BRASÍLIA

POLICIAL

Tio e sobrinho que furtaram carne em supermercado são mortos

Publicados

em

Um tio e um sobrinho que furtaram pacotes de carne em um supermercado no bairro de Amaralina, em Salvador, foram encontrados mortos com marcas de tiro e sinais de tortura nesta segunda-feira (27), horas depois do furto.

Bruno Barros da Silva, 29, e Ian Barros da Silva, 19, moravam no bairro de Fazenda Coutos e foram flagrados furtando pacotes de carne na tarde de segunda-feira (26) no supermercado Atakadão Atakarejo, em Amaralina.

No mesmo dia, ambos foram encontrados mortos no porta-malas de um carro com tiros e sinais de tortura, no bairro da Brotas.

Fotos de Bruno e Ian rendidos após o furto circularam em aplicativos de mensagens e redes sociais. A imagem mostra os dois sentados no chão de um pátio do supermercado ao lado de quatro pacotes de carne.

Familiares das vítimas dizem acreditar que tio e sobrinho foram entregues pelos seguranças do supermercado a traficantes do bairro de Amaralina, que teriam matado Bruno e Ian.

“Não estamos defendendo o erro deles, mas cobrando justiça. Na lei que conhecemos, quando uma pessoa faz algo errado, a polícia é chamada para cumprir o seu papel”, afirma Elaine Costa, mãe da filha de Bruno.

Leia Também:  PCDF e MPDFT deflagram Operações Cidade Livre e Alpha 19

O advogado Andrey Sudsilowsky, que acompanha o caso junto à família, informou que ainda não teve acesso ao inquérito policial, mas afirma que testemunhas apontam que Bruno e Ian foram entregues por seguranças do supermercado a traficantes.

A família de Bruno encaminhou à Folha uma mensagem de áudio que ele enviou a uma amiga após o furto, pedindo de dinheiro para pagar as carnes furtadas.

“Se ligue, rodei no nordeste [de Amaralina]. Aqui, vê se desenrola R$ 700 para pagar as carnes que peguei aqui”, diz Bruno no áudio.

A Polícia Civil da Bahia informou em nota que a investigação do duplo homicídio está em andamento e a apuração está avançada, com indicativo de autoria. Também disse que ainda não pode divulgar detalhes sobre a suspeita para não atrapalhar as investigações.

Em nota, o supermercado Atakadão Atakarejo informou que “tratam-se de fatos que envolvem segurança pública e que certamente serão investigados e conduzidos pela autoridade pública competente”.

“Por agir de acordo com a legislação vigente e atuar rigorosamente com as normas legais, o Atakadão Atakarejo está à disposição e colaborando com todas as informações necessárias para a investigação”, informa a nota.

Leia Também:  PCDF amplia atendimento para emissão de carteira de identidade

O caso está sendo acompanhado pela comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa da Bahia. Presidente da Comissão, o deputado estadual Jacó (PT) cobrou apuração das circunstâncias da morte de Bruno e Ian.

Familiares de Bruno e Ian farão uma manifestação nesta sexta-feira (30) em frente ao Ministério Público do Estado da Bahia.

Fonte: Jornal de Brasília

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLICIAL

Polícia Civil prende estuprador que atacava mulheres no DF desde 1990

Publicados

em

O homem se passava por motorista de transporte clandestino de passageiros para atrair as vítimas. Em um dos casos, ele abusou de uma mulher em uma passagem subterrânea de pedestres da Asa Norte

Um homem, 54 anos, foi preso em Planaltina acusado de estuprar, ao menos, quatro mulheres no Distrito Federal. Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), os casos ocorreram entre 2013 e 2021. Em 1990, o homem havia sido condenado pelo mesmo crime. A corporação o define como “estuprador em série”.

Policiais civis da 16ª Delegacia de Polícia (Planaltina) deram cumprimento ao mandado de prisão preventiva contra o criminoso nesta quarta-feira (12/5). As investigações começaram após a equipe tomar conhecimento de uma tentativa de estupro contra uma mulher em janeiro deste ano. Diligências constataram que o modo de agir e as características físicas do homem eram compatíveis com outras ocorrências do mesmo tipo, entre elas, um estupro no final de 2019, em Planaltina.

Nesse caso, os peritos constataram, por meio do Banco de Perfis Genéticos, que o material genético do homem encontrado na vítima era o mesmo material genético encontrado em uma vítima de estupro com roubo ocorrido em 2013, na Asa Norte. Os exames também mostraram que havia material genético em outra mulher, em 2016. Diante das informações e da coleta do material biológico, a polícia determinou o homem como o responsável pelos estupros ocorridos em 2013, 2016, 2019. A PCDF divulgou a foto do homem para ajudar na identificação de outras vítimas.

Leia Também:  PMDF prende um homem suspeito de espancar morador do INCRA

Como agia

À exceção do estupro ocorrido na Asa Norte em 2013, nos demais o homem se passava por motorista de transporte clandestino de passageiros, conhecido por transporte pirata, para atrair as vítimas. Em um dos casos, ele abusou de uma mulher em uma passagem subterrânea de pedestres da Asa Norte. Outros estupros foram cometidos na área erma próximo ao Morro da Capelinha; na área erma na estrada do Núcleo Rural Monjolo; na área erma aos fundos do DER de Planaltina; e nas proximidades do Parque Sucupira. o homem atacava sempre entre 20h40 e 21h.

Em 1990, ele chegou a ser condenado pelo mesmo crime. Após cumprir pena, ganhou a liberdade em 2002.

Fonte: Correio Braziliense

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA