BRASÍLIA

MUNDO

Ânimos seguem acirrados na Bolívia mesmo com presidente interina

Publicados

em

Durante a madrugada, medo ainda tomava as ruas de La Paz e dezenas de barricadas impediam o trânsito de veículos

Na madrugada desta quarta-feira (13/11/2019) o medo ainda tomava as ruas da cidade. En El Alto, reduto de apoiadores de Evo, o bloqueio que já dura três dias à saída do aeroporto, o principal do país, foi mantido. Havia dezenas de barricadas, fogueiras ou cordões impedindo o trânsito de veículos. Pedras e pedaços de pau usados em confrontos com as forças de segurança continuavam espalhados pelas vias.

Poucos táxis circulavam pela região. Dezenas de pessoas preferiram dormir no chão do aeroporto a enfrentar o risco de passar pelos bloqueios. Os que se atrevem, são obrigados a desviar por ruas secundárias e vielas em trajetos que levam o dobro do tempo normal.

Já nas proximidades da região central da capital boliviana, as barricadas são organizadas por moradores e comerciantes que tiveram suas casas e estabelecimentos invadidos e saqueados por vândalos e se revezam em vigílias em torno de fogueiras armados com barras de ferro e tacos de beisebol. Nestes pontos é possível negociar a passagem. Em alguns bloqueios, os organizadores pedem para revistar os carros.

“É que tem gente se aproveitando para trazer coquetéis molotov e outros explosivos”, disse um homem encapuzado que não quis se identificar.

Aumento no preço dos alimentos
A dificuldade de transporte faz com que os preços de alguns alimentos tenha aumentado. Apesar da promessa de produtores de manter o abastecimento nas principais cidades, alguns itens básicos estão em falta. Há a desconfiança de que distribuidores e comerciantes tenham escondido produtos para lucrar com a crise.

“Tem gente inescrupulosa escondendo alimentos. Isso aumenta o risco de saques e prejudica os comerciantes honestos”, afirmou o homem encapuzado.

Segurança
Embora as Forças Armadas e a Polícia tenham anunciado na segunda-feira a realização de ações conjuntas para garantir a segurança da população, durante a madrugada quase não se via policiais nas ruas.

Na zona sul de La Paz, onde ficam os bairros ricos, hotéis sofisticados funcionam com as portas fechadas e as luzes apagadas para não chamar a atenção. Os hóspedes têm que entrar por portas laterais e são orientados a não ficar nas ruas.

Fonte: Metropoles
COMENTE ABAIXO:

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

MUNDO

Governador de NY assediou várias mulheres sexualmente e violou leis, conclui investigação

Publicados

em

Por

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, durante entrevista coletiva em 10 de maio de 2021 — Foto: Mary Altaffer/Pool via Reuters

O governador de Nova York, Andrew Cuomo, assediou sexualmente várias mulheres e violou leis federais e estaduais, afirmou a procuradora-geral do estado, Letitia James, nesta terça-feira (3).

A investigação começou em março, após duas ex-assessoras acusarem o governador democrata de assediá-las no local de trabalho. Posteriormente, várias outras denúncias surgiram.

VEJA TAMBÉM:

Governador Andrew Cuomo passa a ser investigado após denúncias de assédio

Governador Andrew Cuomo passa a ser investigado após denúncias de assédio

“A investigação descobriu que o governador Andrew Cuomo assediou sexualmente atuais e ex-funcionárias do estado de Nova York, envolvendo-se em toques indesejados e não consensuais e fazendo vários comentários ofensivos“, afirmou James.

Os investigadores ouviram 179 pessoas nos últimos cinco meses, incluindo mulheres que o denunciaram e funcionários e ex-funcionários do governo estadual.

Leia Também:  EUA: aprovação de Trump sobe a 45%, diz pesquisa

A procuradora-geral de Nova York afirmou que o que se revelou foi um “local de trabalho tóxico” e um “clima de medo” no qual Cuomo assediou sexualmente várias mulheres, muitas delas jovens, com “apalpadas indesejadas, beijos, abraços e comentários inadequados”.

Segundo James, Cuomo e sua equipe também retaliaram ao menos uma pessoa por reclamar da conduta do governador de Nova York, que até o momento não se pronunciou.

A procuradora-geral de Nova York, Letitia James, durante entrevista coletiva em seu escritório em 21 de maio de 2021 — Foto: Richard Drew/AP

VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

G1

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA