BRASÍLIA

noticias do df

Chuva provoca desabamentos e alagamentos no DF neste sábado (20/2)

Ruas alagadas e desabamentos foram registrados em diversos pontos do Distrito Federal após temporal que atingiu a região no fim da tarde

Divulgação/CBMDF

forte chuva que caiu no Distrito Federal no fim da tarde deste sábado (20/2) causou desabamentos, alagamentos e queda de energia em diferentes pontos da cidade.

Algumas paredes residenciais de uma chácara no Riacho Fundo I desabaram. Em Samambaia, na QR 307, um telhado e partes de uma casa em construção também caíram.

Os alagamentos foram registrados nas seguintes localidades: QE 15 e QE 28 do Guará II; ADE de Águas Claras (atrás do Forte Atacadista); QSC 19 de Taguatinga; Vila Cauhy, no Núcleo Bandeirante, Avenida Sucupira (chácara 23) do Riacho Fundo I; e QR 307 de Samambaia. O balão da entrada de Santa Maria também foi tomado pela água.

Para atender aos chamados, a corporação mobilizou viaturas dos grupamentos do Lago Norte, Riacho Fundo I, Núcleo Bandeirante, Taguatinga Centro, Guará I, Águas Claras e Samambaia.

Confira imagens dos estragos causados pela chuva:

Falta de luz

Companhia Energética de Brasília (CEB) informou que, às 17h10 deste sábado, registrou 94 chamadas de falta de energia. Os pedidos vieram das regiões sul (34), centro (32), oeste (17) e leste (11).

A luz caiu no Guará I e Guará II, por exemplo, afetando 15.242 unidades por volta das 17h. Um dos circuitos, com 3.614 clientes, teve o serviço normalizado às 18h31. Outro sistema, que abastece 6.931 unidades, voltou ao normal às 18h59. A energia do restante dos consumidores foi restabelecida às 20h36.

“Durante toda a sexta-feira, nossas equipes de plantão atenderam 402 chamados de falta de energia em todo o DF. Até às 17h10 de hoje [sábado], já foram atendidos 205 chamados”, pontuou.

A estatal disse que a falta de energia é “inerente ao serviço de distribuição, sendo, inclusive, regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)”.

A CEB orientou aos clientes sem energia que registrem a ocorrência na companhia: “Chamados pontuais são atendidos por ordem de registro, considerando-se os casos emergenciais e prioritários”.

“Para maior agilidade no atendimento, sugerimos aos clientes sem energia que registrem seus chamados por meio do nosso aplicativo para smartphones CEB Distribuição, disponível gratuitamente nas lojas virtuais”, destacou.

Até 100 km/h

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) previu que a tarde deste sábado seria de chuvas intensas com rajadas de vento. Conforme o órgão, a capital pode registrar ventos de 60km/h a 100km/h neste final de semana.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  GDF mantém ampliação de linha de ônibus para 2º dia de prova do Enem

noticias do df

CDDF junta-se ao Projeto Fome não é Fake

Publicados

em

Por

Uma união entre moradores do Guará, fez nascer o projeto “Fome não é Fake”, voluntários dessa cidade vem desenvolvendo um trabalho de solidariedade junto a pessoas carentes da região, com distribuição de cestas básicas, sopões, entrega de cobertores e outros. A solidariedade é grande, com a situação de pandemia que assola todo o mundo, a cada dia aumentam as pessoas em vulnerabilidade, diante dessa situação a Secretária de Solidariedade do CDDF Tânia Coelho, sugeriu ao presidente Eugênio Piedade que elaborasse um projeto para que essa ação se estendesse não somente para o Guará mais para todo o DF. Imediatamente o presidente Eugênio Piedade, acionou os técnicos do Conselho, para que a elaboração desse projeto fosse executada o mais rápido possível.

Rapidamente a empresa Projetus, parceira do CDDF. apresentou o Projeto “FOME NÃO É FAKE”, e o presidente designou a conceituada instituição que irá executar o projeto, será o Instituto EXTRACTUS, prontamente uma das criadoras da ação, Tânia Coelho aprovou prontamente

Conheça a historia do projeto “FOME NÃO É FAKE”

O Projeto Fome não é Fake, surgiu de uma grande inquietação da fotógrafa Marília Veloso em observar constantemente as privações, dificuldades e falta de alimento que passam as pessoas de rua, dessa forma ela resolveu fazer alguma coisa para ajudar. Postou a ideia em um grupo de horta comunitária do Guará, onde o mestre de capoeira Dionízio prontamente se prontificou em participar. O Dionízio apresentou à Marília a Tânia (prefeita comunitária do Guará Park), onde prontamente também aceitou participar, pois ela já vinha realizando pesquisas sobre o desperdício de alimentos no DF e logo percebeu que seria uma grande oportunidade para direcionar e canalizar esse desperdício em uma ação solidária, produzindo alimentos que pudesse beneficiar as pessoas que deverão ser atendidas pelo projeto.
Ai coloca a participação do Antonio que também viu a postagem no grupo e logo se apresentou também para participar.

Leia Também:  CEB aprova parcelamento de dívidas sem cartão de crédito

Vejam a última ação:

Quinta-feira é dia do Projeto “Fome Não é Fake” levar comida a quem tem fome. Há três meses os voluntários entregam comida aos moradores em situação de rua em várias localidades do DF.

A iniciativa de voluntários e da Prefeitura Comunitária do Guará Park, ganha a partir de hoje reforço com a
Campanha do Cobertor que levará além dos alimentos, roupas e agasalhos de frio.
Tânia Coelho, é do Conselho de Desenvolvimento do DF. responsável pela captação dos alimentos, disse que a ação de entrega dos cobertores e das roupas foi exitoso tendo em vista o apoio de muitos voluntários que, durante a semana foram arrecadadas mantas, roupas masculinas, femininas e de crianças que serão entregues juntamente com a tradicional refeição.
Nestes três meses de atuação, os voluntários já levaram alimentos aos moradores em situação de rua no Guará , Setor Comercial Norte, Unb e Rodoviária do Plano Piloto e Asa norte.
É muito gratificante para o projeto o apoio que estamos recebendo da comunidade do Guará.
Fazem parte do projeto, a publicitária Marília Veloso, a prefeita Comunitária e Secretaria de Solidariedade do CDDF, Tânia Coelho, o mestre Dionísio, o parceiro Rogério Barba e outros voluntariado , como membros do Lions Clube e membros da horta Comunitária do Guará, Antonio Soares, outro braço do projeto, ativista nas causas ambientais, e do movimento escoteiro e um bravo a frente da distribuição e captação, que atendeu ao chamado pela Horta Comunitária do Guará .

Leia Também:  Vencedora de leilão do Torre Palace Hotel denuncia fraude de concorrente e entra na Justiça

Quem quiser participar pode fazer doações na Prefeitura Comunitária do Guará Park, ligar no (61) 61983145878 numero da Marilha
61998291149 – Tania Coelho.

no PIX 059.847.521-40

#fomenaoefake
#HortaComunitáriadoguará
https://www.instagram.com/p/CNsA9VxsyBp/?igshid=mdt8htfygws1

    

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA