BRASÍLIA

noticias do df

CDDF junta-se ao Projeto Fome não é Fake

Publicados

em

Uma união entre moradores do Guará, fez nascer o projeto “Fome não é Fake”, voluntários dessa cidade vem desenvolvendo um trabalho de solidariedade junto a pessoas carentes da região, com distribuição de cestas básicas, sopões, entrega de cobertores e outros. A solidariedade é grande, com a situação de pandemia que assola todo o mundo, a cada dia aumentam as pessoas em vulnerabilidade, diante dessa situação a Secretária de Solidariedade do CDDF Tânia Coelho, sugeriu ao presidente Eugênio Piedade que elaborasse um projeto para que essa ação se estendesse não somente para o Guará mais para todo o DF. Imediatamente o presidente Eugênio Piedade, acionou os técnicos do Conselho, para que a elaboração desse projeto fosse executada o mais rápido possível.

Rapidamente a empresa Projetus, parceira do CDDF. apresentou o Projeto “FOME NÃO É FAKE”, e o presidente designou a conceituada instituição que irá executar o projeto, será o Instituto EXTRACTUS, prontamente uma das criadoras da ação, Tânia Coelho aprovou prontamente

Conheça a historia do projeto “FOME NÃO É FAKE”

O Projeto Fome não é Fake, surgiu de uma grande inquietação da fotógrafa Marília Veloso em observar constantemente as privações, dificuldades e falta de alimento que passam as pessoas de rua, dessa forma ela resolveu fazer alguma coisa para ajudar. Postou a ideia em um grupo de horta comunitária do Guará, onde o mestre de capoeira Dionízio prontamente se prontificou em participar. O Dionízio apresentou à Marília a Tânia (prefeita comunitária do Guará Park), onde prontamente também aceitou participar, pois ela já vinha realizando pesquisas sobre o desperdício de alimentos no DF e logo percebeu que seria uma grande oportunidade para direcionar e canalizar esse desperdício em uma ação solidária, produzindo alimentos que pudesse beneficiar as pessoas que deverão ser atendidas pelo projeto.
Ai coloca a participação do Antonio que também viu a postagem no grupo e logo se apresentou também para participar.

Leia Também:  O sucesso do Conselho de Desenvolvimento do DF/CDDF o faz tornar-se nacional

Vejam a última ação:

Quinta-feira é dia do Projeto “Fome Não é Fake” levar comida a quem tem fome. Há três meses os voluntários entregam comida aos moradores em situação de rua em várias localidades do DF.

A iniciativa de voluntários e da Prefeitura Comunitária do Guará Park, ganha a partir de hoje reforço com a
Campanha do Cobertor que levará além dos alimentos, roupas e agasalhos de frio.
Tânia Coelho, é do Conselho de Desenvolvimento do DF. responsável pela captação dos alimentos, disse que a ação de entrega dos cobertores e das roupas foi exitoso tendo em vista o apoio de muitos voluntários que, durante a semana foram arrecadadas mantas, roupas masculinas, femininas e de crianças que serão entregues juntamente com a tradicional refeição.
Nestes três meses de atuação, os voluntários já levaram alimentos aos moradores em situação de rua no Guará , Setor Comercial Norte, Unb e Rodoviária do Plano Piloto e Asa norte.
É muito gratificante para o projeto o apoio que estamos recebendo da comunidade do Guará.
Fazem parte do projeto, a publicitária Marília Veloso, a prefeita Comunitária e Secretaria de Solidariedade do CDDF, Tânia Coelho, o mestre Dionísio, o parceiro Rogério Barba e outros voluntariado , como membros do Lions Clube e membros da horta Comunitária do Guará, Antonio Soares, outro braço do projeto, ativista nas causas ambientais, e do movimento escoteiro e um bravo a frente da distribuição e captação, que atendeu ao chamado pela Horta Comunitária do Guará .

Leia Também:  Carnaval: criatividade para se reinventar

Quem quiser participar pode fazer doações na Prefeitura Comunitária do Guará Park, ligar no (61) 61983145878 numero da Marilha
61998291149 – Tania Coelho.

no PIX 059.847.521-40

#fomenaoefake
#HortaComunitáriadoguará
https://www.instagram.com/p/CNsA9VxsyBp/?igshid=mdt8htfygws1

    

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

noticias do df

Técnico de enfermagem de 45 anos morre de Covid no Distrito Federal

Publicados

em

O maranhense Eurico Jardim de Souza trabalhava no Complexo Penitenciário da Papuda desde 2009

Morreu nesse domingo (8/3) o servidor Eurico Jardim de Souza, técnico de enfermagem de 45 anos que atuava na Penitenciária do Distrito Federal 2, no Complexo Penitenciário da Papuda. Ele faleceu após complicações da Covid-19.

“Amigo e companheiro. Eurico deixará um vazio irreparável na equipe e para os amigos”, completou a pasta, em nota de pesar.

Fonte: Metropoles
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  CDDF encerra hoje a FASE 2 de empreendedores sociais com mais de 1.000 inscritos. Participe da LIVE!
Continue lendo

DISTRITO FEDERAL

FALA BOLSONARO

ECONOMIA

ENTRETENIMENTO

ESPORTES

MAIS LIDAS DA SEMANA