura, Bernardo Sayão Neto, é pré-candidato a deputado federal pelo Entorno do Distrito Federal

Com presença do presidente do partido, o deputado federal Daniel Vilela, pré-candidato ao governo do Goiás; do prefeito de Goiânia, Iris Rezende; e do ex-vice-governador de Goiás, Maguito Vilela, o Superintendente Federal da Agricultura do DF, Bernardo Sayão Neto, assinou sua ficha de filiação ao partido, em solenidade de inauguração do novo diretório da sigla na capital Goiana.
Após receber as boas vindas das autoridades, o novo filiado justificou sua escolha pelo partido. “Tive alguns convites, mas optei pelo MDB porque é uma sigla forte em Goiás e tem bastante potencial eleitoral”. E acrescentou: “estou à disposição para disputar o pleito de outubro. Quero ver as cidades do entorno crescendo ainda mais. Não vou medir esforços na busca por recursos junto aos governos estadual, distrital e federal. Sayão ressaltou ainda a continuidade da luta pelo agronegócio, caso seja eleito – mesmo que, para isso, seja necessário abrir mão de seu cargo atual na SFA-DF. “Agora, quero trabalhar em maior escala para o crescimento e progresso desse estado tão importante e rico”, declarou.

A imagem pode conter: 11 pessoas, pessoas sorrindo, multidão e atividades ao ar livreSayão Neto é engenheiro agrônomo, com domicílio eleitoral em Formosa. No Ministério da Agricultura, prestou serviço transparente e seus trabalhos foram elogiados pelos ministros que comandaram a pasta. É neto do engenheiro civil e ex-vice-governador de Goiás, Bernardo Sayão, construtor da rodovia transbrasiliana.

Fonte: EG NEWS

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Novo chefe da casa Militar é aliado da comandante-geral da PM

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

ENTORNO POLITICA

Mais 12 cidades farão parte da Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE)

Publicados

em

Por

Resultado de imagem para Alto Paraíso, Cavalcante e mais 10 cidades farão parte da Ride

Alto Paraíso, Cavalcante e mais 10 cidades farão parte da Ride

Agora, Alto Paraíso, Alvorada do Norte, Barro Alto, Cavalcante, Flores de Goiás, Goianésia, Niquelândia, São João d’Aliança, Simolândia e Vila Propício, além dos municípios mineiros de Arinos e Cabeceira Grande, foram incluídos Ride. Senadores aprovaram o projeto sob o argumento de essa região tem forte ligação socioeconômica com o Distrito Federal


Proposta aguarda sanção presidencial (foto: Credito: Breno Fortes/CB/D.A. Press. Brasil)
Proposta aguarda sanção presidencial(foto: Credito: Breno Fortes/CB/D.A. Press. Brasil)

A Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride-DF) ganhou mais 12 municípios, entre eles, Cavalcante (GO) e Alto Paraíso (GO). Os senadores aprovaram o projeto de lei na terça-feira (22/5) com 64 votos favoráveis e um voto contrário. Agora, a proposta segue para a sanção presidencial.

Pelo texto do PLC 102/2015–Complementar, passam a fazer parte dessa região dez municípios goianos e dois mineiros: Alto Paraíso, Alvorada do Norte, Barro Alto, Cavalcante, Flores de Goiás, Goianésia, Niquelândia, São João d’Aliança, Simolândia e Vila Propício, todos de Goiás e Arinos e Cabeceira Grande, em Minas Gerais.
Criada em 1998, a Ride é atualmente composta pelo próprio Distrito Federal e pelos municípios goianos de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso e Vila Boa, além dos municípios mineiros de Unaí e Buritis.
Pelo texto do PLC 102/2015–Complementar, passam a fazer parte dessa região dez municípios goianos: Alto Paraíso, Alvorada do Norte, Barro Alto, Cavalcante, Flores de Goiás, Goianésia, Niquelândia, São João d’Aliança, Simolândia e Vila Propício, além dos municípios mineiros de Arinos e Cabeceira Grande.

Criada pela Lei Complementar 94/1998, a Ride é atualmente composta pelo próprio Distrito Federal e pelos municípios goianos de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Pirenópolis, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso e Vila Boa, além dos municípios mineiros de Unaí e Buritis.

Leia Também:  "Não me mate, tenho 5 filhos”, disse PM antes de ser executado

O projeto visa apenas ampliar a área de abrangência da Ride, com base no argumento de que existe um conjunto de municípios limítrofes a essa região que apresentam uma forte ligação socioeconômica com o Distrito Federal e não são seus membros originais.

O projeto também foi defendido pelos senadores Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Wilder Morais (DEM-GO) como benéfico para a diminuição das desigualdades regionais. Para eles, os municípios beneficiados terão mais atenção pública em relação às áreas de saúde, educação, transporte e segurança pública. Caiado também ressaltou a situação da população de Goiás que mora no Entorno de Brasília e trabalha no Distrito Federal, mas sofre com a falta de atenção e de recursos.

O PLC foi aprovado sem o nome do distrito de São Gabriel, em Goiás. Caiado explicou que São Gabriel é um distrito da cidade de Planaltina, que já integra a Ride.

Fonte: EG NEWS com Informações da Agência Senado

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA