BRASÍLIA

BRASIL POLÍTICA

Três meses após Weintraub denunciar sabotagem, ninguém foi punido

Publicados

em

Em agosto, ministro da Educação acusou hackers de prejudicarem o funcionamento de sites como o do Prouni e do Fies. PF investiga

André Borges/ Especial para o MetrópolesANDRÉ BORGES/ ESPECIAL PARA O METRÓPOLES

Oitenta e cinco dias se passaram desde quando o ministro da Educação, Abraham Weintraub, convocou a imprensa e denunciou uma suposta sabotagem em sites da pasta. Neste domingo (03/11/2019), ocorre a primeira etapa de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). À época, o ministro disse que a instabilidade da plataforma de inscrições poderia prejudicar o programa.

Após as suspeitas de que estava havendo sabotagem nos serviços online da pasta, Weintraub chamou a Polícia Federal. A corporação foi acionada para investigar quem, e como, algum grupo estaria influenciando na rotina das plataformas. O ministro chegou a levantar suspeitas sobre servidores que teriam o intuito de prejudicar o governo.

Três meses após a denúncia, ninguém foi punido. Tanto o Ministério da Educação como a Polícia Federal não detalham a situação atual do inquérito. O Metrópoles apurou, no entanto, que computadores e arquivos da pasta foram alvos de apuração da polícia. Técnicos também foram ouvidos. A Polícia Federal abriu inquérito, mas não apresentou resultados.

O ministério não detalhou quais problemas estavam havendo nos sistemas. Cogitou-se, por exemplo, ataques externos aos programas. Na época, estava em voga a teoria de que “hackers” atuavam contra o governo. Um sistema interno da pasta também foi comprometido. Segundo o governo, até mesmo o sistema de presença, que é usado para o pagamento do Bolsa Família, ficou instável.

Esta semana, de forma intermitente, alguns dos sites do MEC estiveram fora do ar. Não dissemos nada (peço sua compreensão) pois chamamos a Polícia Federal para nos ajudar. Hoje, 9:00 horas (em menos de 2 horas) teremos uma coletiva de imprensa. Acompanhem…

“Os serviços estão caindo, alguns deles, de uma forma que a gente não consegue explicar apenas tecnicamente. Há indícios de sabotagem, e esses indícios nos levaram a chamar a Polícia Federal para investigar e verificar se são prova ou não de algo criminoso que possa estar acontecendo aqui”, destacou o ministro, em 8 de agosto.

Para não prejudicar estudantes, a pasta prorrogou as datas de inscrição em testes e programas como Enem, Fies e Prouni.
Demissões
Dias antes dos problemas começarem a acontecer, Weintraub demitiu técnicos de informática responsáveis pelo sistema de presença do Bolsa Família. O programa é usado por municípios. Segundo o ministro, a anulação dos contratos que, nas palavras dele ele, vinham sendo renovados “de forma irregular”.

A Polícia Federal ainda não apresentou relatórios das análises do material investigado. Quando o ministro denunciou o caso, o superintendente da PF no DF, Márcio Nunes de Oliveira, garantiu celeridade no processo. “Assim que analisarmos o material, veremos se haverá ou não abertura de inquérito”, ponderou, em agosto.

Em nota, o Ministério da Educação informou que as investigações da Polícia Federal estão em curso e foi aberto um inquérito para investigar os indícios de sabotagem. “Para não prejudicar os estudantes, a pasta prorrogou os prazos dos seus diversos programas, as informações com as datas estão no site do MEC”, resume o texto.

Leia Também:  Administrações regionais usaram 61% das verbas para pagar salário, mais Taguatinga menos Varjão

A reportagem entrou em contato com a Polícia Federal, mas não obteve resposta até a última atualização deste texto. O espaço continua aberto a manifestações.

Postagem: http://temporarioegnews.com.br

Fonte: Metropoles

COMENTE ABAIXO:

Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

BRASIL POLÍTICA

Nordeste tem quatro indicados para eventual chapa de Lula

Publicados

em

Foto: Agência Brasil

Nenhuma região do Brasil tem tantos candidatos a vice-presidente para Lula da Silva como o Nordeste.

A lista é encabeçada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PSCdoB) e conta também com o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e agora aparece o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB).

 Rui Costa (PT), da Bahia – o maior colégio eleitoral da região – que deixa o Palácio de Ondina, é vez ou outra citado pelo núcleo próximo do ex-presidente.

Enquanto a campanha não vem, segue a grita do PT contra a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, por ter agendado para a quinta-feira análise em plenário do pedido de impugnação feito pela PGR da decisão do ministro Edson Fachin, que anulou as condenações de Lula. O partido informa, na nota, que o ministro e o STF sofrem pressão de setores contra sua decisão monocrática pró-Lula. Faltou dizer quem.

A despeito de o Supremo Tribunal Federal agendar para quinta-feira o pedido de impugnação da anulação das condenações de Lula da Silva, ele segue dando entrevistas à mídia estrangeira.

Fonte: Jornal de Brasilia
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  “Moro tem a segurança da PF”, diz Ibaneis sobre líder do PCC no DF
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA