BRASÍLIA

Notícias

Hospitais de campanha concentram internações para liberar leitos para cirurgias eletivas

Com a centralização, leitos dos hospitais regionais estão em processo de remobilização para aumentar a oferta de procedimentos cirúrgicos

ADRIANA SILVA I EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA I DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

Os três hospitais de campanha do Distrito Federal atualmente em funcionamento estão concentrando as internações de pacientes com covid-19. Antes dessa organização no fluxo, as internações ocorriam em todos os hospitais da rede. Com o avanço da vacinação e redução dos índices de internações por covid-19, especialmente em UTIs, foi possível fazer essa organização e liberar leitos dos hospitais regionais para avançar na realização de cirurgias eletivas.

Hospital de Campanha do Autódromo – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Os três hospitais de campanha funcionam no Autódromo, em Ceilândia e no Estádio Bezerrão, no Gama, e contam com 100 leitos cada um. Além disso, o DF conta com dois hospitais acoplados ao Hospital Regional de Samambaia, com 102 leitos, e ao Hospital Regional de Ceilândia, com 73 leitos.

Desde a inauguração, os três hospitais de campanha, já receberam 1.708 pacientes com covid-19, sendo 574 no Autódromo, 625 no Gama e 509 em Ceilândia. A gerente multidisciplinar das três unidades provisórias, Ludmilla Ferreira, explica como os espaços estão estruturados.

“Cada um dos três hospitais possui 100 leitos divididos em cinco alas com 20 leitos, cada uma, todos equipados com monitores multiparamétricos, ventiladores mecânicos, bombas de infusão e suporte dialítico. As unidades contam também com sala de treinamento realístico para capacitação da equipe, salas de triagem, de procedimentos invasivos, arsenal de equipamentos e insumos, raio X digital, ultrassom portátil e tomografia, além das farmácias”, detalha.

Sala de admissão do Hospital de Campanha do Autódromo – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Ludmila conta, ainda, que todos ambientes são climatizados, que as unidades possuem banheiros adaptados para pacientes com necessidades especiais, copas, áreas de descompressão internas e externas, setor de informática, engenharia clínica, área para o desembarque das ambulâncias e saídas de pacientes encaminhados para alta.

Leia Também:  Primeira dose da vacina de Oxford garante 76% de proteção

Taxa de ocupação

A taxa de ocupação nos últimos dias gira em torno de 40%. Para prestar assistência à população, os hospitais contam com equipes multidisciplinares composta por médicos, fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, cirurgiões-dentistas, terapeutas ocupacionais e enfermeiros.

Pacientes contam com estrutura de última geração e equipe multiprofissional capacitada –  Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Os hospitais de campanha trabalham com o projeto de humanização no atendimento aos pacientes. Além de um centro de treinamento para os servidores, que capacita desde a paramentação, lavagem de mãos até os procedimentos mais complexos.

O gerente assistencial da unidade montada no Autódromo, Fábio Souza, explica que o prontuário consta informações pessoais e as preferências do paciente e isso tem trazido mais proximidade dos pacientes com a equipe que o atende.

“Conversamos com o paciente sobre os assuntos que ele tem interesse, isso além de afastar a ansiedade do paciente, promove um relaxamento e gera mais confiança”, disse. Segundo Fábio, diversas atividades são realizadas com os pacientes, como banho de sol associado a reabilitação cardiopulmonar, rodas de conversas entre os pacientes, jogos como dominó e bingo ao som de músicas escolhidas por eles, palhaço-terapia com apoio do projeto Gotas de Alegria, exposição de pinturas realizadas pelos pacientes no momento da Arte Terapia.

Leia Também:  Reações estranhas depois de tomar a vacina precisam ser comunicadas à Anvisa

Fisioterapia no Hospital de Campanha do Autódromo de Brasília – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

Também tem a sala de reabilitação, onde os pacientes realizam atividades motoras relacionadas às atividades de vida diária de cada um para uma alta segura, e também o prontuário afetivo em cada leito, onde consta a profissão do paciente, número de filhos, preferências musicais, gosto culinário e o time do coração.

Para a equipe do hospital, as informações contidas no prontuário afetivo servem para a equipe conhecer um pouco mais do paciente, além do prontuário clínico.

