Peste Negra: DNA em dentes de 6 séculos revela onde epidemia começou, diz estudo

Pesquisadores acreditam ter descoberto as origens da Peste Negra, mais de 600 anos depois de ela ter matado dezenas de milhões de pessoas na Europa, Ásia e norte da África.

A catástrofe sanitária de meados do século 14 é um dos capítulos mais significativos em termos de pandemia da história humana.

Mas, apesar de anos de pesquisa, os cientistas ainda não haviam sido capazes de identificar onde a peste bubônica começou.

Agora, análises sugerem que foi no Quirguistão, na Ásia central, na década de 1330.

Uma equipe de pesquisa da Universidade de Stirling, na Escócia, e do Instituto Max Planck e da Universidade de Tubingen, na Alemanha, analisaram amostras antigas de DNA de dentes de corpos enterrados em cemitérios perto do Lago Issyk Kul, no Quirguistão.

Eles escolheram essa região depois de notar um aumento significativo nos sepultamentos ocorridos lá em 1338 e 1339.

Maria Spyrou, pesquisadora da Universidade de Tubingen, disse que a equipe sequenciou o DNA de sete esqueletos.

Leia Também:  Casos prováveis de dengue no DF superam números da fase pré-pandemia

Eles analisaram os dentes porque, de acordo com Spyrou, contêm muitos vasos sanguíneos e oferecem aos pesquisadores “uma grande chance de detectar patógenos transmitidos pelo sangue que podem ter causado a morte dos indivíduos”.

A equipe de pesquisa conseguiu encontrar a bactéria da peste, Yersinia pestis, em três deles.

“Nosso estudo resolve uma das maiores e mais fascinantes questões da história e determina quando e onde o assassino mais notório e infame dos seres humanos começou”, afirmou Philip Slavin, historiador da Universidade de Stirling, sobre a descoberta.

A pesquisa tem, no entanto, algumas limitações — incluindo o pequeno tamanho da amostra.

Michael Knapp, da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, que não estava envolvido no estudo, elogiou o trabalho como sendo “realmente valioso”, mas observou:

“Dados de bem mais indivíduos, épocas e regiões… ajudariam realmente a esclarecer o que os dados apresentados aqui significam de fato.”

O trabalho dos pesquisadores foi publicado na revista científica Nature, com o seguinte título: “The source of the Black Death in fourteenth-century central Eurasia” (“A fonte da Peste Negra na Eurásia central do século 14”, em tradução literal).

Leia Também:  Melhor horário para se exercitar é diferente para homem e mulher, diz estudo

O que é a peste bubônica?

 

A peste é uma doença infecciosa potencialmente letal, causada por uma bactéria chamada Yersinia pestis que vive em alguns animais — principalmente roedores — e nas pulgas que carregam em seus pelos.

A peste bubônica é a forma mais comum da doença que as pessoas podem contrair. O nome deriva dos sintomas que causa — um inchaço doloroso nos nódulos linfáticos, formando uma espécie de bolha, conhecida como “bubão”, na virilha ou axila.

De 2010 a 2015, foram reportados 3.248 casos em todo o mundo, incluindo 584 mortes.

Historicamente, também foi chamada de Peste Negra, em referência ao fato de causar gangrena em certas partes do corpo, como nos dedos das mãos e dos pés, que acabam escurecendo.

Fonte: G1

COMENTE ABAIXO:

Últimas Notícias

Gostou da notícia? Quer mais?

Nos Siga no Facebook 

para mais Notícias

Gostou da notícia? Nos Siga para Mais.

ENVIAR MENSAGEM
Estamos Online!
Olá
Podemos Ajudar?