Motorista embriagado que atropelou cinco crianças em Ceilândia, no DF, vira réu na Justiça

A Justiça do Distrito Federal aceitou, nesta terça-feira (14), a denúncia do Ministério Público (MPDFT) contra Francisco Manoel da Silva, de 53 anos, por lesão corporal culposa, qualificada pela condição de embriaguez e por dirigir sem habilitação. O homem foi preso após atropelar cinco crianças em 22 de maio, em Ceilândia (veja detalhes abaixo).

Na decisão, o juiz Lucas Sales da Costa ainda levou em consideração que Francisco não parou o veículo para prestar socorro às vítimas. O magistrado também negou um pedido da revogação de prisão preventiva feito pelo réu.

“A gravidade concreta do caso é intensamente destacável, e maiores aprofundamentos sobre o fato serão feitos ao longo da instrução criminal”, disse o juiz. O g1 tenta contato com a defesa de Francisco.

Relembre o caso

 

Cinco crianças foram atropeladas em Ceilândia, no DF, no domingo (22) — Foto:  Foto: TV Globo/Reprodução

No dia 22 de maio, cinco crianças foram atropeladas, em Ceilândia. O condutor do veículo, Francisco, foi detido pela Polícia Militar e levado para a delegacia.

A embriaguez do motorista foi confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML). Ele foi autuado na 15ª Delegacia de Polícia por acidente de trânsito com vítima, atropelamento de pedestres, embriaguez ao volante e falta de habilitação para dirigir.

Leia Também:  Vídeo: motorista perde controle e bate em passarela de pedestre

As vítimas, com idades entre 5 e 10 anos, foram encaminhadas ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Posteriormente, devido a gravidade do estado de saúde, três crianças foram transferidas para o Hospital de Base.

Crianças receberam alta

 

Crianças atropeladas por motorista bêbado, em Ceilândia, no DF, recebem alta de hospital — Foto: TV Globo/Reprodução

As últimas três crianças atropeladas receberam alta do hospital, nesta segunda-feira (13). Ana Júlia Pereira, de 7 anos, Bruna Raquel Fonseca Pereira, de 6 anos, e Sofia Valentina Muniz, de 4 anos, tiveram traumatismo craniano e passaram por cirurgias no Hospital de Base de Brasília, mas, agora, se recuperam em casa.

As outras duas, Ester Isabely Rodrigues Pereira, de 10 anos, e Maria Eduarda, da mesma idade, já tinham deixado o hospital no fim de maio.

Ana Júlia e Bruna tiveram que colocar pinos nas pernas e, por enquanto, precisarão usar cadeiras de rodas. Mesmo fora do hospital, as crianças serão acompanhadas por neurologistas e devem fazer fisioterapia.

Fonte: G1

COMENTE ABAIXO:

Últimas Notícias

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.

ENVIAR MENSAGEM
Estamos Online!
Olá
Podemos Ajudar?