Permanência

A internação de um paciente com covid-19 é de no mínimo de 7 dias e há casos em que o paciente permanece internado por várias semanas. No caso de internação longa, nesse intervalo o paciente precisa se manter ativo para que não haja perda de massa muscular. É aí que entra o trabalho da terapeuta ocupacional, Bruna Nascimento, que realiza junto com os pacientes vários movimentos que estimulam a coordenação física e motora do paciente para que ele não perca a capacidade de escrever, teclar, escovar os dentes, pegar um copo, que são alguns exemplos de coordenação motora fina.

A profissional desenvolveu objetos direcionados para essas atividades específicas. “Primeiro temos uma conversa com o paciente para entender como era a rotina dele antes da doença. Em cima dessa informação, focamos nas atividades para que ele consiga retomar sua rotina logo após a alta hospitalar. Trabalhamos essencialmente a força, a amplitude e o tônus muscular”, ressalta.

Saúde

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Notícias

Processo seletivo segue com inscrições abertas

Publicados

em

Por

São mil vagas temporárias sendo 500 para agente comunitário de saúde e 500 para agente de vigilância ambiental

JOHNNY BRAGA, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

Até às 23h59 da próxima terça-feira (21) seguirão abertas as inscrições do edital nº 165 para contratação temporária de 500 agentes comunitários de saúde e 500 para agentes de vigilância ambiental. Não haverá provas e os candidatos poderão se inscrever no site do Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação. O valor da inscrição é de R$ 42 e o grau de escolaridade exigido é para quem tem o Ensino Médio.

Os aprovados terão uma jornada de trabalho de 40 horas semanais e remuneração mensal de R$ 1,7 mil, no caso dos agentes comunitários de saúde e 2 mil para os agentes de vigilância ambiental.

No ato da inscrição é necessário anexar comprovante de títulos e experiência profissional em conformidade com o Edital Normativo. Os candidatos serão selecionados por meio de análise curricular de caráter classificatório. A experiência na função e a titulação contam pontos mas não são requisitos obrigatórios.

Em caso de dúvidas, os interessados podem contatar a banca organizadora pelo telefone (11) 4788-1430 ou pelo site. A seleção terá validade de um ano, a contar da homologação do resultado final. O prazo poderá ser prorrogado uma vez, por igual período.

Leia Também:  Brasil registra 181 mil óbitos e 6,88 milhões de casos de covid-19

“A contratação dos mil agentes vai reforçar o trabalho de vigilância à saúde e no enfrentamento à pandemia, considerando que esses agentes têm em suas atribuições o trabalho de combate aos agentes biológicos e não biológicos, além de outras endemias”, pontua a subsecretária de Gestão de Pessoas, Silene Almeida.

Ainda segundo a gestora, haverá um reforço substancial nas equipes de atenção primária que, atualmente, possuem um grande déficit de agentes comunitários de saúde, desfalcando muitas equipes. “Com a contratação dos novos agentes as equipes serão consistidas, acarretando até em aumento do repasse do Ministério da Saúde para a SES/DF no financiamento do programa”, explica.

Área de atuação

Os agentes comunitários de saúde atuarão na atenção primária fortalecendo as equipes de Saúde da Família e aproximando-as com a comunidade, entendendo a necessidade dos territórios e promovendo o vínculo e acesso aos serviços.

De acordo com o coordenador da Atenção Primária, Fernando Erick Damasceno, os agentes exercem outras atividades essenciais. “Os agentes possuem funções educativas e de apoio nas atividades coletivas e práticas integrativas. E hoje, com o novo modelo de financiamento da Atenção Primária à Saúde no âmbito do SUS, são fundamentais para realizar o cadastro da população”, ressalta.

Leia Também:  Após idas e vindas, Copa América começa no próximo domingo (13)

Já a contratação dos agentes de vigilância ambiental é estratégica para reforçar as equipes que são responsáveis pelas atividades extra-hospitalares e realizam, por exemplo, as visitas domiciliares para controle de endemias, fazendo rastreamento de contato, monitoramento da rastreabilidade dos diversos tipos de cepa do novo coronavírus. Eles também farão a coleta de dados sobre comportamentos epidemiológicos, entre outras atividades que precisam ser realizadas em campo e servem para subsidiar o conjunto de ações em saúde, inclusive o planejamento estratégico para os próximos anos.

Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

Nos siga no Facebook

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.