Cães auxiliam Receita Federal a apreender mais de 200 kg de drogas no aeroporto de Brasília

Cães farejadores da Receita Federal, que atuam na fiscalização e no controle de bagagem no Aeroporto Internacional de Brasília, ajudaram a apreender mais de 200 quilos de drogas desde janeiro deste anoBruce Roxy ajudam a descobrir entorpecentes nas bagagens despachadas, nas bagagens de mão e também nas encomendas que chegam pelos Correios.

Cães farejadores Aeroporto de Brasília — Foto: Receita Federal/Divulgação

Somente no último sábado (14), os dois cães participaram da apreensão de 57 quilos de cocaína, que estavam em cinco malas. O flagrante ocorreu durante uma fiscalização de rotina em um voo que vinha de Porto Velho (RO) para o Distrito Federal.

De acordo com o auditor fiscal da Receita Federal e chefe da sessão de controle de bagagem do Aeroporto JK, Barner Silva Marques, o número de apreensões de drogas vem crescendo “vertiginosamente” com o apoio dos dois cães.

“Já houve casos do narcoteste não identificar nenhum tipo de droga e, depois, o cão farejador insistir até nós olharmos e ser mesmo droga”, conta Barner.

 

Bruce e Roxy

 

Cães farejadores Aeroporto de Brasília — Foto: Receita Federal/Divulgação

A cadela Roxy, que já tem 8 anos, está neste trabalho há mais tempo e, segundo o delegado adjunto da Receita Federal no aeroporto, Otávio Martins, ela já está prestes a se aposentar. Mas Roxy foi fundamental no aprendizado de Bruce, que tem 2 anos e chegou no final de 2021 ao terminal.

Leia Também:  Número de armas apreendidas no DF cresce 11% em 2022

“Nós queremos montar uma terceira equipe, com mais um cão farejador, para poder substituir a Roxy, quando ela se aposentar”, conta Martins.

 

Apreensões no Aeroporto JK, em Brasília

 

De janeiro até o último domingo (15), a Receita Federal apreendeu as seguintes quantidades de drogas no Aeroporto Juscelino Kubitschek:

  • 138,34 quilos de cocaína
  • 54,35 quilos de skunk
  • 100 g ramas de haxixe
  • 12,1 quilos de metanfetamina
  • 1,6 quilo de ecstasy
  • 30 frascos de cetamina
  • 319 unidades de anabolizantes
  • 25 frascos de botox

 

Segundo a Receita Federal, todas as apreensões tiveram a “participação ativa” dos cães farejadores. As drogas estavam tanto em em voos internacionais, como em voos domésticos e nas encomendas dos Correios.

Fonte: G1

COMENTE ABAIXO:

Últimas Notícias

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.

ENVIAR MENSAGEM
Estamos Online!
Olá
Podemos Ajudar?